Lua Azul (Blue Moon)



Trilha sonora para acompanhar o post:

Hoje teremos um fenômeno especial. A Lua Azul (em inglês, Blue Moon). Mas do que se trata?

O ciclo da lua dura mais ou menos 1 mês. Isso significa que em cada mês do ano (aproximadamente) temos Lua Crescente, Lua Minguante, Lua Nova e Lua Cheia. A Lua Cheia certamente é a que mais chama a atenção das pessoas.

Fonte: Wikimedia Commons

 

Em algumas situações pouco frequentes, temos 2 ‘luas cheias’ em um único mês. Isso ocorre com uma frequência de aproximadamente 1 vez a cada dois ou 3 anos. Quando isso ocorre, damos o nome de Lua Azul a segunda lua cheia daquele mês.

Eu disse logo acima que o ciclo lunar é de aproximadamente 1 mês. É, mas vamos ser exatos: o ciclo lunar é de 29,5 dias. Como alguns meses possuem 31 dias, é perfeitamente possível que a lua cheia apareça duas vezes. Como fevereiro é um mês com 29 dias, é o único que não pode apresentar uma lua azul.

E como o mês de fevereiro é um mês mais curto, há situações em que não há nenhuma lua cheia neste mês! Sim, isso pode acontecer quando a lua cheia acontece no final de janeiro e a próxima, no início de março.

Mas porquê o termo Lua Azul? Eu sempre ouvia falar, sempre achei interessante e sempre achei o termo esquisito, já que é bastante claro que a Lua não é azul de verdade. Então fui pesquisar a respeito e algumas informações na Wikipedia e em suas referências. Vou falar um pouco mais a respeito disso, é interessantíssimo.

Os primeiros registros do uso do termo ‘blue moon’ na língua inglesa datam de 1524. Era um panfleto que atacava violentamente o clero inglês, entitulado  “Rede Me and Be Not Wrothe” (“Read me and be not angry”), que em português seria “Leia-me e não fique nervoso”. No panfleto, era dito algo como:  “If they say the moon is belewe / We must believe that it is true” [If they say the moon is blue, we must believe that it is true], que em português significa “Se eles dizem que a lua é azul, devemos acreditar que é verdade”

Uma outra interpretação belewe na verdade pode significar ‘betray’, ou seja, trair. E neste momento de minha pesquisa, eu comecei a dar muitas risadas. Não tem a música do Calypso: “a Lua me traiu/acreditei que era para valer”. Pois é, estou com essa música grudada na cabeça, como proceder?

Prosseguindo. Por volta do século XVII, antes da reforma do calendário gregoriano, os cálculos medievais estavam dessincronizados com as fases da lua e com atuais estações do ano. Por essa razão, ocasionalmente a primavera do Hemisfério Norte iniciava e uma lua cheia ocorria um mês antes da primeira lua da primavera. Então, o clero precisava arrumar uma desculpa para a população e costumavam dizer que esta era uma ‘lua falsa’, que provavelmente chamaram de “betrayer moon” (belewe moon), em português ‘lua traidora”. Saber com exatidão o ciclo lunar era muito importante para os cristãos do passado, pois era assim que eles sabiam quando era o período da Quaresma, por exemplo.

Nos dias de hoje, é muito comum usar o termo ‘blue moon’ para se referir a absurdos ou impossibilidades. Por exemplo “só me caso com você quando a lua ficar azul”. Em português, costumamos usar o termo Dia de São Nunca, para denotar a mesma coisa.

Eu vi aqui um ótimo vídeo com o astrônomo Marcos Calil, que explica um pouco mais sobre este belo fenômeno:

O pessoal da UnivespTV que faz um programa semanal muito bom chamado “Céu da Semana” (falei sobre ele aqui), também fez um vídeo falando sobre o fenômeno:

Teremos lua azul hoje! E as condições meteorológicas na maior parte do Brasil são favoráveis. Ou seja, haverá pouca nebulosidade na maior parte do território brasileiro, principalmente na Região Centro-Oeste, que infelizmente ainda sofre com os efeitos da baixa umidade relativa. O lado bom da baixa umidade relativa é que em situações assim há pouca nebulosidade e será possível apreciar este fenômeno