Cabeça D’água? O que é isso???



Meus amigos Carla e Vlamir compartilharam a seguinte notícia

RJ: alagamentos foram causados por cabeça d’água, diz secretário

Gente, o que é cabeça d’água? De onde veio esse termo? De onde isso apareceu?

Não gosto de comentar nomenclaturas, pois lembro da polêmica envolvendo o termo furacão, se o fenômeno Catarina era ou não um furacão.  O importante é tomar medidas mitigatórias usando o poder da previsão, independemente do nome que se dá ao fenômeno. Até porque certos fenômenos são conhecidos com nomes regionais bastante específicos.

Mas o nome ‘cabeça d’água’ não faz nenhum sentido. Meu amigo Vlamir, com seu humor sem-noção, perguntou se era hidrocefalia. Quase morri de rir. Em inglês, esse tipo de enchente chama-se flash flood. São enchentes que ocorrem muito rapidamente, normalmente quando uma tempestade intensa ou degelo repentino ocorrem na cabeceira do rio. Com isso, muita água é despejada no rio em um intervalo de tempo muito pequeno. Esse volume imenso de água desce a correnteza, provocando enchentes rápidas e de grandes proporções.

Por isso, a previsão do tempo e o monitoramento do nível d’água em diversos pontos do rio são essenciais. A previsão de curto período de tempo, o nowcasting, que são modelos de previsão do tempo aliados a observações de radar meteorológico, fornecem a informação do horário, local e volume da chuva. O monitoramento do nível d’água ajuda a determinar se está subindo rapidamente, sendo possível agir emergencialmente se for o caso.

Essas medidas poderiam ter minimizado os danos dessas enchentes em Xerém-RJ.

Percebam que em inglês o nome é flash flood. Livros de hidrologia brasileiros chamam o fenômeno de enchente relâmpago. Eu não consegui entender o termo cabeça d’água (além de pessoalmente achá-lo horrível). Teria a ver com o fato da cheia começar na cabeceira do rio? Pode ser. Gostaria de entender. Se eu descobrir, conto para vocês.

 P.S.: Vivendo e aprendendo, já dizia a minha avó. Eu bem que desconfiava: cabeça d’água é um termo bem regional, usa-se muito no Rio de Janeiro. Encontrei algumas notícias antigas sobre o assunto. Em 2008, uma enchente relâmpago aconteceu em Guapimirim, também no RJ. Essa notícia da Folha de São Paulo fala sobre este caso. Sei que para a maioria dos meus leitores a diferença entre tromba d’água e cabeça d’água está bastante clara, mas essa reportagem do G1, que fala sobre o mesmo caso de Guapimirim, explica a diferença.

Espero que ninguém tenha ficado chateado comigo por dizer que o termo ‘cabeça d’água’ é feio…rs. Eu realmente prefiro enchente relâmpago ou enchente instantânea. Questão de preferência pessoal e como eu já disse anteriormente, isso não é importante. O importante é prever o fenômeno e tomar medidas rápidas para evitar mortes e minimizar os danos materiais.