Resenha de 17 Equations That Changed the World

17 Equations that changed the world

Quem me acompanha no Instagram (@samanthaweather) talvez lembra-se de ter visto essa foto há uns 6 meses. Pois é, shame on me. Foi o tempo que demorei para ler esse livro, considerando que logo que o comprei no aeroporto, dei uma rápida folheada. Mas há diversos fatores envolvidos aí. Primeiro que o livro é em inglês, o que me faz demorar mais para ler. Depois, eu fiz uma viagem longa nesse intervalo e não levei esse livro. E finalmente, li outras coisas paralelamente.

Só que quando o livro é bom, não é possível desistir. O conteúdo que você leu fica habitando seu cérebro e fazendo modificações. Daí você precisa ler mais e mais e mais.

Ian Stewart é o autor de 17 Equations That Changed the World. Ele é um matemático inglês e provavelmente um dos mais famosos popularizadores da matemática. A matemática, que é tida como vilã na vida de um estudante. Essa fama ruim dessa linda ciência (já disse Galileu Galilei que é através da matemática que a gente consegue descrever o mundo, porque “o livro da natureza está escrito em caracteres matemáticos”) talvez seja um círculo vicioso. Bom, falo aqui das condições de nosso país. Muitos professores de escola pública não tem preparo para ensinar matemática, são inseguros do conteúdo. O material didático não é interessante e na maioria das vezes os problemas são abstratos, longe da realidade  dos alunos. Talvez minha análise já esteja correta, mas falo pelo que presenciei em minha vida de estudante.

Se a matemática fosse apresentada como uma ferramenta para a vida, com exemplos (rendimento de poupança, compra no supermercado, noções básicas de economia, dimensionamento de uma rede de computadores, etc), eu tenho certeza que seria mais interessante para os estudantes e faria com que mais pessoas se interessassem por exatas.  Outro dia uma jornalista me ligou e perguntou alguma coisa sobre radiação solar. Expliquei que a radiação solar total (aqui estamos falando de quantidade de energia) é máxima por volta das 12h e então decai até o por-do-Sol. Saiu da minha boca a palavra “senóide”, já que esse comportamento lembra o da famosa curva em formato de sino. A jornalista começou a rir e pediu para que eu não falasse difícil com ela. Ora, se ela não quer fazer reportagem sobre ciência, então que procure o editorial de celebridades. Mas, se quer escrever sobre ciência precisa estar familiarizada com os termos! E o melhor caminho para a familiarização é gostar de ciência.

Gente, não consigo entender como há pessoas que não gostam de ciência. Tudo bem, pode não ser a principal área de interesse do indivíduo, mas é impossível se desvincilhar. A pessoa pode não ser uma apaixonada por ciência, mas não tem como deixar de se maravilhar diante dela. Diante da grandeza.

Bom, sempre divagando (meus leitores sabem que é assim rs), vamos voltar a falar do livro. Ian Stewart também escreveu o aclamado “The Mathematics of Life” (que eu preciso ler). Depois de ter escrito esse livro, resolveu fazer uma lista das equações mais importantes do mundo, aquelas responsáveis por compreendermos o mundo como ele é e responsáveis também pelo desenvolvimento científico que temos atualmente. Certamente, como novas descobertas e com a necessidade de novos modelos para descrevê-las, a quantidade de equações deve aumentar. Talvez em 2214, algum matemático decida escrever um livro sobre as equações que mudaram o mundo. Esse matemático do futuro certamente vai citar as mesmas mencionadas por Ian Stewart e certamente vai acrescentar mais algumas.

O livro de Stewart é composto por 17 capítulos. Em cada um deles, ele descreve uma importante equação. Stewart queria escrever um livro sobre equações com pouca ou nenhuma equação…rs. Para os matemáticos e para outros profissionais de exatas isso é bem estranho. Mas o objetivo principal não era destrinchar as equações, mas sim falar de suas aplicações e das descobertas relacionadas com essas lindas. Ou seja, Stewart quer deixar a matemática interessante. Bom, interessante ela já é, mas ele quer provar isso para os leitores, o que faz muito bem.

Os capítulos estão em ordem cronológica. O que significa que no capítulo 1 ele apresenta o Teorema de Pitágoras e no capítulo 17 ele apresenta a Equação de Black-Scholes. Na primeira página de cada capítulo, ele coloca a equação famosa, faz uma descrição, explica por que é importante e depois nos diz ao que essa equação conduziu a humanidade. Ao longo do capítulo, ele fala um pouco do trabalho do cientista que chegou nesse cálculo, explica como ele chegou e em seguida nos apresenta uma série de exemplos de aplicações em nosso dia a dia.

Eu sou uma mulher clássica. Vi pouco de relatividade e nada de física quântica na faculdade, o que é compreensível, uma vez que não temos disciplinas específicas sobre isso na grade do curso de Meteorologia. Sendo assim, aproveitei bem o livro até o capítulo 12 (Segunda Lei da Termodinâmica). Quando chega no século XX… percebo que não sei nada de matemática! Mas o livro possibilitou que eu aprendesse muita coisa. Os capítulos seguintes são  sobre relatividade, (a famosa equação), quântica (equação de Schrödinger), Teoria da Informação, Teoria do Caos e finalmente a Equação de Black-Scholes. Confesso que esses capítulos foram os mais difíceis para mim, pelas limitações mencionadas. Mas mesmo assim foram muito proveitosos. Não que eu tenha aprendido tudo sobre cada um desses tópicos (btw, impossível), mas certamente tive uma boa introdução.  A Equação de Black-Scholes pra mim foi a mais confusa. Entendi que tem a ver com Mercado Financeiro e entendi as derivadas parciais. Apenas isso. O mercado financeiro (comprar e vender ações, commodities, essas coisas)  é e acho que vai continuar sendo por muito tempo um grande mistério para mim. Estou até pensando em reler esse capítulo para absorver alguma coisa.

O meu capítulo favorito do livro é o 10, que menciona a Equação de Navier-Stokes. Essa equação é simplesmente a base da previsão do tempo, pois descreve o movimento de um fluido (que no caso, é o ar). Na faculdade de meteorologia estudamos essa equação praticamente em todos os anos da graduação, então ela é muito especial para mim. Estudamos suas simplificações e aplicações em casos especiais. Discutimos parametrizações e outras coisas relacionadas com ela. Ver ela na seleção de Ian Stewart é quase como ver seu melhor amigo num programa de TV. Também gostei muito do capítulo sobre a Distribuição Normal, porque ele faz importantes colocações sobre esta equação. E destaco também o capítulo 14, da Equação de Schrödinger. Clamo que leiam pelo menos esse capítulo antes de usar a camiseta do gato!

O livro é escrito de maneira muito apaixonada e apesar de eu ter lido a versão em inglês, descobri que existe também a tradução, da Editora Zahar. Vende na Livraria Cultura.

Esse livro é escrito de maneira muito apaixonada, por um autor que realmente ama sua profissão. Se esse livro não convencer o leitor de que a matemática é linda, não sei mais o que pode convencer.

P.S.: No link para a Livraria Cultura, tem meu código de afiliado.