Em quais situações as nuvens se formam?

No post anterior, vimos como as nuvens se formam. Esse post será uma continuação, e aqui proponho uma nova pergunta: em quais situações as nuvens se formam? Para que haja formação das nuvens, o vapor d’água precisa condensar-se sobre os núcleos de condensação. Para que ocorra condensação, é necessário ocorrer resfriamento. Quando uma parcela de ar quente é forçada a subir na atmosfera, forçamos um resfriamento. Mas há outras formas disso acontecer.

Uma nuvem pode formar-se das seguintes maneiras:

Figura 1: Como uma nuvem pode se formar?Adaptado de AHRENS, C.D.: Meteorology Today 9th Edition

 Convecção (Figura 1a)

O que foi explicado no post anterior foi o processo de convecção (figura 1a). Vamos revisar?

O Sol aquece a superfície da Terra (solo, oceano, florestas, asfalto…) que então aquece o ar atmosférico logo acima da superfície. Esse ar aquecido é mais leve e portanto sobe (como um balão de ar quente). O vapor d’água contido nesta parcela de ar que subiu se condensa (passa para o estado líquido) quando encontra alturas com temperaturas mais baixas. Veja a ilustração da Figura 2:

Figura 2: A figura acima mostra o processo de formação de nuvens através de termas, que são parcelas de ar quente que sobem, já que são menos densas. Adaptado de FORSDYKE, A.G. Previsão do tempo e clima

Esse processo de formação de nuvens é o responsável pela formação de intensas nuvens de tempestade, aquelas que ocorrem no final da tarde em algumas regiões do Brasil.

Figura 3: Nuvem de tempestade na Praça Panamericana – São Paulo-SP. Foto de Taluana Furlan

As nuvens de tempestade caracterizam-se por este formato que lembra uma daquelas bigornas de desenhos animados, com topo achatado (figura 3). Esse formato pode ser visto apenas se a nuvem for observada de longe.

O ar pode ser forçado a se levantar de outras maneiras além da convecção, como vimos na figura 1. Veremos outras maneiras  nos títulos abaixo.

Levantamento do ar devido a topografia (Figura 1b)

O ar atmosférico pode ser forçado a levantar-se devido a topografia, quando o ar é forçado a subir uma montanha ou cadeia de montanhas. Ao subir a montanha, o ar encontra temperaturas mais baixas e então a nuvem é formada.

Figura 4: Nuvem orográfica formada em uma montanha do Alasca. Fonte: NOAA

É também através do levantamento de ar pela topografia que temos as famosas nuvens lenticulares (possuem formato de lente):

Figura 5: Nuvem lenticular sobre o Monte Ranier em Kent, Washington, Estados Unidos. Foto de Ken Smith

Um exemplo brasileiro sobre a formação de nuvens topográficas (também chamada orográficas) é quando o ar vindo do litoral sobre a Serra do Mar. Em situações assim, temos inclusive a formação de chuva e neblina na Serra do Mar:

Figura 6: a Serra do Mar, onde o ar é forçado a subir. O vapor d’água então condensa-se formando nuvens.

 

Convergência de ar (Figura 1 c)

As nuvens também podem se formar devido a convergência de ar (figura 1c). Convergência de ar significa o encontro de dois fluxos de ar provenientes de direções diferentes.

Próximo ao Equador de nosso planeta, temos a Zona de Convergência Intertropical. Ventos provenientes do Hemisfério Sul e do Hemisfério Norte encontram-se. Ao encontrarem-se, essas massas de ar são forçadas a subir. Quando o ar sobe, já sabemos o que acontece: o vapor d’água condensa e temos a formação de nuvens.

Figura 7: Zona de Convergência Intertropical é o encontro de ventos vindos do hemisfério norte e do hemisfério sul. As nuvens dessa região são responsável por parte das chuvas no Norte e no Nordeste do Brasil. Fonte: NASA

 

Levantamento de ar ao longo de frentes frias (figura 1d)

E as nuvens também podem formar-se devido ao levantamento de ar que ocorre ao longo de sistemas frontais (Figura 1d). Nas frentes frias, temos o encontro de duas massas de ar de características diferentes (uma é relativamente mais quente e a outra é relativamente mais fria). A massa de ar frio avança sob a massa de ar quente. A massa de ar quente é forçada a levantar e temos assim a formação de nuvens de diferentes formas ao longo de toda a frente fria.

Figura 8: Ilustração do que ocorre durante a passagem de uma frente fria. Vários tipos de nuvens são formados. Adaptado de Thomson Higher Education

Na figura 8, vemos ilustrações de vários tipos de nuvens, cada um desses tipos identificados por uma sigla: Cb, Ac, Cs, Ci… No próximo post, falaremos sobre a classificação de nuvens e sobre o significado de cada uma dessas siglas.

Bibliografia

AHRENS, C.D.: Meteorology Today 9th Edition

FORSDYKE, A.G.: Previsão do tempo e clima. Coleção prisma. ed. Melhoramentos. l978

Clouds, Wikipedia, the free encyclopedia

Intertropical convergence zone, Wikipedia, the free encyclopedia