E meu erro…



Ontem escrevi esse post sobre admitir os próprios erros.

Então o Renan fez um comentário muito bom, que reproduzo aqui:

Samantha, é fundamental que pratiquemos nossa reforma íntima, a fim de que melhoremos nosso modo de viver e de enxergar as coisas. Eu sou espírita, meu amigo é católico, meu irmão é ateu e você eu não sei se possui algum tipo de crença. Ora, não importa qual é a nossa crença. Praticar o bem faz bem, praticar o mal faz mal…simples assim…

Quando o ser humano abandonar o egoísmo e passar a lembrar das palavras de Jesus: “Não faça aos outros aquilo que não gostaria que fizessem a você”, e também, “ame ao próximo como a si mesmo”, neste dia, minha amiga, os dramas e convulsões sociais se acabarão, e a felicidade será plena. Este dia chegará? Prefiro acreditar que sim, embora não será um processo rápido e nem repentino, como algumas crenças costumam professar.

E ontem cometi outro erro besta. E hoje cometi outros. Às vezes cometo erros grandes.

A maioria das religiões, crenças ou filosofias de vida pautam no aperfeiçoamento pessoal. Gostei muito do comentário do Renan porque foca muito nisso. Todos os dias nós erramos. Mas o mais importante é que aprendemos com esses erros, nos tornamos pessoas melhores.