Tem espaço pra todo mundo :)

Esse texto aqui é uma “indireta do bem”. Eu decidi escrevê-lo depois de presenciar um caso específico, mas tenho certeza que vale para diversas situações.

O acesso à internet é algo tão comum atualmente que qualquer comentário ou observação que eu fizer a este respeito talvez se converta em clichê ou lugar comum. Qualquer pessoa pode expor suas ideias em redes sociais ou através de um blog. Eu me comunico semanalmente com vocês por aqui e acho isso fantástico. Fico pensando que há 20 anos atrás isso seria impensável. Eu teria que escrever um livro ou ser colunista de um jornal para fazer o mesmo. A internet dá visibilidade para o trabalho de muitas pessoas, que não teriam a oportunidade de usar estes outros meios.

Além disso, a internet possibilita uma pluralidade de opiniões. Eu escrevo aqui no Meteorópole com um enfoque, imprimindo meu jeitinho, minhas experiências e opiniões. É bastante natural que os temas abordados acabem sendo selecionados por mim, baseados em meu conhecimento e experiência. Até as preferências pessoais influenciam nesta escolha, já que eu me sinto mais feliz e confortável falando sobre temas que gosto. E são exatamente as preferências pessoais que fazem que cada blog, fórum, videolog, etc seja único. Existem vários blogs sobre meteorologia (ou qualquer outro assunto) e cada blogueiro abordará o tema usando seu ponto de vista e suas experiências. Claro que estamos falando de ciência (no caso), mas como cada blogueiro tem uma formação, é natural que eu fale um pouco mais de um ponto e o outro blogueiro ressalte um outro ponto.

Essa diversidade me faz amar ser blogueira. Confesso que tenho um pouco de enjoo deste termo ‘blogueira’, porque não encaro isso como uma profissão, como muitas fazem. Escrever em um blog é uma atividade que pode fazer parte dos afazeres de um profissional, seja ele um meteorologista ou o responsável pelas mídias sociais de uma empresa. No entanto, uso a palavra ‘blogueira’ por ser um termo já conhecido e em uso. E eu posso me apropriar dele, usando-o para falar de meu trabalho por aqui.

A diversidade possibilita que você tenha acesso a informações sobre um mesmo assunto com enfoques diferentes. Possibilita ao leitor fazer uma pesquisa mais abrangente, agrupando o maior número possível de pontos de vista. A diversidade é enriquecedora, por isso não entendo quando ocorrem picuinhas entre blogueiro X e blogueiro Y, por exemplo. E você pode substituir blogueiro por vlogueiro, forista, etc. Essas picuinhas são pura bobagem, na maioria das vezes motivadas por guerras de ego ou por inveja. Não consigo entender esse problema de convivência, que faz com que alguns ambientes virtuais sejam infrequentáveis.  Nenhum assunto é esgotável e pouquíssimas pessoas são sumidades (aquelas que dão a palavra final, batem o martelo). A maioria de nós é limitado e deveríamos aprender com a diversidade.

A gente ouve por aí história de blogueiro que se acha celebridade, blogueiro que chama o colega de burro (e o corrige de maneira grosseira), blogueiro tendo ataque de estrelismo, blogueiro sendo desonesto com seus leitores, etc. Essas coisas são assustadoras. Infelizmente, essa discussão já se arrasta há alguns anos e o comportamento sem noção de alguns faz com que algumas empresas generalizem, vendo todos os blogueiros de maneira de negativa, deixando de enxergar um potencial bacana nos blogs e redes sociais.

Vamos parar com as guerrinhas, por favor? Como diz meu marido: arrumem um lote para carpir. E o lote metafórico é: escreva sobre suas idéias, produza conteúdo, viva, estude, tire fotos, etc. E o principal: controle seu ego.