Dust devil e a epifania religiosa

Eu já escrevi tantos posts no Meteorópole (ainda bem 🙂 e eu queria ter escrito mais) que às vezes fico me perguntando se já tratei de algum assunto. É claro que gosto de escrever várias vezes sobre o mesmo assunto, pois é natural que eu descubra novas formas de abordá-lo ou que eu descubra uma nova bibliografia que possa facilitar a compreensão.

Enquanto escrevia o post anterior, sobre o dustnado (ou ‘demônio de poeira’, também conhecido pelo termo em inglês dust devil), lembrei de um vídeo que vi há algum tempo. O fenômeno capturado no vídeo (um redemoinho, ou um demônio de areia, como eu disse, esses fenômenos tem vários nomes) é muito bonito. Como o redemoinho passa sobre o rio, a água é revolvida e pequenas gotículas são levantadas. Essas gotículas são então inteceptadas pela radiação solar e como resultado temos um pequeno arco-íris. É muito lindo. Veja o vídeo abaixo.

Eu jurava que já tinha falado sobre esse vídeo aqui no Meteorópole. Quando fiz uma busca pelos posts já publicados, constatei que não havia falado sobre isso. Na verdade, eu falei algumas palavras sobre o vídeo no fórum MeteoBrasil.Fiquei pensando os motivos que fizeram com que eu não falasse sobre o assunto. E me lembrei: a epifania religiosa do autor das imagens e de seus amigos e familiares.

Eu devo lembrar a vocês que não tenho nada contra religião alguma. E religião nem é o foco do nosso site, já que aqui falamos sobre ciência. Entretanto, eu tenho grandes reservas com relação ao fanatismo. O fanatismo faz com que as pessoas sejam tomadas por sentimentos exagerados e por impressões enganosas. O fanatismo também faz com que as pessoas continuem ignorantes, pois muitas delas acreditam que os livros sagrados e os líderes de suas religiões podem responder qualquer questão sobre o Universo.

Eu posso citar outras coisas horríveis que foram motivadas pelo fanatismo: guerras, mortes, sacrifícios, isolamento, destruição da biblioteca de Alexandria, etc. Mas não consigo citar nenhuma coisa positiva motivada pelo fanatismo. Peço aos leitores desse texto: sejam racionais! Não engulam qualquer afirmação como verdade. É importante questionar todo mundo e buscar informações em diversas fontes.

Na minha opinião, o autor do vídeo deixou de apreciar um belo fenômeno pois foi tomado por uma sensação quase que inebriante de delírio religioso. Uma pena.
Ah sim: eu não gosto de falar sobre religião. Não gosto mesmo! É o tipo de assunto que faz com que as pessoas entrem em choque umas com as outras, principalmente quando uma das pessoas envolvidas na conversa é fanática.

Ah sim, o fanatismo também impede a compreensão de textos e a compreensão de que todos podemos ter opiniões diferentes. Veja o que aconteceu da última vez que falei sobre religião, em 2009. Isso já faz 3 anos e até hoje recebo mensagens grosseiras ou de pessoas que nada compreenderam.