O vulcão Toba: talvez seja o exemplo mais dramático de como os vulcões influenciam no clima

Eu gostei tanto do meu post anterior que decidi continuar a falar sobre o assunto. Agora vou falar sobre o vulcão Toba e eu sei que já tem gente com trocadilhos engraçadinhos, porque minha mente de 10 anos de idade também pensou nisso  quando ouviu falar deste vulcão pela primeira vez em 2005 (acho que foi 2005).

Eu estava assistindo uma palestra do Prof. Dr. Fábio L.T. Gonçalves, especialista na área de biometeorologia. É uma palestra que o Prof. Fábio repete quase que todos os anos, pois é muito interessante (cheguei a divulgá-la aqui).  Segundo o Prof. Fábio , a erupção do vulcão Toba foi tão intensa que reduziu drasticamente a população de seres humanos e outros animais.

O supervulcão Toba entrou em erupção por volta de 70.000 – 80.000 anos atrás. Era um vulcão localizado onde hoje é o Lago Toba, na Ilha de Sumatra, Indonésia:


Visualizar Lake Toba em um mapa maior

Em 1993, a jornalista científica Ann Gibbons sugeriu que a super erupção teria alguma relação com efeito gargalo [1] na evolução humana. O efeito gargalo pode acontecer em qualquer espécie, e é quando uma quantidade significativa de indivíduos de uma mesma espécie morre ou é impedido de se reproduzir.

Vocês se lembram quando falei do Genocídio em Ruanda, quando recomendo o livro Sobrevivi para Contar? Na ocasião, mostrei um gráfico da evolução da população ruandesa:

Os impactos do massacre podem ser observados nesta curva de evolução da quantidade de habitantes de Ruanda (no eixo X, em milhões). Repare essa depressão na curva, na segunda metade dos anos 90. Fonte: FAOSTAT, 2004 [1]

Os impactos do massacre podem ser observados nesta curva de evolução da quantidade de habitantes de Ruanda (no eixo X, em milhões). Repare essa depressão na curva, na segunda metade dos anos 90. Fonte: FAOSTAT, 2004 [1]

A revista Time, na época, chamou o episódio de ‘efeito gargalo’ na população de Ruanda. Guerras, epidemias e fome podem ser considerados causadores de ‘efeito gargalo’.

Mas vamos voltar ao caso do vulcão Toba. Após Ann Gibbs ter aventado esta hipótese em 1993, alguns pesquisadores deram suporte a sua ideia. No entanto, a hipótese do efeito gargalo causado pela erupção do vulcão Toba não é algo  totalmente aceito na comunidade científica. E acreditem, isso não é ruim: o consenso científico existe em poucas situações. Toda discussão, com argumentos sólidos é super bem vinda. Argumentos sólidos. E é por isso que este blog já criticou criacionistas, negacionistas do aquecimento global e outros tipos de pseudocientistas.

Como eu disse anteriormente, a erupção do Toba deve ter ocorrido há mais de 70 mil anos. Esses números não são exatos. porque depende do método de datação utilizado. Para datar rochas, os cientistas utilizam métodos radiométricos. Chesner at al (1991)[2], usando o método K-Ar datou a ocorrência do Toba (ele estudou as rochas da região do Lago Toba) em 73,000±4,000 anos.  Ou seja: alguma coisa entre 69.000 anos e 77 mil anos.

Para vocês terem uma ideia da magnitude da explosão do vulcão Toba, a quantidade de material ejetado na explosão foi 100x maior que a quantidade de material ejetada na erupção do Monte Tambora (que foi o principal responsável pelo Ano sem Verão, de 1816[4]), de acordo com Petraglia et al (2007)[3]. Se a quantidade de material liberada pelo  Toba (e eu não consigo parar de rir dessa coincidência de nomes) foi 100x maior que a liberada pelo Tambora – e o Tambora foi responsável por frio, fome, revoltas, etc – imagine então o potencial do Toba.

