Escala do Universo Conhecido

Ontem meu irmão compartilhou um vídeo muito bem feito e didático com a escala do universo conhecido. É um vídeo produzido pelo Museu Americano de História Natural (American Museum of Natural History) em parceria com o Rubin Museum of Art.

O vídeo começa no Himalaia, cadeia de montanhas na Ásia onde está localizado o Monte Everest, o ponto mais alto de nosso planeta. É como se uma câmera imaginária iniciasse uma filmagem por ali e então fosse se afastando cada vez mais. Chega um ponto em que a Terra fica pequenininha, dando lugar às estrelas mais próximas e às galáxias. Claro que sempre que há um vídeo desses a gente pensa no quanto nosso planeta é insignficante perante todo o Universo, porém tão importante e único (até onde sabemos) para nós.

Há diversos vídeos semelhantes pela internet. Um outro, que ficou famoso um tempinho atrás, faz comparações de tamanhos. Compara o tamanho da Terra face ao tamanho do Sol. Depois compara o Sol com outras estrelas conhecidas que são muito maiores:

No vídeo acima, abaixo do nome de cada estrela, há a distância em anos-luz de nosso Sistema Solar. Ano-luz é uma unidade para medir distância e corresponde a distância percorrida pela luz em um ano.

Como a velocidade da luz é de aproximadamente 300.000.000 m/s, e como em 1 ano temos 31536000 s (para encontrar esse valor, basta multiplicar 365*24*60*60, ou seja, 365 dias, por 24 horas, por 60 minutos, por 60 segundos e então encontramos o total de segundos em 1 ano), temos então:

gif.latex

Ou seja:

1 ano-luz = 10000000000000000 m = 10000000000000 km

Rigel,  exemplo que aparece no vídeo, é uma estrela localizada a 800 anos-luz de nosso Sistema Solar. Ou seja, ela está a 8000000000000000 km de distância de nós. É tanto zero que eu posso até ter escrito errado, por isso em medidas científicas utilizamos a notação científica, que significa que expressamos tudo em base 10, como no cálculo que fiz acima.

Em astronomia, costumam medir a distância em anos-luz porque imaginem a quantidade de potências em base 10 necessárias para expressar as distâncias entre as estrelas e galáxias. O ano-luz facilita muito o trabalho.

Já aqui na Terra, a gente usa o S.I. mesmo. E mesmo usando m e km, unidades que estamos bem acostumados, já noto que  é difícil entender o tamanho da Terra. Uma pessoa que faz um vôo daqui até a Austrália demora mais de 18h. Quando falo durante as palestras que um furacão pode ter um diâmetro de mais de 600km (como foi o caso do Sandy), já percebo que alguns ouvintes ficam de boca aberta. Imaginem então entender o tamanho do Sol, de outras estrelas ainda maiores, do Universo… São escalas tão colossais que a gente nem consegue entender direito. Eu me sinto uma formiguinha.

P.S.: Acho que já dei essa dica por aqui antes, mas a equação em que chego na definição de ano-luz foi escrita usando este editor online de LaTeX, ideal não apenas para quem trabalha com LaTex, mas também para quem precisa escrever uma equação e postar em seu blog, por exemplo. É muito fácil de usar, você pode salvar a equação num arquivo .gif ou incorporá-la em seu texto, a partir de um código. Recomendadíssimo 🙂