Ocorrência de raios em outros planetas

Aparentemente, duas condições devem ser satisfeitas para que ocorram relâmpagos em outras atmosferas planetárias: a existência de partículas de diferentes tipos ou com diferentes propriedades, como temperatura, demodo que cargas opostas possam ser acumuladas em diferentes partículas,e significante separação espacial entre estas partículas carregadas.
Naves espaciais têm mostrado que a Terra não é o único planeta onde ocorrem relâmpagos. Em 1979 a nave Voyager 2 observou relâmpagos em Júpiter e em 2004 a nave Cassini observou relâmpagos em Saturno. Em ambos os casos, os relâmpagos parecem ser bem mais intensos do que aqueles na Terra. Há evidências de que existam relâmpagos em Urano e Netuno.
Outros locais no sistema solar podem conter relâmpagos, tais como Vênus e os satélites, Io (o satélite mais interno de Júpiter) em associação com os vulcões ativos e Tritão (o maior satélite de Saturno),embora ainda não existam evidências conclusivas. Especula-se também quepossam ter ocorrido relâmpagos no passado remoto de Marte, associado às erupções vulcânicas. Talvez o estudo dos relâmpagos em atmosferas radicalmente diferentes, como destes planetas, possa nos ajudar a compreender melhor as conseqüências de sua existência em nosso planeta.

Texto e informações compiladas do ELAT.