Experiência 4: como construir um pluviômetro?

Vamos começar com aquele post sobre o ciclo hidrológico. Ele é fundamenta para compreender a importância da chuva!

Agora que a estação chuvosa está dando as suas caras e que sabemos o que é um pluviômetro (veja aqui e aqui), decidi trazer para vocês algumas dicas de como construir um pluviômetro caseiro. É uma ótima experiência para uma feira de ciências, para você brincar e aprender em casa nas férias de fim de ano.

Uma grande idéia para os professores também, que podem realizar uma atividade com seus alunos, construindo um pluviômetro com eles, pois como as aulas normalmente iniciam em fevereiro, ainda há bastante chuva para medir na maior parte do Brasil.

Apresento neste post duas maneiras de se fazer um pluviômetro. Observe as duas e veja qual a mais adequada para sua aplicação.

1) Usando um vidro de azeitonas/palmito vazio.

Nessa idéia que encontrei no site da NOAA, você vai precisar de:

– Um vidro vazio de azeitonas ou palmito em conserva (são apenas sugestões, o fato é que o vidro precisa ser reto, como o da figura abaixo):

 

– Tesoura

– Fita adesiva incolor. Recomendo aquelas fitas mais largas, muitas vezes utilizadas para fechar caixas

– Tira de papel comprida, com a mesma largura da régua (ou menor) e com a altura do vidro

– Régua escolar

Como fazer:

  • Faça marcações em uma tira de papel com a régua, de modo a transformar o papel em uma régua. Marque os mm (a menor divisão da régua)! Lembre que 1cm=10mm.  Entretanto, tenha cuidado para que o ‘zero’ fique bem rente a folha, dessa maneira:

  • Em seguida, plastifique sua régua de papel. Você pode mandar plastificar em uma papelaria ou pode plastificar em casa, usando camadas de fita adesiva larga ou papel contact.
  • Coloque a régua que você fez dentro do vidro, com o 0mm encostando no fundo do vidro. Cole com durex o topo desta régua  no topo de seu vidro. Cuidado para não dobrar ou curvar a régua. Este é seu pluviômetro.
  • Agora posicione seu pluviômetro em um quintal ou qualquer outra área aberta em um dia com previsão de chuva. Aguarde e faça sua medida!
Observação adicional sobre este projeto: Você pode usar a própria régua escolar no lugar da régua de papel feita por você. o problema, é que as réguas normalmente tem um pequeno espaço até chegar no 0mm. Você pode então pedir a um adulto que serre este pedacinho.

É importante posicionar o pluviômetro (seja qual for o modelo, caseiro ou não) distante de paredes, casas, prédios, árvores de grande porte ou qualquer outro obstáculo que possa interferir na quantidade de água que entra no instrumento.

Se você quiser, pode colar seu pluviômetro em uma banqueta usando cola quente. Dessa forma, ele fica fixo e é mais difícil de ser derrubado pelo eventuais rajadas de vento.

2)Garrafa PET

Esta outra idéia para fazer um pluviômetro tem sido muito utilizada em diversas cidades brasileiras. Trata-se de utilizar como reservatório uma garrafa PET (garrafas de refrigerante, dessas que tem aos montes por aí). Usando garrafas PET, é possível inclusive fazer instrumentos bem elaborados e bem profissionais, como este, ensinado pelo Globo Rural. Uma ótima alternativa para produtores rurais.

Aqui vou ensinar a fazer um instrumento mais simplificado. Eu me inspirei nos seguintes links:

– Iniciativa desta escola em Niterói;

– Programa Vigilantes Pluviométricos da Prefeitura de Petrópolis;

Esse link da Escola Técnica Estadual Benedito Storani.

– Esse post do blog Planeta Biologia

Essa iniciativa da Prefeitura de Valinhos-SP

– Este artigo de pesquisadores da Universidade Federal Fluminense.

– Esse artigo da revista Nova Escola.

Atenção: para fazer este ou qualquer projeto,é necessário a presença de um adulto. Utilizaremos estilete ou tesoura com ponta, que são ferramentas perigosas!

Você vai precisar de:

– Garrafa PET de 2l;

– Jarra milimetrada;

– Estilete ou tesoura com ponta;

– Caneta permanente (aquelas utilizadas para escrever em CD’s);

– Água;

– Filtro de papel (coador de café);

  • Corte a garrafa PET no gargalo (aproximadamente 7cm). Dessa maneira, você fará um funil. É importante fazer isso para remover a parte arredondada da garrafa e aumentar a área de captação de água.

  • Coloque água na jarra milimetrada e encha a garrafa PET vagarosamente. A cada 10ml, faça uma marca com a caneta permanente na garrafa PET. Desse modo, você vai construir uma escala.
  • Depois de marcar a escala em toda a garrafa PET, remova a água.
  • Posicione o funil dentro da garrafa, como a figura acima.
  • Coloque o filtro de café no funil, para barrar qualquer redíduo sólido que possa ser transportado pelo vento e prejudicar o funcionamento do seu pluviômetro (folhas de árvores, etc).
  • Posicione a garrafa em um ambiente externo e plano, longe de árvores ou construções que possam atrapalhar as medidas.

Importante: Repare que neste experimento, a garrafa PET é graduada em ml (mililitros) que é uma unidade de volume comum, a milésima parte de 1l. Isso foi feito, porque diferentemente do vidro de palmito, a garrafa PET possui algumas ondulações na base.

Como converter esta informação para mm (milímetros de chuva)? Vamos aprender passo a passo:

– Sabemos que 1mm de chuva corresponde a 1l de chuva em 1m² de área (vimos aqui).

– Podemos então fazer uma “Regra de 3”. Para isso, vamos ter que medir o diâmetro da garrafa PET (diâmetro da parte cortada para formar o funil). Meça o diâmetro de sua garrafa.

– Vamos supor que o diâmetro dessa garrafa seja de 10cm (ou 0,10m). A área da área de captação será então dada por:

– Vamos agora supor que tenha chovido exatos 10ml de chuva (a marcação na escala de nosso pluviômetro). 10ml correspondem a 0,01l.

– Sendo assim, a cada marcação de 10ml de chuva, temos 1,274mm de chuva (usando a unidade padrão para falar em acumulado de chuva, que são os milímetros – mm). Podemos aproximar muito grosseiramente:

– Porém aconselho que em quantidades de precipitação acima de 100ml essa aproximação não seja feita. Em caso de dúvidas, faça a regra de três sempre, para qualquer quantidade de precipitação acumulada, pois nunca falha.

Nota Final: a maior desvantagem em utilizar uma garrafa PET como pluviômetro é com relação ao seu peso. Ela é muito leve e pode tombar com o vento, por exemplo. Por essa razão, aconselha-se prender a garrafa em uma haste vertical de madeira, por exemplo:

A foto acima foi retirada deste artigo e mostra um pluviômetro feito de garrafa PET amarrado em hastes finas. Essas hastes podem ser fincadas na terra ou em um vaso de plantas, por exemplo (mantendo o pluviômetro acima das folhas da planta).

Não se esqueça de instalar seu pluviômetro longe de árvores altas, muros ou casas. Instale no meio de seu quintal, em um local onde ele receba chuva diretamente.

 As duas maneiras aqui apresentadas são idéias, que é claro podem ser melhoradas ou adaptadas. Em caso de dúvidas, mande uma pergunta ou comente este post. Se você realizar este ou qualquer outro experimento de nosso site, peço que nos mande uma foto para a galeria do leitor! Eu ficaria muito feliz.