Nuvens diversas em Juiz de Fora – MG (‘concurso’)

O título do blog deveria ser Nuvens diversas em Juiz de Fora – MG + desabafo rs.

O Renan me mandou algumas fotos semana retrasada e eu só pude publicá-las agora! Eu trabalhei muito na última semana e mal tive tempo para atualizar o blog.

Eu tinha falado aqui de um concurso. Infelizmente, não tive tempo de divulgar o concurso com eficiência. E o Meteorópole não é lá um blog com tantos acessos. De segunda a sexta, tenho cerca de 300 acessos. Nos fins de semana, isso cai para uns 150 acessos diários. Infelizmente, a verdade é: poucas pessoas se interessam por um concurso em que seja necessário tirar uma foto ou escrever um texto. Vejo uns concursos de bugigangas por aí em que é necessário percorrer uma via crucis para participar: seguir no instagram, seguir no twitter, telefonar pra vó, lavar a louça, curtir fanpage, inscrever-se num formulário, indicar a prima da vizinha, etc. E esses concursos bombam! Como pode?

Alguns podem dizer que sou recalcada (palavra da moda, parem de usar rs) e invejosa, não me importo, porque essas são análises superficiais. Mas eu queria apenas 1% da audiência de alguns blogs de moda, sério mesmo. Não tenho nenhum problema com moda, eu até curto bastante. Mas eu tenho um olhar crítico para a maioria desses blogs: eles são blogs de consumo. Poucos realmente ensinam moda, contam a história da moda e acrescentam algum conhecimento.  A maioria desses blogs ensinam a comprar e gastar e as blogueiras são manequins em uma vitrine. Vejo algumas adolescentes loucas por maquiagem, viciadas em compras e idolatrando blogueiras famosas. Fico me perguntando: porque essas meninas não se interessam por outras coisas? Por que elas não desenvolvem um hobby, uma atividade diferente, uma habilidade, etc?

Muitos dizem que há espaço para todo mundo. Eu concordo. Acho que todo mundo pode e deve escrever blogs e produzir outros tipos de conteúdo para a Internet e assim criar uma rede de pessoas com interesses comuns, uma rede de troca de conhecimentos. No entanto, é muito estranho quando as coisas estão desbalanceadas: blogs de consumo fazem muito mais sucesso do que outros tipos de blog (literatura, ciência, arte, artesanato, hobbies em geral).  Outro dia vi a propaganda de uma operadora de celulares e diziam que “o Facebook era grátis”. Ou seja, o cliente daquela operadora não paga nada para acessar esta rede social. Do que adianta ter internet no celular apenas para acessar o Facebook? Há uma riqueza de informações na internet e no entanto as pessoas ficam concentradas em certos temas e em certos sites.

Eu nem ia publicar esse desabafo, mas vamos voltar à meteorologia e a história do concurso. A única pessoa que se inscreveu no concurso foi o Renan! Isso mesmo! Sendo assim, o livro é dele. Renan, mande seu endereço (acho que já tenho, mas manda novamente) que vou mandar o presente :).

Claro que sou também muito grata a outros queridos amigos e colegas que me mandam sempre fotografias e guestposts. Eu não posso mandar um livro para cada um (bem que eu gostaria :)). Uma forma de homenagear todos esses colaboradores é escolhendo um. Como o Renan foi o único a se inscrever no concurso, então está mais do que escolhido.

E vamos falar de nuvens, deixando todas as minhas lamentações de lado :). É óbvio que vou continuar escrevendo no Meteorópole. Com 1 ou com 10000 de leitores, o que importa é que escrevo sobre coisas que gosto bastante. Abaixo, o texto do Renan:

Desculpe-me pelo período sem fotos. Mas hoje finalmente vou te enviar algumas que tirei e achei interessantes de te mostrar. Ah! E como sou muito distraído, espero que ainda esteja em tempo de participar daquele concurso de fotografias que você mencionou umas semanas atrás.

Foto 1: Penso se tratar de Cirrocumulus, além de outros formatos
que não consigo reconhecer;

Foto 2: Stratocumulus ????

Foto 3: Altocumulus, pois os floquinhos eram menores que a minha
mão fechada (a técnica é essa mesmo? rs)

Foto 4: Essa é fácil: Só pode ser Cumulonimbus, pois estrava trovejando
e choveu forte, rsrs.

E as fotos, de acordo com a numeração estabelecida pelo Renan:

Foto 1

Foto 1

Foto 2

Foto 3

Foto 3

Foto 4

Foto 4

 

O Renan é geógrafo e meteorologista amador. Ele escreveu um guestpost aqui, falando sobre estações meteorológicas particulares.

Na Foto 1, como ele mesmo disse, ele consegue identificar nuvens Cirrocumulus (Cc). São as nuvens mais altas e mais branquinhas da Foto 1. São aquelas que lembram pequenas ondulações e estão dispostas como se fossem “costelinhas”. Na Foto 1, também podemos ver nuvens mais baixas, provavelmente Stratus/Stratocumulus (St e Sc).

Na Foto 2, aparentemente temos uma camada de Stratocumulus (Sc). As nuvens Stratus e Stratocumulus costumam ser bem baixas. Em algumas situações elas ficam mais altas, pois estão em transição para Altocumulus (Ac) e Altostratus (As). Essa transição normalmente ocorre devido a aproximação de uma frente fria.

Na Foto 3, certamente temos Altocumulus. O Renan menciona uma regrinha muito utilizada por observadores: regra do punho/polegar (falei desa regrinha aqui também). Funciona assim: se você fechar a mão e a nuvem tiver mais ou menos o tamanho do seu punho cerrado, provavelmente trata-se de uma nuvem Sc. Se a nuvem tem o tamanho da ponta de seu polegar, provavelmente trata-se de uma nuvem Cc. Se a nuvem tem um tamanho intermediário entre seu punho cerrado e seu polegar, certamente temos uma nuvem Ac. Parece uma coisa “boba” mas essa regra funciona bem e é muito utilizada por observadores de nuvens.

E finalmente, na Foto 4, temos uma nuvem Cumulonimbus (Cb). Claro que não podemos ver o formato de “bigorna” ou de “cogumelo”, característico dessa nuvem, pois o Renan tirou a foto enquanto estava embaixo dela. Como ele menciona a ocorrência de chuva forte e relâmpagos, é claro que só pode ser uma nuvem Cb!

E se você é um leitor recente, que começou a se interessar por meteorologia há pouco tempo e não entendeu esses nomes de nuvens, leia esse post.

Renan, muitíssimo obrigada mais uma vez! Suas contribuições são sempre bem-vindas. Eu tenho uns contribuidores porretas e sou muito grata a todos eles, sempre!