Relâmpagos bola (ou raio-bola). Como se formam?

Já ouviram falar dos raios-bola (ou relâmpagos-bola)?

O fenômeno é caracterizado por parecer uma bola brilhante que normalmente tem um tempo de vida de poucos segundos. Algumas teorias indicavam que ele era formado quando os gases da atmosfera ficavam ionizados, o que normalmente ocorre quando os gases são submetidos a temperaturas elevadíssimas e é o que ocorre durante a propagação de uma descarga atmosférica.

No entanto, as teorias recentes indicam que os raios bola são uma conseqüência dos raios que se propagam sobre regiões ricas em silício. Basicamente, ao incidir sobre a superfície, a corrente elétrica que flui da nuvem em direção a superfície vaporiza o silício presente naquele local. Como o gás de silício está quente, ele sobe e começa a condensar e formar uma bola bem brilhante, com  duração de alguns segundos. Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) conseguiu reproduzir este fenômeno em laboratório. Na verdade, essa notícia não é recente: a pesquisa foi divulgada em um artigo da New Scientist de 2007. Infelizmente, esse artigo está disponível apenas para assinantes do conteúdo do site, mas a pesquisa e os profissionais envolvidos ganharam destaque neste site de divulgação da UFPE.

E encontrei um vídeo no Youtube mostrando o experimento desses pesquisadores:

Algumas pessoas julgam ter visto OVNIs, quando na verdade viram esse fenômeno. Relembre aqui alguns dos termos utilizados em Eletricidade Atmosférica. E veja aqui um excelente programa da Discovery.