Os especialistas estimam que na média, todo sul da Ásia ficou coberto por aproximadamente 15cm de cinzas vulcânicas. Testemunhos de gelo retirados do norte da China e até na Groenlândia mostraram indícios do Toba! [5]

Os especialistas acreditam que há 70 mil anos, o planeta Terra já estava em fase de resfriamento. Ciclos naturais de resfriamento (temperaturas médias mais baixas) e aquecimento (temperaturas médias mais altas) são normais. Esses ciclos podem ser causados por diferenças na atividade das manchas solares e principalmente pelos ciclos de Milankovitch. Não vou entrar em detalhes sobre esses ciclos porque eles valem um post só para eles. Os ciclos de Milankovitch compõe a teoria mais aceita hoje em dia para explicar as eras glaciais, já que eles são responsáveis por um aumento ou diminuição significativos na quantidade de radiação solar que chega na Terra. Para vocês terem uma ideia, a inclinação do eixo Terrestre com relação a eclíptica pode variar de 22,1°C até 24,5°C, dependendo da fase do ciclo. Atualmente, o eixo está com uma inclinação de aproximadamente 23,5°C. Quanto menor a inclinação, menor a faixa tropical do planeta.

Bom, o planeta já estava numa fase ruim, de resfriamento. Os especialistas acreditam que a explosão do vulcão Toba (e chamam de explosão e não e erupção porque o vulcão já era, ele não existe mais, realmente explodiu) deu uma ajudinha para o frio. A temperatura média do planeta pode ter caído 3°C-5°C. Não parece muito, mas estou falando em médias. Imagine então que podem ter ocorrido eventos de frio extremo, que ajudaram a reduzir a média. Mas como eu disse anteriormente, não há um consenso científico.  Oppenheimer (2002), por exemplo, acredita que uma queda de 3°C-5°C é muito alta e de acordo com suas análises, a redução de temperatura deve ter sido apenas 1°C. [6]

Alguns especialistas acreditam que o frio intenso foi suficiente para reduzir severamente a população humana. Muita gente morreu de frio! De acordo com a teoria do ‘efeito gargalo’, o frio intenso provocado pela explosão do vulcão Toba pode ter sido responsável pela redução do número de habitantes de nosso planeta. A maioria das estimativas diz que restaram menos de 10.000 indivíduos. Algumas estimativas mais dramáticas falam que restaram menos de 3000 seres humanos. Se essas estimativas estiverem corretas, siginifica que os cerca de 7 bilhões de habitantes do mundo são descendentes destes 10.000 indivíduos, que sobreviveram em condições extremamente adversas.

Se essas teorias sobre o efeito gargalo provocado pelo Toba estiverem corretas, tivemos um disastre ecológico de grandes proporções, pois grande parte da vegetação do planeta teria perecido em decorrência do frio intenso. Sem vegetação em abundância, diversas espécies de outros mamíferos também teriam morrido.

Segundo os especialistas, a maioria dos sobreviventes humanos do Toba teriam vivido no continente africano, e depois migraram para outras partes do mundo. Análises do DNA mitocontrial mostram que uma grande migração partindo da África ocorreu entre 60.000 e 70.000 anos atrpas, consistente com a época em que pode ter ocorrido a explosão do vulcão Toba[7].

Há diversos estudos sobre o assunto e não há um consenso geral. Sabe-se que a erupção ocorreu e os especialistas já sabem que grandes erupções vulcânicas tem efeitos no clima do planeta. Não há um consenso geral com relação aos impactos do vulcão Toba. Houve realmente um efeito gargalo? Se houve, ele foi realmente significativo? Vários artigos tentam explorar essas idéias. Separei uma lista com os artigos de onde tirei as informações para este post e também separei alguns links com mais informações e que referenciam outros artigos sobre o assunto.

Também achei o documentário Super Vulcões, do Discovery Channel, que fala sobre o vulcão Toba :). E esse documentário é legal porque fala de Yellowstone, fala do Monte Santa Helena e fala de outros vulcões que se entrassem em erupção, trariam impactos globais.

Bibliografia e fontes

[1] Leia mais sobre Efeito Gargalo aqui.

[2] Artigo aqui.

[3] Artigo aqui.

[5] Aqui gostaria de ressaltar algo muito importante e que talvez eu não tenha deixado muito claro no post anterior. É claro que as estações do ano astronomicamente falando continuaram existindo. Ou seja, a Terra não deixou de girar em torno do Sol e seu eixo de inclinação continuou basicamente o mesmo. Em erupções vulcânicas de grande impacto (como o caso do Toba ou do Tambora), acontece que a quantidade de aerossóis em suspensão é tão grande que mesmo durante o período de verão, a radiação solar não consegue atingir a superfície da Terra.

[5] Aqui.

[6] Artigo aqui.

[7] Artigo aqui.

Leia mais aqui (Toba Volcano 5. Through the Bottleneck) .

Leia mais aqui (Toba Catastrophe Theory)