Impressão digital de um raio!

Já ouviram falar dos fulguritos?

Fulgurito. Fonte: Wikimedia Commons

Fulguritos são minerais que se formam quando uma descarga atmosférica (ou um raio) atinge a areia de praias (chamadas também de areias quartzosas). A sílica, um dos componentes da areia, se funde devido ao calor da descarga atmosférica, formando uma estrutura de aspecto vitrificado (parece vidro) e tubular. Os fulguritos podem medir de centímetros até metros de comprimento. São muito frágeis, e normalmente se quebram com o manuseio. Por isso, devem ser manipulados com muito cuidado.

Por dentro, eles são ocos e lembram vidro. Por fora, a areia semi-fundida (semi-derretida) dá um aspecto áspero.

Fulgurito – oco por dentro. Fonte: Geology.about.com

A temperatura dos raios pode ultrapassar 1800°C, o suficiente para que a areia derreta! Há pesquisadores que acreditam que foi observado os fulguritos que os antigos descobriram como fabricar vidro.

A palavra fulgurito vem do latim ‘fulgur’, que significa raio.

Os fulguritos também são chamados de raios petrificados. O maior fulgurito registrado no mundo foi encontrado na Flórida, e possui cerca de 4,9m de comprimento! Esse valor, inclusive está no Guiness Book of Records.

Eu não encontrei o recorde do maior fulgurito do Brasil, mas você pode ver um fulgurito de perto no Museu de Meteorologia da Estação Meteorológica do IAG-USP. Eu fotografei para vocês verem:

 

Fulgurito encontrado na Praia da Joaquina, em Florianopolis-SC. Acervo do Musei de Meteorologia da Estação Meteorológica do IAG-USP

 

E vocês podem ler mais informações sobre o assunto nos links abaixo:

Fulgurite. Wikipedia, the free encyclopedia

Fulgurite Wormhole. Geology. about.com

Notícia sobre o maior fulgurito do mundo. University of Florida News.

Petrified Lightning. University of South Florida

Florida’s  Fantastic Fulgurite Find. University of South Florida