Início do inverno (no Hemisfério Sul)



O Sol se move através de uma linha imaginária no céu, chamada eclíptica.Alguns alunos se assustam quando digo que ‘o Sol se move’. Mas acalmem-se! Eu me refiro ao movimento aparente que o Sol descreve no céu, desde o nascer até o pôr-do-Sol. O plano da eclíptica não coincide com o plano do Equador Terrestre: na verdade, há um ângulo de aproximadamente 23,5° entre esses planos.

Figura 1: A linha de Eclíptica em verde escuro (com o Sol, representado pelo disco em laranja) e o Plano do movimento de translação em verde claro (Equador). Há um ângulo de 23° aproximadamente entre esses dois planos. O ponto vermelho representa o ponto vernal. Há dois pontos vernais no movimento do Sol ao longo da eclíptica e eles coincidem com os equinócios de primavera e de outono. Evidentemente, os elementos desta figura estão fora de escala propositalmente, para facilitar a compreensão.

Além dos pontos vernais, há outras duas singularidades no movimento do Sol ao longo da eclíptica: os solstícios. Eles ocorrem quando o sol atinge os pontos de maior declinação (em módulo: declinação de 23,5° e -23,5°):

Figura 2:Aqui utilizo a mesma figura utilizada anteriormente (Figura 1) mas destaco os pontos onde ocorrem o Solstício.

Então hoje, por volta das 20h09min (hora que programei este post para ir ao ar \o/), o Sol deverá estar no ponto rosa indicado por “Solstício de Inverno (Hemisfério Sul)” na figura acima. O Solstício de Inverno é apenas um marco astronômico. Por essa razão, não vamos sentir diferenças instantâneas nas condições meteorológicas. Ou seja, não vai esfriar instantaneamente, por exemplo.

A principal diferença sentida é na duração do dia claro.   Os dias claros (período entre nascer e ocaso) tem ficado cada vez mais curtos desde o início do outono e o disco solar tem cada vez mais se afastado do ponto vernal e se aproximado do ponto de Solstício de Inverno (veja Figura 1 e Figura 2).  O dia 20 de junho seria o dia em que o dia claro teria a menor duração. Eu digo que seria porque o efeito da refração da luz solar faz com que o esse fenômeno seja um pouco atrasado ou adiantado (alguns dias antes do dia 20 de junho ou alguns dias depois do dia 20 de junho).

Na maior parte do Brasil, a gente não consegue notar muito essa diminuição da duração do dia claro. Isso ocorre porque o Brasil está muito próximo do Equador Terrestre. E no Equador, a quantidade de radiação que chega na superfície varia muito pouco ao longo do ano.A curvatura da superfície da Terra faz com que este efeito seja mais evidente quanto mais próxima a localidade estiver do Pólo. No Hemisfério Sul, quanto mais próximo do Pólo Sul, mais evidente será esse efeito. Um morador de Bagé-RS deve ter percebido que a duração do dia claro tem ficado menor desde o equinócio de outono. Mas um morador de Natal-RN (oi Joana!) não deve ter percebido isso, pois a cidade fica muito próxima da linha do equador.

Figura 3- Situação que estamos vivendo no momento desta postagem: o Solstício de Inverno no Hemisfério Sul e Solstício de Verão no Hemisfério Norte. Repare que o Hemisfério Norte está recebendo mais luz solar. Repare também que as regiões em torno do pólo Sul ficam bastante escuras, ficando praticamente sem dia claro, onde o Sol aparece muito pouco, no horizonte. Por outro lado, nas proximidades do Pólo Norte, o Sol praticamente não vai se por e teremos o Sol da Meia Noite. Fonte: Wikimedia Commons
Figura 4: Essa é a situação oposta a Figura 3: Solstício de Verão no Hemisfério Sul e Solstício de Inverno no Hemisfério Norte. Repare que agora são as regiões vizinhas ao pólo Norte que recebem menos radiação. Nessa época do ano (que ocorre em torno do dia 21-23 de dezembro) na proximidades do pólo Sul, o Sol praticamente não se põe e temos o Sol da Meia Noite. Fonte: Wikimedia Commons

Além disso, vocês devem notar pelos noticiários que não é todo ano que o início do inverno ocorre no dia 20 de junho. Em alguns anos pode ocorrer no dia 21 ou no dia 22. Acontece que o período do movimento de translação não é de exatos 365 dias.

As datas e os horários dos equinócios (de Outono e Primavera) e dos solstícios (de verão e de inverno) não coincidem porque a Terra não faz um movimento com período de exatamente 365 dias em torno do Sol. O período é na verdade de 365 dias 5h e 48 minutos.

Também devo lembrá-los que aqui no Hemisfério Sul é o Solstício de Inverno, mas lá no Hemisfério Norte é o Solstício de Verão, pois é o Hemisfério Norte que está recebendo mais radiação solar neste momento, já que essa face do planeta está mais voltada para o Sol.

Correndo o risco de parecer repetitiva e para concluir esse post , volto a dizer: o solstício de inverno (que ocorrerá hoje às 20h09min) é apenas um marco astronômico. Vocês não sentirão mudanças instantâneas nas condições meteorológicas. O frio nas regiões Sul e Sudeste (regiões onde a temperatura média apresenta maior variação anual quando comparadas a Região Nordeste, por exemplo) vai continuar pelo menos até agosto ou setembro. Como sempre foi. Claro que essas mudanças são reflexo do movimento da Terra em torno do Sol (movimento de translação). Mas na natureza, as mudanças acontecem de forma gradual 🙂

Veja também os seguintes posts:

Post geral sobre Estações do Ano;

Início do Verão;

Início do Outono.