Tempestade em Juiz de Fora – MG – Dia 17/01/2014



No dia 17/01/2014 uma intensa tempestade atingiu a cidade de Juiz de Fora-MG.

De acordo com as notícias, a tempestade provocou alagamento e interrupção do fornecimento de energia elétrica em diversos pontos da cidade.  O Renan me mandou algumas fotos que ele e outros moradores da cidade tiraram:

Tempestade em JF dia 17-1-14

Na imagem acima, podemos observar a base da nuvem Cb (Cumulonimbus). A nuvem deixou o céu completamente escurecido. Nos meses de Setembro até aproximadamente Março, esse tipo de tempestade é muito comum. O calor intenso favorece formação de nuvens de tempestade. Abaixo, mais uma imagem da tempestade em Juiz de Fora:

Tempestade em JF dia 17-1-14 2

Com relação a tempestade de 17/01/2014, especula-se que pode ter sido uma Supercélula, ou seja, uma tempestade muito intensa que é caracterizada pela presença de uma corrente de ar ascendente girando no interior da nuvem. Não vou dar muitos detalhes (seria necessário escrever um post inteiro a respeito disso), pois não é minha área de especialidade. Mas o que posso dizer é que esse tipo de tempestade é muito intensa. Para estudá-la, fazer previsões e tomar as devidas providências com antecedência (remover pessoas de áreas de risco, por exemplo), o radar meteorológico é uma ferramenta fundamental.

Um  radar meteorológico, no horário da tempestade, mostra uma célula de tempestade bem intensa sobre a cidade:

49bfca52b7d49275e1682318463b8449

Supercélulas tem um formato bem característico de arco ou gancho. Olhando para a figura acima, considerando as partes em amarelo, vemos um formato que pode lembrar um formato de um arco. Talvez tenha mesmo sido uma. O pessoal do fórum Abaixo de Zero estava discutindo o assunto. Eu pessoalmente tenho dificuldades para “bater o martelo” e dizer o que é, pois não é minha área de atuação e não temos dados suficientes. No entanto, outros fatores levam a crer que pode se tratar de uma supercélula. As próximas fotos mostram parte destruição causada pela tempestade. Vemos uma quadra destruída e o que parecia ser um galpão. As fotos foram enviadas pelo Renan Tristão:

Tempestade em JF dia 17-1-14 estrago suspeito Tempestade em JF dia 17-1-14 estrago suspeito 2

Observem que tudo está muito retorcido. Supercélulas estão associadas a tornados e também estão associadas a um outro fenômeno bem destrutivo e relativamente comum aqui no Brasil: o downburst, que traduzimos como microexplosões, que trata-se de uma intensa corrente de ar descendente que parte da nuvem de tempestade. Os danos são similares aos do tornado, mas há algumas diferenças:

Downburst: os danos são radiais. Isso significa que são os danos mais intensos no ponto onde a corrente de ar atinge o chão (ponto central) e ficam menos intensos na medida que afasta-se desse ponto. Aqui mencionei um possível downburst em Ribeirão Preto, em 2012.

– Tornado: o tornado deixa um caminho de destruição, indicando exatamente onde ele passa.

A tempestade lá em Juiz de Fora felizmente não deixou feridos. A foto abaixo ficou linda:

Tempestade em JF dia 17-1-14 4

Raios! Muito raro conseguir capturar a imagem de um raio com uma câmera normal. Normalmente aquelas imagens bonitas que a gente vê por aí tratam-se de um arranjo especial, aumentando o tempo de exposição.

E veja também esse vídeo de pontos de alagamento em Juiz de Fora no dia 17/01/2014: