Super Tufão Haiyan

Os meteorologistas não falam de outro assunto: o supertufão Haiyan está sendo tema de discussão em diversos grupos de meteorologistas.

Tufão Haiyan. Fonte: NASA

Tufão Haiyan. Fonte: NASA

A imagem acima foi obtida do satélite Aqua, da NASA. Para obter essa imagem, foi usado o sensor MODIS. A imagem foi obtida às 4h25min UTC (horário de Greenwich) em 07 de novembro de 2011. Nela, podemos ver o Haiyan e pela escala da imagem, podemos notar que o fenômeno tem um diâmetro aproximado de uns 400km ou mais.

Tufão, furacão e ciclone tropical são sinônimos. As palavras tufão e furacão são designações regionais do mesmo fenômeno. Na costa pacífica da Ásia, costuma-se usar o termo Tufão, enquanto no Atlântico usa-se o termo furacão. A imagem acima mostra Haiyan se aproximando da costa das Filipinas. Como a imagem é de ontem de madrugada, ele já chegou no arquipélago e os grandes noticiários internacionais já falaram do fenômeno.

O que chamou a atenção de muitos meteorologias foi a simetria convectiva de Haiyan. Ou seja, as nuvens estavam organizadas de modo simétrico. O meteorologista Ryan Maue divulgou uma imagem realçada que indicava essa simetria. A imagem é do satélite Terra (também da NASA, irmão do Aqua), também na madrugada de 07 de novembro de 2013.

BYefvVDCMAE6k0L

De acordo com informações do TWC,   Haiyan é um dos tufões mais poderosos já registrados. O fenômeno foi responsável pelo bloqueio de estradas e pela interrupção do funcionamento de meios de comunicação.

O tufão atingiu uma localidade ruram das Filipinas, 650 km à sudeste de Manila. A primeira morte confirmada foi a de um homem de 56 anos que morreu eletrocutado quando um poste o atingiu. Aparentemente, ele morreu enquanto as autoridades estavam organizando uma evacuação preventiva.

A velocidade média dos ventos associados à Haiyan é de 315km/h, com rajadas máximas de até 380 km/h. O ciclone tropical Phailin, que atingiu o leste da Índia no último 12 de Outubro, tinha tido ventos de cerca de 220km/h e tinha sido o mais intenso da região este ano.

Previsão da trajetória do Haiyan. Fonte: CNN

Previsão da trajetória do Haiyan. Fonte: Hong Kong Observatory/ CNN

Esse já é o terceiro tufão que atinge as Filipinas neste ano. Não cheguei a falar dos outros 3, mas também foram bastante intensos.

Os danos de um ciclone tropical já começam a ser sentidos antes que ele de fato atinja o continente. Os ventos fortes começam a destelhar construções, arrancar árvores, destruir fios, etc. Quando o fenômeno atinge o continente, os ventos são ainda mais fortes, com intensas tempestades e inundações.

Muitos filipinos vivem em casas que não são seguras, não aguentam um mínimo vento.  De acrdo com o TWC, cerca de 150000 pessoas foram removidas de suas casas, dos locais por onde a tempestade deve passar. Aparentemente, o fenômeno não deve atingir a capital do país, Manilla.

P.S.: Infelizmente, o fenômeno pode ter sido responsável por cerca de dez mil mortes, de acordo com autoridades flipinas. No domingo, a Cruz Vermelha tinha contabilizado 1200 mortos, mas o númer não parou e subir. Os Estados Unidos e a Inglaterra já ofereceram ajuda no resgate dos desaparecidos. Ontem, o fenômeno atingiu o Vietinã (na figura acima, com a previsão da trajetória do tufão, podemos observar que ele atingiria boa parte do litoral do Vietnã).