Eu não aguento mais a Teoria de Conspiração do HAARP



Na verdade, eu não ia escrever um post sobre isso porque eu não aguento mais esse assunto. Basta acontecer uma tempestade intensa, um furacão com grande destaque internacional, um tornado ou qualquer notícia sobre mudanças climáticas que o assunto vem a baila: o HAARP.

Os Teóricos da Conspiração surgem de seus esconderijos para afirmar que o projeto HAARP é o grande responsável por aquele fenômeno meteorológico que está em destaque naquele momento (o tornado do Algarve, por exemplo).

Recentemente, disseram que o Obama usou o furacão Sandy para acelerar sua vantagem na corrida presidencial, que culminou com sua vitória. Isso é dito sem nenhuma prova, usando o nome do HAARP, uma sigla desconhecida pela maioria das pessoas, para causar pânico.

E o que é o HAARP? HAARP é uma sigla para High Frequency Ative Auroral Research Program. É um projeto de pesquisa da Universidade do Alaska (página oficial do projeto) com a finalidade de estudar a ionosfera e as auroras boreais.

O programa possui uma página didática, com explicações sobre a ionosfera. A ionosfera é uma camada localizada acima dos 70km de altura na atmosfera. A figura abaixo, retirada da página didática do HAARP, mostra que a maioria dos fenômenos meteorológicos ficam confinados nos primeiros 10-15km de atmosfera (em Weather Systems, faixa azul da figura). Essa é a região da troposfera, que é onde acontece TUDO (chuva, neve, furacões, tornados, ventanias, etc). È a região da atmosfera em direto contato com a superfície da Terra, onde vivemos e realizamos nossas atividades.

No entanto, as demais camadas da atmosfera também são de interesse do meteorologistas. Na estratosfera, por exemplo, é onde encontramos a camada de ozônio. E há uma série de estudos que mostram a relação entre o ar estratosférico e o clima que experimentamos na troposfera.

A ionosfera tem esse nome por ser uma camada composta por íons (partículas carregadas eletricamente). Esses íons fazem com que as ondas de rádio de até 30MHz sejam refletidos. Na prática, isso significa que ondas curtas de rádio possam ser transmitidas por longas distâncias, principalmente de noite, quando a ionosfera está mais estável já que não sofre a influência direta dos Sol.

Ou seja, a ionosfera é uma camada que gera muito interesse no setor de comunicações. Sua compreensão pode melhorar as comunicações aqui na Terra. E o estudo da ionosfera é um dos objetivos do HAARP, projeto que existe desde a década de 90, com uma série de torres espalhadas pelo Alaska e norte do Canadá. A instalação das antenas do HAARP nessas regiões deve-se às noites mais longas que ocorrem durante o inverno dessas regiões, quando comparadas a regiões com latitudes mais baixas. Além disso, é na i0nosfera que ocorrem as auroras (veja imagens recentes aqui), que ocorrem nas proximidades dos pólos.

Agora que você já sabe o que é o Haarp, eu me pergunto: como um projeto criado para estudar a ionosfera ganhou o status de arma geofísica ou de tema comum nas rodas de teoristas da conspiração? Façam uma simpes busca no google e vejam a quantidade de ocorrências sobre o HAARP, a maioria delas relacionadas a teorias da conspiração. Pura bobagem e desserviço. E eu tenho certeza que a maioria das pessoas que escrevem esses textos sequer entraram no site do projeto para saber do que realmente se trata. Um simples copiar-colar, infelizmente muito comum na internet.

Até artigos de blogs que considero conceituados, como este do Tecmundo, questionam o Haarp, atribuindo até a grande tragédia que foi o Terremoto do Haiti a este projeto. As consequências do terremoto do Haiti foram agravadas pela POBREZA E MISÉRIA. São palavras dolorosas e tristes, mas que refletem a realidade.

Ao que parece, toda essa questão conspiracionista envolvendo o HAARP começou com o desenho G.I. Joe: Resolute em que alguns vilões tentam transformar o projeto em uma arma de destruição em massa. Talvez tenha sido a partir daí que o projeto virou um dos temas favoritos entre os conspiracionistas. Eu particularmente tenho uma opinião de que essa “lenda” começou dentro do próprio HAARP: algum pesquisador engraçadinho decidiu espalhar o boato de que o HAARP era apenas um projeto de fachada. Acho que eu faria isso também, espalhar rumores é sempre divertido, e normalmente não temos noção alguma das proporções que um boato pode alcançar.

Espero com este breve post ter esclarecido a real finalidade do projeto HAARP. Acreditem em fontes seguras e busquem informações. Para escrever este post, li o conteúdo da página do HAARP e busquei conteúdo em páginas de outras instituições de ensino. Teorias da conspiração são interessantes apenas na ficção, não as traga para o mundo real.

Finalizo o texto com um trecho de Dragões do Eden (Carl Sagan o publicou em 1977). No Capítulo IX, Sagan escreve:

No último capítulo de A Escalada do Homem, Bronowski confessou-se entristecido “por me ver subitamente cercado, no Ocidente, por um sentimento de terrível perda de vigor, um distanciamento do conhecimento”. Na minha opinião, ele se referia parcialmente á muito limitada compreensão e apreciação da ciência e da tecnologia – que moldaram nossas vidas e nossas civilizações – nas comunidades públicas e políticas, mas também â crescente popularidade de diversas formas de ciência marginal, popular ou pseudociência, misticismo e magia.

Observamos hoje no Ocidente (mas não no Oriente) o ressurgimento do interesse por doutrinas vagas, anedóticas e muitas vezes experimentalmente errôneas que, se verdadeiras, anunciariam pelo menos um universo mais interessante, mas também que, se falsas, implicam um descuido intelectual, uma ausência do espírito de luta e um desvio de energias não muito promissor para nossa sobrevivência.

Entre essas doutrinas acham-se a astrologia (a opinião de que as estrelas a centenas de trilhões de quilômetros, que estavam subindo no momento em que eu nascia em um edifício fechado, influenciam profundamente meu destino), o “mistério” do Triângulo das Bermudas (que comporta muitas versões de que um objeto voador não-identificado atua nas imediações das ilhas Bermudas e faz desaparecer navios e aviões), os relatos a respeito de discos voadores em geral, a crença em astronautas vindos à Terra no passado, a fotografia de fantasmas, a piramidologia (inclusive a opinião de que minha lâmina de barbear fica mais afiada dentro de urna pirâmide de cartolina do que dentro de um cubo do mesmo material), a cientologia, auras e fotografias Kirlian, a vida emocional e as preferencias musicais dos gerânios,a cirurgia psíquica, a terra plana e oca,a profecia moderna,o entortamento de talheres a distância, as projeções astrais, o catastrofismo velikovswiano, a Atlântida e o Mu, o espiritualismo, e a doutrina da criação especial da natureza por Deus ou por deuses, apesar de nossa pio funda correlação, tanto do ponto de vista bioquímico quanto da fisiologia cerebral, com os outros animais.Pode ser que haja uma ponta de verdade em algumas dessas doutrinas, mas sua aceitação disseminada demonstra uma falta de rigor intelectual, uma ausência de ceticismo, uma necessidade de substituir as experiências pelos desejos.

Leia mais: