Desperation – Stephen King: abuso policial, criança mágica e forças sobrenaturais

Ufa, finalmente acabei de ler Desperation, de Stephen King. Foi um desafio pra mim porque o livro é grande (cerca de 700p) e porque eu li a versão em espanhol. Eu leio em português muito mais rapidamente do que em Inglês ou Espanhol. E se formos colocar o Francês na lista, prefiro nem comentar, pois evidentemente uma criança de 6 anos que vive em um país francófono lê muitíssimo melhor do que eu.

00570136af3311e280ff22000a9e2923_7

Desperatíon (no meu caso, Desperación  rs) conta a história de pessoas que trafegam pela Interestatal 50, uma rodovia do oeste americano, para os lados do estado de Nevada. Algumas coisas muito estranhas acontecem nessa rodovia. Os carros dessas pessoas são parados por um policial enorme e muito estranho. Esse policial alega alguma irregularidade nos veículos e decide deter as pessoas.

Lendo com o marca-páginas lindo que minha mãe fez

Lendo com o marca-páginas lindo que minha mãe fez

Para detê-las, ele as leva para o povoado de Desperation . É uma cidade minúscula e isolada. A economia da cidade prosperou após a re-ativação de uma mina antiga.

Inicialmente, o policial parece amigável, apesar de seu aspecto intimidador. Mas depois ele  mostra que é  muito violento e agressivo.

Stephen King explora a história de cada um dos ocupantes dos veículos abordados. Ele traça um perfil de cada uma das pessoas. Há o escritor arrogante e alcoólatra. E claro, há aquele clichê interessante da ~criança  mágica~, tão comum nas obras do escritor.

O comportamento do policial é explicado por forças sobrenaturais que atuam naquela localidade. Uma face sombria de Desperation é aos poucos revelada.

Acho que já dei spoilers demais, mas acho que não falei nada que possa prejudicar a leitura. Não é o melhor livro do escritor. Para dizer a verdade, também não é um livro que prende muito. O enredo me pareceu até previsível em alguns pontos. Talvez quem conhece o estilo do escritor mas ainda não leu esse livro, vai perceber que algumas coisas vão acontecer ao longo da história.  O que me chamou mais a atenção na história é o ponto chave em que ocorre a redenção de um personagem.

Ah sim, e quem já leu A Torre Negra vai descobrir a origem dos can toi. A cidade de Desperation também me pareceu ter um quê de Terras Devastadas. N’A Torre Negra há diversas referências a outras obras do escritor, por isso é super comum encontrar esse tipo de referência óbvia ou sutil. As vezes os fãs do escritor acabam procurando pelo em ovo, e acreditam ter encontrado referências onde não foi intenção do escritor. Talvez minha observação ao comparar Desperation com Terras Devastadas seja este caso.

Eu recomendaria outros livros do autor. Se você nunca leu nada de Stephen King, recomendo começar por outro livro. Pode ser Carrie, por exemplo. Talvez Desperation seja mais adequado para quem já conhece o trabalho do escritor e está acostumado com seu estilo e com suas “loucuras”.

E claro, depois de ler Desperation, vou ler The Regulators. King é tão genial que lançou os dois romances ao mesmo tempo, sendo que The Regulators foi publicado sob o pseudônimo Richard Bachman (mais uma vez, quem leu A Torre Negra deve se lembrar de Claudia Inez Bachman, esposa de Richard). Sim, King criou um pseudônimo com esposa e tudo rs.

The Regulators e Desperation ocorrem em universos paralelos. Há personagens que estão nos dois livros. Eu preciso desesperadamente (?) ler The Regulators.  E é assim que Stephen King vicia as pessoas: mesmo não gostando muito do romance, agora preciso ler seu ‘irmão’.

Resenha originalmente publicada no meu perfil no Skoob.

Número de stephenkingzinhos:

stephstephsteph