Experiência 7: Manipulando dados meteorológicos



O objetivo dessa experiência (que eu nem classificaria como uma experiência, mas sim como uma atividade) é fazer com que os alunos compreendam, através da dados, que distintas localidades do mundo possuem climas diferentes. Essa atividade também proporcionará o aluno um breve aprendizado sobre análise de dados e sobre o uso de algum software de criação de gráficos. Os softwares que recomendo aqui são os aplicativos de planilhas do Open Office e o Br Office, pois são programas gratuitos. No entanto, sei que muitas escolas possuem o Microsoft Excel (que vem no Microsoft Office) instalado em seus computadores, então a atividade pode ser desenvolvida no próprio Microsoft Excel.

Infelizmente é muito difícil obter dados meteorológicos. A maioria das instituições ainda tem muita resistência em liberá-los livremente. Mas para esta atividade, usaremos apenas médias climatológicas.  Essas médias climatológicas são disponibilizada livremente no site do The Weather Channel. Apesar da rede ser britânica, o site também está disponibilizado em portugês e possui dados de localidades de todo o mundo. Para obter essas médias, basta clicar diretamente no link “Médias e Registros“.

twc

Digite o nome da cidade na localidade correspondente. Sugiro ao professor que escolham a cidade onde estão. Depois disso, escolham cidades distintas. Por exemplo, se sua escola está no Rio Grande do Sul, escolha também uma cidade da Região Norte. Escolha cidades localizadas em altitudes  diferentes (pode escolher uma cidade andina, como La Paz) e também em hemisférios diferentes.

Ao escolher a cidade, surge uma tabela com as informações das médias climatológicas mensais de temperatura máxima, temperatura mínima, temperatura média e precipitação (chuva) no primeiro bloco. No segundo bloco, há as informações dos últimos dias: horário de nascer e por do sol, média das máximas, média das mínimas e média. Veja exemplo abaixo, para a cidade de Bagé-RS:

twc2

Para a atividade que proponho nesse post, utilizaremos as médias climatológicas, ou seja, as informações do primeiro bloco. O segundo bloco, como eu disse, são dados referentes aos últimos dias. Eles podem ser usados em outra atividade: por exemplo, a escola pode ter uma estação meteorológica automática instalada em suas dependências. E os dados da estação meteorológica da escola podem ser comparados com os fornecidos pelo The Weather Channel (que no caso do Brasil, trata-se de dados do INMET, na maioria das vezes).

O professor deverá copiar os dados do primeiro bloco e colá-los no programa escolhido para fazer os gráficos. Vamos supor que seja o Microsoft Excel. Fiz alguns testes em meu computador e concluí que se você selecionar todas as informações do primeiro bloco, da seguinte maneira:

twc3

Basta dar o comando ‘copiar’ (ou Ctrl + C ). E em seguida, dentro do Microsoft Excel, dê o comando ‘colar’ (ou Ctrl + V ).

twc4

Agora vamos ter um pouco de trabalho. O Microsoft Excel não vai conseguir fazer os gráficos se as unidade (°C e mm) estiverem presentes na frente do número. Por isso, será necessário apaga-las:

twc5

Para fazer o gráfico (creio que a maioria dos meus leitores já sabem), basta seguir este tutorial. Estou sugerindo o Microsoft Excel porque embora seja um programa pago, é o mais popular, já que é da Microsoft, mesma empresa que faz o Windows, SO mais popular. No entanto, a atividade pode ser feita com qualquer programa de criação de gráficos.

Não esqueçam de colocar título no gráfico e no eixo y. Abaixo, um gráfico que fiz para 3 cidades diferentes. O legal é que colocando médias de cidades diferentes em um mesmo gráfico, é possível compará-las.

Entenda a unidade mm (milímetros) usada para precipitação aqui. A temperatura média máxima é a média calculada usando a maior temperatura (a temperatura máxima) de cada dia ao longo do período de interesse. A temperatura média mínima é a média calculada usando a menor temperatura (a temperatura mínima) de cada dia ao longo do período de interesse. E a temperatura média é aquele calculada usando todos os valores observados ao longo do período de interesse.