A onda de frio na Europa

Quando escrevi esse post sobre estações do ano, vimos que quando é verão aqui no Hemisfério Sul, é inverno no Hemisfério Norte (e vice-versa).

Na passada, a maior parte das cidades brasileiras registraram temperaturas máximas acima de 30°C! Como exemplo, separei algumas temperaturas máximas em São Paulo-SP na semana passada:

  • Dia 02/02/2012: 31,3°C
  • Dia 03/02/2012: 32,2°C
  • Dia 04/02/2012: 33,2°C
  • Dia 05/02/2012: 33,0°C
  • Dia 06/02/2012: 33,0°C
  • Dia 07/02/2012: 33,7 °C: maior temperatura registrada até agora, no ano de 2012
  • Dia 08/02/2012: 31,7°C
  • Dia 09/02/2012: 31,9°C
  • Dia 10/02/2012: 30,1°C

Informações da Estação Meteorológica do IAG-USP.

Agora, algumas temperaturas em Porto Alegre-RS, Bagé-RS, Curitiba-PR, Florianópolis-SC e Rio de Janeiro-RJ, também referentes ao dia 07/02 (dia mais quente em São Paulo-SP):

  • Porto Alegre – RS: 31,4°C
  • Bagé-RS: 30,0°C
  • Florianópolis-SC: 31,0°C
  • Curitiba-PR: 32,3°C
  • Rio de Janeiro: 31,2°C

Dados da rede de estações meteorológicas do INMET

Escolhi especificamente cidades das Regiões Sul e  Sudeste por que é por aqui que o calor é mais ‘sentido’ nesta época do ano. Digo isso, porque nas Regiões Norte, Nordeste e norte da Região Centro-Oeste é calor praticamente o ano todo (com excessão de raros episódios de friagem no sul da Região Norte e norte da Região Centro-Oeste). O que quero dizer? Nas Regiões Sul e Sudeste a amplitude térmica anual (diferença entre a média das máximas temperaturas e a média das mínimas temperatura do ano) é maior. Na Região Sul e na Região Sudeste (não toda, principalmente sul de Minas Gerais, partes do Rio de Janeiro e São Paulo), conseguimos notar um maior contraste entre temperaturas no inverno e no verão. No inverno, faz um pouco de frio e as pessoas colocam casacos pesados, principalmente na Região Sul.

Mas voltando ao calor: ele ainda continua ao longo desta semana. Algumas consequências do calor intenso em nosso cotidiano são aumento no consumo de água e energia elétrica, mal estar físico e mental, etc. O calor intenso também pode matar, como ocorreu no verão do ano passado em algumas localidades dos EUA.

Mas Samantha, o post não era sobre o frio na Europa?

É sim! Mas eu quis antes falar um pouco sobre esses contrastes 🙂

Temperaturas muito baixas também trazem muitos transtornos. No Brasil, não temos muitas situações com temperatura abaixo de 0°C (veja lista de recordes). Mas há países onde as temperaturas facilmente atingem esses valores durante o inverno.  Os problemas são diversos: as neve deixa as estradas mais perigosas e escorregadia, escolas fecham, problemas de saúde associados ao frio (hipotermia, problemas circulatórios, doenças respiratórias, etc) . A população pobre é a que mais sofre, pois não tem recursos para manterem-se aquecidos. Moradores de rua sofrem muito e chegam inclusive a morrer. Encontrei   essa reportagem em um portal português de notícias, onde é dito que cerca de 450 pessoas morreram em decorrência do frio. Segundo a mesma reportagem, a região mais afetada pela onda de frio da semana passada foi o leste do continente. Ou seja, em Portugal fez frio também (principalmente no nordeste deste país) mas não tanto quanto em países como Ucrânia, Romênia e Rússia, por exemplo. Além disso, em Portugal temos o predomínio da maritimidade: a corrente do Golfo, que é uma corrente marítima comparativamente quente, faz com que as temperaturas da Europa Ocidental sejam mais agradáveis no inverno, quando comparadas à  Europa Oriental.

