Mudanças nas grandes cidades interferem nas chuvas



Há alguns dias, vi esta interessante reportagem no Jornal Nacional. O técnico Mário Festa e o Prof. Dr. Carlos Morales explicam como é feita a medida de chuva (com o pluviômetro, como também vimos aqui) e o Prof. Carlos Morales explica  que de acordo com os dados observados, as chuvas estão ficando cada vez mais intensas e mais frequentes, ressaltando também que devemos mudar nosso comportamento para se adequar a esta nova realidade.

O que o Prof. Carlos Morales disse é baseado nos dados ilustrados pela Figura 1. Verificamos que apesar das variações de um ano para outro, a chuva na cidade de São Paulo tende a aumentar. E além dessa tendência a aumentar, a chuva causa cada vez mais estragos devido a impermeabilização da cidade. A quantidade de áreas verdes diminuiu muito ao longo dos anos. Hoje muitas pessoas moram em prédios, muito diferente do que era no passado, quando as pessoas moravam em casas térreas com amplos quintais. As ruas e as calçadas hoje em dia também são de asfalto e concreto, o que também é muito diferente do passado, quando ruas de terra e calçadas gramadas eram muito comuns.

Figura 1: Tendência de aumento da chuva na cidade de São Paulo-SP. Fonte: Estação Meteorológica do IAG-USP

O rápido crescimento da cidade fez com que duas coisas acontecessem:

1) As ilhas de calor, que podem favorecer a formação de nuvens de tempestade. As ilhas de calor favorecem o calor necessário para a formação de correntes ascendentes que formam as nuvens;

2) As áreas impermeabilizadas fazem com que a chuva não tenha para onde escoar, o que prejudica o ciclo hidrológico e favorece a formação de enchentes, que tanto prejudicam a população.

Apesar de sucinta, a reportagem ficou muito boa e bem explicada. Parabéns a TV Globo e aos profissionais envolvidos nesta reportagem.