Guestpost: Meteorologia e Cinema. Por Marcelo Serrano

Semana passada tive uma dessas idéias iluminadas. 🙂

Decidi pedir a alguns colegas que adoram filmes para escreverem sobre seus filmes favoritos com o tema meteorologia/climatologia/mudanças climáticas.

A indústria do cinema sempre gosta de explorar catástrofes naturais. Então muitos filmes acabam misturando a ficção com a realidade, para dar mais veracidade a história do filme. O intuito deste post no momento não é falar sobre os erros dos filmes ou discutir o que é ficção e o que é ciência. Pode ser que eu fale sobre isso no futuro, mas não é a finalidade no momento.

O primeiro guestpost é uma contribuição do meu amigo Marcelo Serrano. Ele escreve um blog sobre culinária (veja aqui)  e faz faculdade de Rádio e TV. Ele adora ver filmes, e já me disse que é super fã do filme Twister (que comentei aqui). 

O Marcelo também já contribuiu algumas vezes com fotos para o blog. Veja aqui e aqui.

Vamos então às dicas do Marcelo:

———-

Sempre fui apaixonado por cinema. Aquela sala escura e aquele telão me fascinam desde que me conheço por gente. Na verdade, tudo que é audiovisual sempre me fascinou, mas  só de um tempo pra cá é que comecei  a me interessar mais pela parte técnica da coisa e, por causa disso, é que comecei a lembrar mais dos filmes que assisto.

Gosto de muitos gêneros, mas um dos meus favoritos é o chamado “Cinema catástrofe” (aquele tipo de filme em que quase nada fica em pé no final, sabe?).

E nada melhor do que cinema catástrofe com fenômenos naturais envolvidos, né?

Sendo assim, separei uma listinha dos meus 5 filmes favoritos (que não tem, necessariamente, uma história ou acontecimento real) com esse tema.

Não vou começar propriamente com um filme…

Uma verdade inconveniente (An Inconvenient Truth – 2006)

Sinopse: O filme acompanha o ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, em sua jornada pelo país para alertar sobre os perigos do aquecimento global e as mudanças climáticas que estão afetando o globo terrestre. Gore apresenta dados científicos que comprovam a elevação da temperatura na Terra, o derretimento de blocos de gelo das calotas polares e o aumento progressivo do nível do mar.

Na bem da verdade o Sr. Gore produziu esse filme pra se auto promover e passar a imagem de uma pessoa que cuida e se preocupa com o meio ambiente, mas todos sabemos que nada mais é do que uma boa oportunidade de parecer bonzinho.
Apesar disso, gosto pela mensagem/alerta que ele passa (e porque a música tema do filme (I Need to Wake Up) é cantada pela Melissa Etheridge, uma das minhas cantoras preferidas!

O Dia Depois de Amanhã (The Day After Tomorrow – 2004)

Dennis Quaid é o climatologista Jack Hall que desenvolve a teoria que, com o aquecimento global, as calotas polares derreterão e alterarão o fluxo das correntes marítimas, principalmente aquelas que amenizam o clima no Hemisfério Norte. Seus esforços para convencer dirigentes mundiais são em vão e sua teoria vira realidade mais cedo do que se esperava: uma catátrofe meteorológica. Veja mais aqui.

Resumindo:  O homem ferra com a Terra e ela ferra com o homem em dobro, transformando todo o hemisfério norte em gelo.
O filme não é nenhuma obra prima, mas eu adoro uma boa destruição (é legal ver a Estátua da Liberdade boiando) e ver os EUA pedindo ajuda e asilo a países que eles adoram ignorar!

O Núcleo – Missão ao Centro da Terra (The Core – 2002)

Sinopse: A Terra é novamente ameaçada quando seu núcleo entrar em colapso. Para salvá-la, um grupo de cientistas e escavadores decide ir até o centro do planeta para acabar com o perigo. Veja mais aqui.

Filme pipoca TOTAL, daqueles que você senta pra assistir e não precisa pensar em nada, só ver o que tá rolando na tela, sabe?
Esse talvez seja um dos meus maiores “Guilty pleasures”, mas fazer o que, gosto mesmo. Os efeitinhos são até que bons e tem a Hillary Swank, que adoro!

Nota da Samantha: Não é um filme sobre meteorologia, mas bom, se um colapso no núcleo da Terra acontecesse, acho que não haveria muito para contar, né? Os geofísicos e geólogos amam esse filme! E eu particularmente gosto muito também!

Mar em Fúria (The Perfect Storm – 2000)

Sinopse: Outubro de 1991. Acontecia a “tempestade perfeita”, uma combinação de fatores tão rara que acontece apenas uma vez por século. Com ondas do tamanho de prédios de dez andares e ventos a quase 200 km/h, poucas pessoas a viram e sobreviveram para contar história. Até que os tripulantes do Andrea Gail, um barco de pesca comercial, se viu bem no centro deste gigantesco inferno em alto-mar. Veja mais aqui.

Resumindo: Um barco pesqueiro pequeno enfrentando a fúria da natureza. Lembro que assisti a esse filme no cinema do Shopping. A sala era tão ruim, mas tão ruim, que a caixa de som que fica atrás da tela ficava NO CHÃO, mas nem liguei. As imagens eram tão hipnóticas e grandiosas, que não conseguia nem piscar. Devo mencionar que sou apaixonado por tempestades/furacões/tufões e etc? E isso leva pro último e, de todos desse gênero, meu filme favorito.

Twister (Twister – 1996)

Sinopse: Em Oklahoma uma tempestade está se formando e dois grupos de cientistas rivais planejam entrar para a história ao monitorar esse acontecimento, aperfeiçoando assim suas pesquisas e ajudando a prever essas tempestades com antecedência. Em uma das equipes está a cientista Jo Harding (Helen Hunt) que está disposta a conseguir monitorar essa tempestade, pois viu seu pai ser sugado por um tornado.  Veja mais aqui.

Esse filme reúne tudo o que amo: Tempestades fenomenais (ainda irei pros EUA pra caçar tornados. PROMETO!), bons efeitos visuais (por ser de 1996, esse filme tem ótimos efeitos), Helen Hunt e o diretor Jan de Bont! Uma pena que ainda não foi lançado em Blu-ray aqui no Brasil, porque olha, ver isso em HD deve ser um espetáculo!

———————-

Agradeço muito ao Marcelo pela paciência e pela disponibilidade de escrever essas ótimas palavras e dar dicas muito legais de filmes. Sei que muitos ainda estão em férias escolares, que tal preparar uma pipoquinha e assistir um filme? Para mais dicas de filmes e séries, veja o blog do Silvio Gois