Foto tirada na Ucrânia: os mais pobres são os que mais sofrem durante o inverno. Fonte: Reuters/Sapo

Essa onda de frio foi consequência do predomínio da massa de ar polar do ártico, situação muito normal esta época do ano, em que é inverno no Hemisfério Norte.  Frentes frias deslocam-se das proximidades do Pólo Norte. Durante a passagem dessas frentes frias, ocorre muita neve. Após a passagem da frente fria, temos céu praticamente sem nuvens e temperaturas despencando, com preodomínio da massa de ar polar.

Vamos comparar com situações que temos no inverno do Sul e Sudeste do Brasil. A frente fria chega, estraga os dias seguintes (trazendo tempo nublado e muita chuva).Como a frente fria é o avanço de uma massa de ar frio sob uma massa de ar comparativamente mais quente, esse ar mais quente é forçado a levantar e então temos condições para formação de nuvens, por isso chove (nem que for uma chuva fraca, apenas uma garoa).Após a passagem dessa frente, temos o predomínio de uma massa de ar polar. Essa massa de ar polar eleva a pressão atmosférica, deixa o tempo praticamente sem nuvens e as madrugadas ficam bem frias. Em algumas regiões, muito raramente chega a nevar, como é o caso da Serra Gaúcha e Catarinense (claro que aí o efeito também é combinado com a altitude). Em outras regiões, o ar frio próximo a superfície apenas faz com que o vapor d’água do ar deposite-se na forma de gelo (a geada).

Levantamento forçado do ar durante a passagem de uma frente fria. Como o ar é forçado a levantar-se, temos o favorecimento a formação de nuvens. Adaptado de Thomsom Higher Education.

A neve é um tipo de precipitação. Faz tanto frio em algumas regiões que as gotículas de água das nuvens congelam-se e agregam-se, formando os cristais de neve. Então, podemos dizer que ‘chove neve’ durante a passagem das frentes frias lá na Europa. Após a passagem da frente fria, a massa de ar polar predomina. Como a Europa está fora dos trópicos, a massa de ar polar que atua por lá é mais intensa do que a que atua por aqui (ou seja, a Europa está mais próxima da ‘fonte’ da massa de ar polar, mais próxima do Pólo Norte). O céu fica com poucas nuvens da mesma forma, porém fica bem mais frio. Bem mais frio. Tão frio logo após a passagem da frente fria, que a neve que tinha caído não derrete, ficando acumulada. Máquinas especiais são utilizadas para remover a neve das ruas e das estradas. E tão frio, que semana passada vi uma reportagem que nem acreditei: na semana passada, um homem roubou uma loja na Rússia, para ser preso e então escapar do frio nas ruas. Semana passada, na Rússia, alguns termômetros chegaram a registrar temperaturas inferiores a -30°C, o que é bem normal no inverno daquele país, que fica localizado em altas latitudes, com uma vasta área muito próxima ao polo norte (é inclusive ‘cortado’ pelo Círculo Polar Ártico).

A meteorologia afeta nossa saúde e bem estar de diversas formas, como já falamos aqui. Nos faz também lutar pela sobrevivência, a ponto de tomar decisões estranhas (como roubar uma loja para fugir do frio). Realmente, um caso muito triste, porém bastante curioso. E de acordo com a marmota, o frio vai continuar (hehehehe). A verdade é que é natural que daqui pra frente as temperaturas comecem a aumentar no Hemisfério Norte e comecem a diminuir no Hemisfério Sul. É a consequência da inclinação do eixo da Terra e de seu movimento de translação em torno do Sol.

Informações adicionais e fontes:

Leia mais destaques sobre o frio na Europa neste link da Climatempo.

Leia também este post sobre como a meteorologia afeta a saúde e o bem estar.