A energia eólica já é responsável por 30% da matriz energética dinamarquesa

Sim, existe um lugar onde o governo e a população são inteligentes e investem em fontes de energia que causam pequeno impacto no ambiente. Esse local é a Dinamarca.

Notícias recentes foram publicadas sobre esse assunto. No final de 2012, mais de 30% da energia gerada e consumida na Dinamarca era de origem eólica. É sem dúvida um exemplo para todo o mundo!

A imagem abaixo (encontrei aqui) é uma fotografia tirada em Jutland, na Dinamarca. É sem duvida uma fotografia inspiradora. O mundo todo poderia ser assim: fontes de energia pouco poluidoras, uso da bicicleta, vida feliz e saudável 🙂

5145061-young-woman-relaxing-and-enjoying-the-sun-on-a-bike-trip-in-the-countryside-of-jutland-denmark-wind-

Encontrei diversas fotografias mostrando as turbinas eólicas dinamarquesas e fiquei bastante impressionada com imagens que mostravam as turbinas instaladas no mar, provavelmente bem próximo a costa. Isso certamente é uma vantagem para um país com território pequeno. Nesse site oficial do governo dinamarquês, encontrei uma famosa imagem com turbinas instaladas no mar:

V90-3MW_Robin_Rigg

Além disso, há uma outra razão bem clara para instalarem essas turbinas no mar. Fizeram um estudo eólico, mostrando em quais áreas do país a velocidade do vento era mais forte. Esse estudo foi feito usando uma enorme quantidade de dados observados de estações meteorológicas e usando também simulações meteorológicas especificamente de vento, usando modelos como WAsP e WindPro [1]. O estudo resultou no mapa abaixo, que está em dinamarquês (encontrei o mapa aqui) mas ainda assim é bastante claro: as áreas em laranja e vermelho mostram os locais onde a velocidade do vento é maior (acima de 9m/s):

Resmap_100m-5red

 O objetivo do governo dinamarquês é que 50% do consumo de energia elétrica seja de origem eólica em 2020. E eles são super ambiciosos: li que em 2050 pretendem que 100% da matriz energética dinamarquesa seja de origem eólica. No entanto, é importante lembrar que a energia eólica não é constante (não é sempre que o vento tem intensidade suficiente para produzir energia). E esse objetivo só será atingido se a tecnologia de produção de  turbinas melhorar ainda mais e se o consumo de energia elétrica se modernizar. Se eles considerarem essas questões e também investirem em  energia solar residencial,  certamente atingirão este objetivo.

No final da década de 70, a Dinamarca passou por uma crise de energia. Esse pequeno país dependia muito da produção de energia de outros países, pois precisava de combustível para fazer com que suas termoelétricas funcionassem. As emissões de dióxido de carbono eram muito elevadas, uma vez que a maior parte de sua matriz energética dependia de carvão. Nos anos 80, muitas pesquisas já indicavam que a temperatura média da Terra estava subindo em decorrência de nossas emissões de gases estufa.

O país começou a investir em fontes de energia renovável, principalmente energia eólica. Com um grande incentivo financeiro do Estado, a quantidade de turbinas instaladas aumentou rapidamente, assim como a tecnologia para implantá-las. Hoje, a Dinamarca exporta tecnologia para outros países. As principais companhias do setor são Vestas e Siemens Dinamarca.

[1] Leia mais aqui.