Resenha de Genesis – An Exo Novella series

Faz algum tempo que não escrevo resenhas por aqui, mas vou tentar retomar essa atividade com mais frequência.

Escrever resenhas me ajuda a lembrar dos livros que li ao longo do ano e faz com que eu tenha um melhor senso crítico. Por isso é uma atividade que quero fazer com mais frequência.

A resenha de hoje é de um livro que mencionei nesse post. É Genesis (Exo Novella Series), de J. Edwards. Adquiri na Amazon.com para o meu Kindle no final do ano passado e foi gratuito. E isso é uma vantagem, considerando que não gostei muito da história.

genesis

No livro, os humanos detonaram a Terra (só no livro? rs) e estão procurando um novo lugar para habitar. Já perceberam que várias histórias começam assim? No filme Avatar, por exemplo, é assim. Ou seja, nosso pensamento colonialista e de superioridade é ridículo. Os seres humanos simplesmente acham que podem chegar em qualquer planeta fora do Sistema Solar, colocar uma bandeirinha e tomar posse.

Depois da revolta, vamos prosseguir. Por anos, organiza-se uma missão espacial para atingir um planeta do sistema Gliese 581 (provavelmente Gliese 581c, a “Super Terra”).  A nave dessa missão chama-se Genesis e enfrenta uma série de problemas ao longo de seu caminho.

Não há nenhuma ficção científica inovadora em Genesis. O que quero dizer? Não há nenhuma explicação fora do comum, que nunca foi usada antes, para explicar o funcionamento da nave. Se eu não me engano, tem uma história de um wormhole para facilitar a viagem (pudera, o Sistema Gliese 581 fica a 22 anos-luz de nosso Sistema). Se eu não me engano… sim, isso já indica o nivel de atenção que dei para a história.

Pelo que eu entendi ao longo da história, a nave Genesis funciona com água. Fala-se há muito tempo sobre o uso de água como combustível e diversas pesquisas sobre o assunto tem sido realizadas. As similaridades entre Star Trek e Genesis são muito grandes: a estrutura da ponte de comando, as patentes e o tipo de trabalho realizado. Tudo é muito parecido. O lado bom e extremamente representativo é que temos uma comandante. É sempre muito bom ver mulheres em posições de poder :).

Na minha opinião, o livro não é bem escrito. A narrativa é muito cansativa e cheia de quebras desnecessárias. As situações de tensão no enredo não são convincentes, nem os diálogos. E a partir de agora, vou escrever alguns spoilers.

Quando eles finalmente chegam no planeta, o que é descrito é extremamente frustrante e nada inovador. De algum modo, me lembrei disso:

star-trek-tos-tribble-pingo-pelucia-com-som-e-vibra_MLB-O-3391272988_112012

Misturado com isso:

Deus me defenda desse boneco horrível!

Deus me defenda desse boneco horrível!

E água com papel crepom rosa.

O final é decepcionante, pois não tem uma conclusão, um fechamento. Mas pelo que entendi, trata-se de uma série e até já tem o outro livro a venda. Mas mesmo quando trata-se de uma série, eu espero uma conclusão parcial. Eu sou aquele fiel leitor que quis matar Stephen King em A Torre Negra – As Terras Devastadas, exatamente porque ele acabou o livro DO NADA.

Se eu vou comprar  continuação? Do jeito que sou curiosa e quero ver até onde vão os limites da imaginação, provavelmente sim. Mas temo que ficarei mais uma vez decepcionada.

Número de stephenkingzinhos:

steph