É o fim do mundo como conhecemos e eu me sinto bem*



No dia 21/12/2012 a internet se tornará um lugar insuportável. Os internautas ficarão fazendo piadinhas repetidas sobre fim do mundo e etc. Mas o que me preocupa na verdade são os fanáticos religiosos e as pessoas sem conhecimento. Eu fico preocupada com a ocorrência de tragédias guiadas pelo desespero e pela ignorância.

annoy
Fonte: Melhor página do Facebook, a do George Takei

Essa conversa de fim de mundo surgiu com um boato de que uma profecia Maia dizia que o mundo seria destruído em 21 de dezembro de 2012. Acontece que segundo o Dr. John Carlson, diretor do Centro de Arqueoastronomia  da NASA não existe tal profecia. Na verdade, segundo o Dr. Carlson, a verdade é mais interessante que a ficção.

Carlson é um cientista da área de radioastronomia e ganhou seu título de doutorado com o estudo de galáxias distantes. Ele se interessou por arqueoastronomia e pela história da civilização Maia lá pelos anos 70, quando viu uma palestra sobre o assunto.

Os Maias foram uma civilização muito rica e viveram na América Central. Construiram várias cidades, templos e pirâmides. No seu auge, por volta do ano 800, a população era de aproximadamente 800 pessoas por km² (como comparação, a densidade demógráfica de São José dos Campos-SP é de 575 pessoas/km²). Ou seja, as cidades maias eram pequenas metrópoles  cheias de vida. Os Maias desenvolveram a astronomia, uma elaborada linguagem escrita e deixaram um legado arqueológico que compreende diversos artefatos.

O desenvolvimento da contagem do tempo e de calendários está diretamente relacionado com o avanço da astronomia. Os maias desenvolveram um calendário complexo, que consistia em um sistemarotativo de base 20, com rotação de dígitos representando um ciclo de 20 dias. Essa repetição de 20 em 20 dias é a chave para o que julgam ser o ‘fim do mundo’.

De acordo com a teologia maia, o mundo foi criado 5125 anos atrás, uma data que usando nosso calendário corresponderia a 11 de agosto  de 3114 a.C. Naquele tempo, o complexo sistema de rotação do calendário maia indicava: 13.0.0.0. 0. Acontece que em 21 de dezembro de 2012, como o calendário tende a se repetir devido sua rotação, teremos a mesma marcação: 13.0.0.0.0.

Na linguagem usada pelos Maias, 13 13 Bak’tuns ou 13 vezes, 144,00 dias ocorreram entre as duas datas acima. Esse número é significativo para a teologia Maia, mas, segundo Carlson, não significa destruição. Nenhuma das inscrições encontradas nas ruínas e templos da civilização Maia faz qualquer alusão ao fim do mundo!

Mas vamos falar agora de ciência: a ciência moderna é claro que concorda que não haverá fim do mundo em 21/12/2012. Don Yeomans, chefe da equipe da NASA que monitora asteróides próximos da Terra, afirma que não há nenhum objeto em rota de colisão com nosso planeta. Segundo Yeomans, também não há nenhum planeta com movimento errático vindo em nossa direção (como falam naquele livro Hercolubus). Segundo o astrobiologista David Morrisson, se tivesse qualquer coisa estranha se aproximando do nosso planeta,  estamos em 19 de dezembro e é claro que a essa altura já estaríamos assustados com o brilho do objeto se aproximando! Não tem nada lá em cima.

Lika Guhathakurta, chefe do programa da NASA chamado Living with a Star (que estuda o Sol), diz que nosso querido astro rei também não é nenhuma ameaça. O Sol tem brilhado por bilhões de anos, bem antes do surgimento da civlização maia e continuou a brilhar após o declínio desta e de outras civilizações, mas nunca chegou perto de ameaçar a vida aqui na Terra.

Guhathakurta afirma que o Sol está no máximo de atividade em seu ciclo de 11 anos, mas segundo a pesquisadora, é o ciclo mais discreto dos últimos 50 anos! Ou seja, o máximo de atividade solar nem é tão significativo assim.

Carlson acredita que se a civilização Maia tivesse em seu auge nos dias de hoje, o dia 21/12/2012 seria uma data muito importante.Muitos maias acreditam que os deuses que criaram o mundo 5125 anos atrás retornariam. Um deles em particular, uma divindade chamada Bolon Yokte’ K’uh, voltaria para conduzir ritos de passagem que organizariam o espaço e o tempo, regenerando o cosmos. Sendo assim, o mundo seria renovado e não destruído.

Carlson também admite que tem esperado por 21/12/2012 desde a década de 70, quando começou a se interessar por Arqueoastronomia.Para ele, o dia 21/12 vai servir para “pensar no legado da civilização Maia e em seu poder, quando os antigos contemplavam o tempo além dos horizontes dos dias de hoje”

Fonte

Com informações da NASA.

*R.E.M