O Jardim Secreto – o desabrochar de um jardim de flores e de crianças

Há livros que leio e simplesmente esqueço de comentar por aqui. Outros já li há algum tempo, antes do blog começar ou antes de eu começar a falar sobre livros no blog. O livro que vou recomendar hoje é  um que li no final do ano passado e simplesmente esqueci de comentar por aqui. É O Jardim Secreto, de Frances Hodgson Burnett.

Capa da primeira edição de O Jardim Secreto (1911)

Capa da primeira edição de O Jardim Secreto (1911)

Eu baixei The Secret Garden gratuitamente para Kindle na Amazon.com. Se você tem Kindle, confira se ainda está gratuito :). Se for pago, certamente é um valor muito baixo. Estou namorando o livro Celtic Fairy Tale e está custando pouco mais que um dólar 🙂

Bom, na minha modesta opinião, o livro fala sobre evolução (no sentido de evolução pessoal, melhoria). A evolução de alguns personagens do livro é tão intensa que eu diria que é um renascimento.

A história de “O Jardim Secreto” se passa no final do século XIX, início do século XX. Não há um indicativo da data em que a história ocorre, mas percebemos que o cenário é a Inglaterra colonialista, quando existia a tal Companhia das Índias Orientais. Os pais da menina Mary Lennox são ingleses e moram na Índia, onde a garota nasceu.

Mary é uma garota de 9/10 anos muito mimada, negligenciada pelos pais e criada por empregados. São na verdade, mais do que empregados: são servos. Eles atendem todos os pedidos da garota, que vive doente e desanimada. Ela trata os empregados muito mal, faz pirraças, etc. Ou seja: a Supernanny seria bem vinda por ali.

É complicado fazer uma resenha deste livro porque muitas coisas marcantes acontecem logo no início. E eu vou acabar revelando o enredo, é inevitável. No entanto, vou tentar revelar o menos possível. Mary precisa sair da Índia e vai morar numa grande propriedade nas redondezas de Yorkshire. Lá ela vai morar em uma mansão com muitos quartos, onde nem todos são usados. Suas companhias inicialmente são apenas os empregados da residência. Inicialmente ela trata os empregados da residência como tratava os empregados que tinha na Índia, ou seja, como servos. Ela então percebe que as coisas são diferentes e ela precisa mudar. A mudança passa a ganhar uma conotação mágica quando Mary descobre um Jardim Secreto dentro da propriedade. A mudança das estações do ano e o desabrochar das flores do jardim ocorrem junto com as mudanças de Mary, que faz novas descobertas e novos amigos.

Além de Mary, outros dois personagens também experimentam um momento de evolução pessoal. Esses personagens levavam sua vida com muita tristeza, mas a mudança de Mary também tem efeito sobre suas vidas.

O que acho interessante no livro é que os empregados da mansão que Mary vai morar exercem um papel determinante na mudança de Mary. A vida simples e com muitas restrições financeiras dos empregados talvez os ajudou a enxergar a vida de outra maneira e a dar valor à família, à amizade e à lealdade.

Outro tema interessante abordado no livro são as estações do ano. Eu moro em São Paulo-SP. Ainda é zona tropical. E nas regiões tropicais, a gente não consegue notar muito bem a passagem das estações do ano. Aqui em São Paulo a gente ainda consegue ver um ipê ou um manacá ficando florido quando a primavera está chegando. Também podemos notar o friozinho do inverno, mas é bastante sútil quando comparamos com outros lugares. Quem mora em áreas mais próximas da linha do Equador, mal consegue notar essa transição, porque a intensidade da radiação solar é praticamente igual o ano todo. No entanto, quem mora em áreas cada vez mais distantes da linha do Equador, consegue perceber bem essas variações. As mais intensas são a variação temperatura e a variação na duração do dia claro (tempo em que o Sol fica brilhando). A Inglaterra é um país que fica bem distante da região dos trópicos e essa mudança é bem perceptível pelas crianças. Inclusive há momentos que até o humor delas parece ser ditado pelas mudanças nas estações do ano.

 Espero ter feito uma boa sinopse :). Difícil falar sobre este livro sem revelar partes do enredo, pois as mudanças começam logo no início do livro. É um livro que recomendo para adultos e crianças (há versões adaptadas para o público infantil), porque acredito que cada faixa etária fará uma interpretação diferente da história. Eu li há poucos anos e fiz inúmeras interpretações filosóficas sobre o significado do Jardim. Talvez, a autora não tenha nem pensado nas interpretações que seus leitores fariam. Talvez tenha sido só uma história simples, talvez a autora não tenha imaginado um grau de profundidade complexo quando a escreveu. O mesmo para As Aventuras de Pi, recente sucesso de bilheteria, também um best seller. As crianças que viram o filme fizeram uma certa interpretação, já os adultos muito provavelmente fizeram outra interpretação. E talvez  Yann Martel  nem tenha pensado nos significados filosóficos que a audiência atribuiu.

Além do livro, um filme muito lindinho baseado na obra era bem comum na Sessão da Tarde:

O Jardim Secreto (1993)

O Jardim Secreto (1993)

O filme é de 1993 e parece que ainda passa de vez enquando na Sessão da Tarde. Se quiser saber mais detalhes sobre o filme, clique aqui.

Agora vou fazer uma coisa que acho que NUNCA FIZ aqui no Meteorópole: vou linkar o EGO. rs. Logo eu que falava sobre enxerimento num post recente. hahahahaha. Bom, mas vocês vão entender: eu gostaria de saber onde estava os atores que interpretaram o adorável trio da fotografia acima, composto por Mary, seu primo Colin e seu amigo Dickon. São os principais personagens do livro. Bom, fiz uma busca  encontrei esse link do EGO 🙂

É uma reportagem de 2010. Interessante notar que há alguns anos o EGO fazia reportagens bem escritas e com informações interessantes, não apenas fotos com informações irrelevantes (e ridículas, até). Acho que muita gente quer saber por onde andam atores mirins que trabalharam em filmes de sucesso e é um tipo de reportagem inofensiva. Inclusive ajuda a divulgar os trabalhos mais recentes dos atores.

Os atores que interpretaram Mary, Colin e Dickon tem todos mais ou menos a minha idade. Kate Maberly, que interpretou Mary, ainda trabalha com atriz em papéis de pouco destaque, pois possui outras paixões. Formou-se em música e também é atleta. Heydon Prowse, que interpretou Colin, é editor de uma revista virtual que satiriza políticos. E Andrew Knott, o intérprete de Dickon, é o que mais trabalhou como ator depois de O Jardim Secreto: fez peças de teatro, séries para TV e ganhou alguns prêmios.

Número de stephenkingzinhos:

stephstephsteph

[confesso que a quantidade enorme de Deus ex-machina no livro me impediu de classificar com mais]