Novos elementos químicos: 114 e 116



Tabela periódica dos elementos químicos. Fonte: Infoescola

A tabela periódica é uma forma de mostrar de maneira resumida as principais e mais importantes informações sobre todos os elementos químicos que existem. Os elementos químicos formam todas as substâncias que conhecemos, todas as coisas e organismos existentes. O corpo humano, os animais, os alimentos, os objetos, as estrelas e o ar atmosférico, por exemplo, são formados por elementos químicos. Um sinônimo para ‘elemento químico’ é a palavra átomo. Sendo assim, na tabela periódica, mostramos todos os átomos que existem no universo. E através dos átomos, formamos todas as substâncias existentes.

Na tabela periódica, cada elemento químico é separado por um quadradinho. Nesse quadradinho, são expostos o símbolo correspondente àquele elemento (H para Hidrogênio, He para Hélio, O para oxigênio, etc) e as principais características sobre aquele elemento: massa atômica, família, estrutura eletrônica, etc. Até a cor do quadradinho é uma informação: cada cor representa o tipo de elemento (se é metal, gás, semimetal, etc). Cada elemento químico da tabela periódica também possui um número associado, o número atômico, que também representa a quantidade de prótons do elemento. Alguns exemplos: o número atômico do Hidrogênio (H) é 1, o do Hélio (He) é 2, o do Oxigênio (O) é 8, o do Nitrogênio (N) é 7, etc.

Ou seja, uma forma muito simples, organizada e didática para visualizar e compreender cada um dos elementos químicos. O uso da tabela periódica é importante em diversas áreas da ciência. Em meteorologia, não poderia ser diferente. O ar atmosférico, objeto de estudo dessa ciência é composto por uma mistura de gases. Cada um desses gases, é composto por elementos químicos combinados. O gás oxigênio, por exemplo, é composto por dois átomos de oxigênio (representado por O2). O o dióxido de carbono, sempre mencionado em pesquisas sobre aquecimento global, é composto por dois átomos de oxigênio e um de carbono (representado por CO2). Falamos sobre a composição da atmosfera neste post e reproduzo aqui alguns gráficos que  utilizamos:

Os principais gases que compõe a atmosfera: N2 é o gás nitrogênio;O2 é o gás oxigênio e Ar é o gás argônio. 'outros' representam os gases que correspondem a menos de 1% da massa total da atmosfera. Veja esses gases na figura abaixo.

 

Os outros gases que compõe a atmosfera e que representam menos de 1% da massa total da atmosfera. São CO2 (gás carbônico); Ne (neônio); He (Hélio) CH4 (metano); H2 (hidrogênio) e Kr (criptônio).

Até aqui, falei superficialmente sobre a importância da química e da tabela periódica para a meteorologia. Você pode ler mais informações sobre a tabela periódica nesse site inteiramente dedicado ao assunto: TabelaPeriodica.Org, que é feito por professores de química. E foi desse site que veio o título desse post. Foram descobertos novos elementos químicos em laboratórios da Rússia e dos Estados Unidos. Os números atômicos desses dois novos elementos são 114 e 116. A existência de novos elementos químicos era prevista teoricamente, mas nos laboratórios os elementos puderam ser sintetizados. No ano Internacional da Química, em 2011, esses elementos foram apresentados à comunidade científica e novos nomes foram sugeridos: Fleróvio (com símbolo Fl) foi devido a uma homenagem ao cientista Georgy Nikolayevich Flerov, que fundou o laboratório de pesquisas na cidade de Dubna (Rússia) e Livermório (com símbolo Lv) tem origem na homenagem ao laboratório americano Lawrence Livermore, fundado em 1952.

O Prof. Martyn Poliakoff, químico britânico e professor da University of Nottingham, fez um vídeo muito interessante (aliás, veja todos os vídeos desse professor, são muito didáticos) explicando um pouco mais sobre esses dois novos elementos químicos e sobre os nomes escolhidos. Caso a legenda em português não apareça, basta clicar em CC.

Finalizo o post recomendando o site Tabela Periódica. Clicando em cada um dos elementos químicos, mais informações são apresentadas. As informações são apresentadas de maneira muito didática, explicando por exemplo onde certos elementos químicos de nomes desconhecidos são utilizados cotidianamente.

Eu citei a tabela periódica aqui no Meteorópole em outro post. Veja aqui.