Dica do dia – WeatherBase, site com informações para viajantes



Quem gosta de viajar, como é meu caso, costuma planejar o passeio com bastante antecedência. Além de programar-se financeiramente, o planejamento ajuda a evitar ou pelo menos minimizar imprevistos.

Conhecer o clima da região é parte do planejamento. Ninguém quer passear ao ar livre durante a chuva, então conhecer o clima ajuda a saber em qual época do ano as chuvas estão concentradas. Além disso, nem todo mundo gosta de passear no frio, então conhecer as temperaturas médias da região de interesse também é bastante importante.

Vejam, conhecer o clima de uma região ajuda no planejamento a longo prazo Conhecer a previsão do tempo ajuda a  organizar a bagagem, então ajuda no planejamento de curto prazo. Por exemplo, suponhamos que após um longo planejamento vocẽ escolheu viajar para Miami no mês de junho, pois é verão na cidade. Vamos acelerar no tempo e supor que já estamos em junho e sua viagem será semana que vem. Então conhecer a previsão do tempo para a próxima semana em Miami vai te ajudar montar a mala: vai verificar see guarda-chuva, capa de chuva, sapato, roupas leves, casacos leves, etc são necessários.

Estou falando essas coisas para mais uma vez bater na tecla da diferença entre tempo e clima. Leia o post dedicado a esclarecer estes dois termos.

Mas o que é o WeatherBase? É um site que agrega informações de médias de diversas cidades ao redor do mundo. As médias estão diretamente relacionadas com o clima. Assim, o WeatherBase é um site que vai te ajudar a programar sua viagem em longo prazo.

Vamos supor que você sonha em viajar para o Egito e você pretende juntar uma grana para fazer isso daqui 2 anos. Para ficar mais perto do seu sonho, que tal já ir conhecendo o clima da região? Assim, você pode escolher melhor a época para viajar. Pode inclusive tentar conciliar essa escolha meteorológica com a escolha financeira (época com menos procura por pacotes, mais barata) e também tentar conciliar com seu período de férias.

E já que falamos de Egito, vou usar a cidade do Cairo como exemplo. A tabela abaixo é como os resultados são apresentados:

Screenshot

 

A primeira linha mostra as médias mensais de temperatura, a segunda as médias mensais das temperaturas máximas (período mais quente e a terceira linha mostra as médias mensais das temperaturas mínimas (período mais frio do dia).

Quem gosta de calor, deve viajar para o Cairo nos meses de maio até setembro (segunda linha). Quem gosta de frio, deve viajar para o Cairo nos meses de novembro a fevereiro. Com relação a chuva (quarta linha) percebemos que chove pouquíssimo na cidade. A média anual é de apenas 20mm. Apenas como comparação, a média anual aqui na cidade de São paulo é algo em torno de 1300mm e 1400mm!!! Vejam só a diferença.

A quinta linha nos mostra os recordes anuais de máxima temperatura. E vemos por ali que a temperatura tem chances reais de ultrapassar os 40°C! Salve-se quem puder!!!

A sexta linha mostra os recordes anuais de mínima temperatura. E podemos ver que com alguma sorte, a temperatura pode ficar inferior aos 5°C.

A sétima linha dá um dado interessante: número médio de dias com temperatura acima dos 32°C. Essa informação é valiosa, pois nos ajuda a determinar melhor a época do ano em que as temperaturas são realmente altas. Os meses de junho a agosto são de fato os mais quentes (como já havíamos concluído pela média mensal máxima, na segunda linha).

A oitava linha mostra os recordes mensais de chuva. E a gente vê que o período de junho a agosto tem uns risquinhos. É gente, é comum não registrarem nenhuma gotinha d’água nesta época do ano. Estou pensando nisso + calor. Não me parece um cenário agradável. Vejam, é minha opinião pessoal. Sei que muita gente adora um dia completamente ensolarado.

A nona linha mostra a umidade relativa média durante a manhã e a décima linha mostra a umidade relativa média durante a tarde (horário em que a umidade relativa é mais baixa). A Organização Mundial da Saúde informa que abaxo dos 30% nosso organismo costuma ficar prejudicado. Mucosas ressecadas, pessoas que tem problemas de alergia tem o quadro agravado, etc. Reparem que os meses de abril a junho tem valores médios bem baixos de umidade relativa. Se a média é baixa assim, deduzimos que é muito comum ter dias com baixa umidade relativa nesses meses.

A décima primeira linha mostra o ponto de orvalho, uma grandeza que também está relacionada com a quantidade de vapor d’água no ar (leia mais aqui). E a décima segunda linha mostra a velocidade média mensal dos ventos.

Como vocês podem ver, usei essas informações do Cairo como exemplo para que vocês possam fazer o mesmo para qualquer cidade da base de dados do WeatherBase. Também sugiro o site como dica de atividade para professores de geografia. Escolha cidades em continentes diferentes, em altitudes diferentes e com continentalidades diferentes. Peça para que seus alunos pesquisem no site e façam um breve relato sobre aquela localidade. O aluno pode inclusive fazer um climograma (usando as informações de temperatura média e de precipitação média), como o que eu fiz para a localidade de Bagé-RS:

Climograma de Bagé-RS
Climograma de Bagé-RS

E sabem o que eu mais gostei do WeatherBase? Além da informação ser apresentada de maneira bastante direta e simples (mesmo em inglês, é de fácil compreensão), as unidades padrão do site são Sistema Internacional. Chega de sites americanos nos apresentando dados em °F ou in!

Espero que tenham gostado desta dica 🙂

P.S.: Eu estive explorando mais o WeatherBase agora há pouco e noite possibilidades fantásticas que não tinha mencionado quando comecei a escrever o post. Estive usando o WeatherBase para escrever um post que logo mais entra no ar e envolve a cidade de Bauru-SP. Tirei um print da página para vocês entenderem (cliquem nela para ampliar):

Untitled 2

Além dessas pequenas coisas que descobrir ao ‘fuçar’ no site, reparem que há um pequeno ícone azul ao lado de “Years on record”. Esse ícone azul permite que você faça um gráfico daquela variável.  O gráfico de temperatura média, por exemplo, sai assim:

Untitled 4

Bonitinho, né? Entenderam porque estou apaixonada por este site? Ele é perfeito, possibilita planejamento de atividades a longo prazo (viagens, eventos ao ar livre, etc) e fornece um material ótimo para que professores de geografia usem em sala de aula. Eu já falei sobre o uso de dados meteorológicos em sala de aula neste post, onde sugiro uma atividade.

Claro que ele não tem dados horários de todas as cidades e nem disponibiliza tudo, na íntegra. Além disso, para atividades acadêmicas (publicação de artigo) ou tomada de decisões sérias (construção de uma barragem, por exemplo), não é recomendável. Um meteorologista deve ser ouvido em situações assim, até porque o profissional vai determinar qual estação meteorológica (em termos de localização, confiabilidade e tipo) é a mais adequada para aquela aplicação. E é o meteorologista que vai analisar os dados e fazer um relatório definitivo. O profissional é capacitado para isso.