Vida Real x Vida ‘virtual’



Não entendo como em 2012 e com a internet popularizada há algum tempo ainda existem pessoas que acham que a vida ‘virtual’ é completamente desvinculada da ‘vida real’. Na verdade, eu nem gosto do termo ‘vida virtual’. Creio que a internet é apenas mais uma forma de conversar com as pessoas. O que difere a internet de um telefone é que a internet possui a opção de compartilhamento de imagens e textos. O que difere a internet de uma carta é que a interação pela internet pode ser síncrona também, diferentemente da carta, que a gente tem que esperar a resposta.

A internet é uma ferramenta, com diversas finalidades. Aprendizagem, entretenimento, conhecer pessoas, conversar com pessoas que moram longe, etc. Tudo o que estou falando é bastante óbvio, mas minha intenção e falar sobre o relacionamento das pessoas pela internet. Eu tenho a impressão que justamente por acreditarem nessa divisão de vida real x vida ‘virtual’, algumas pessoas se esquecem de regras básicas de convivência.

Minha impressão é que alguns acreditam que na vida ‘virtual’ não há regras. É uma espécie de território livre, onde pode se fazer o que quiser. Então constantemente vejo todo tipo de desrespeito ao próximo: comentários preconceituosos de todo o tipo (homofóbicos, racistas, machistas, etc), ofensas, grosserias, perguntas constrangedoramente invasivas, etc. Alguns, na tentativa de serem engraçados, fala muito bobagem ofensiva e grosseira. Sempre que leio coisas assim fico pensando se aquela pessoa teria coragem de repetir as mesmas palavras pessoalmente, na frente de quem está agredindo e na maioria das vezes concluo que não teria coragem de forma alguma, pois acredita que no ‘território virtual’ tudo é permitido.

Alguns justificam seus comportamentos inaceitáveis com sinceridade. Eu tenho algumas palavras para dizer a estas pessoas:

Devemos saber que nosso direito termina, quando começa o direito do outro. Por mais que sejamos honestos, francos, sinceros, não podemos sair por aí agindo da forma como bem entendermos, achando que estamos amparados e protegidos por opiniões sinceras. Todos tem a sua verdade; eu tenho a minha, você que me lê, tem a sua. As divergências são naturais, cada um pensa de uma forma, e que bom que é assim. Imagina um mundo onde todos fossem exatamente iguais? Devemos então RESPEITAR o próximo, sermos honestos, sinceros, mas com o cuidado de não ferir o outro.

Leia mais aqui.

Temos que extrair o melhor da internet: aprender coisas novas, desconstruir preconceitos, desenvolver talentos,etc. Não permita transformar-se em alguém pior devido ao anonimato ou aparente distância da realidade.