Dúvida dos leitores: Por que faz mais calor no Rio do que em São Paulo?

O @greevin, que já morou em São Paulo e hoje mora em Belo Horizonte (mas viaja muito para o Rio de Janeiro),  me perguntou:

Por que no Rio de Janeiro sempre é mais quente?

Quando consultamos a previsão do tempo, na maioria das vezes verificamos que a temperatura prevista para o Rio de Janeiro é sempre maior do que a prevista para São Paulo. A própria música já diz “Rio 40°C”. É comum observarmos temperaturas superiores a 40°C no verão carioca. Aqui em São Paulo isso é impensável! Nosso recorde absoluto é 35,9°C e aconteceu em 31 de outubro de 2012 (super recente!).

Gosto muito de comentar as condições meteorológicas de uma região falando das roupas que as pessoas estão usando. Reparem que no Rio de Janeiro, não apenas quando filmam a orla, mas também quando filmam as comunidades, as mulheres usam shorts e blusas curtas. Os homens muitas vezes são vistos sem camisa. Certamente há uma explicação para isso: as pessoas sentem-se mais confortáveis assim, devido ao excessivo calor. Além disso, quem vai ao Rio de Janeiro nota que há muitos aparelhos de ar condicionado (aquele modelo mais antigo, que fica para fora do prédio). Quando um local possui muitos aparelhos desse tipo, certamente o calor não é nada agradável.

Precisamos primeiro entender a localização geográfica das duas cidades. São Paulo fica um pouco mais ao sul do que o Rio de Janeiro. Quando mais próximo do equador terrestre uma  cidade está localizada, mais quente ela será, já que a radiação solar incidente é maior quando mais próximo for da Linha do Equador.

Visualizar Rio de Janeiro – São Paulo em um mapa maior
No entanto, tenho certeza que muitos já fizeram o trajeto São Paulo-Rio de carro ou ônibus e viram que não é tão longe assim (aproximadamente 6h). Ou seja, a distância entre essas cidades não é tão grande. Enquanto a latitude de São Paulo é aproximadamente 23°33′ S, a do Rio de Janeiro é aproximadamente  22°54’S .

Por isso precisamos lembrar de um outro elemento que determina o clima: a altitude. A maior parte da cidade do Rio de Janeiro está no nível do mar, enquanto São Paulo está a aproximadamente 700m-800m acima do nível do mar. A altitude é um fator determinante no clima. Há áreas da cidade do Rio de Janeiro com altitude de até 1000m, mas são picos de morros mais isolados. As partes mais habitadas são as mais próximas da elevação do nível do mar (0m).

La Paz, na Bolívia, é uma cidade que está bem mais próxima do Equador do que o Rio de Janeiro:

Visualizar La Paz Rio em um mapa maior

No entanto, La Paz é bem mais fria porque está a a 3600 m de altitude, aproximadamente.  Abaixo, usando médias climatológicas fornecidas pelo The Weather Channel, fiz o seguinte gráfico comparando as temperaturas médias máximas das três cidades mencionadas neste post:

twc6

Reparem como La Paz possui temperaturas médias máximas mensais mais baixas que a das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A altitude tem um efeito dominante neste caso, já que La Paz encontra-se bem mais próxima do Equador do que as outras duas cidades. Se não fosse a altitude, La Paz certamente seria uma cidade bem mais quente que Rio ou São Paulo.

Voltando a falar apenas de Rio de Janeiro e São Paulo, lembramos também que a geografia das duas cidades é completamente diferente. Mencionei aqui a altitude, e agora vou falar de algo que complementa este ponto. A gente também pode observar que o Rio de Janeiro é uma cidade confinada entre morros. Já São Paulo, encontra-se em um planalto. Estar confinada entre os morros, faz com que a circulação de ventos seja limitada.

Além disso, a ocupação urbana fez com que a temperatura média subisse nas duas cidades. Mas, no Rio de Janeiro aconteceu algo peculiar. As necessidades do mercado imobiliário fizeram com que grandes prédios fossem construídos nas avenidas que beiram o mar. Todo mundo quer vista pro mar e quanto mais alto for o apartamento, melhor a vista (e mais caro o imóvel). Esses prédios, além de alterarem as taxas de transferência radiativa e assim aumentarem o calor,  funcionam como uma ‘barreira’ para a brisa marítima. Sendo assim, os imóveis localizados em avenidas paralelas a as avenidas beira-mar acabam não recebendo o frescor da brisa. Além, claro, de não terem a maravilhosa vista para o mar. O calor é intenso nesses imóveis mais afastados do mar.