Como funciona o Galinho do Tempo?



Há algum tempo escrevi um post explicando o funcionando da Casinha do Tempo e também falei sobre a história desse popular souvenir de origem alemã. Hoje vamos falar de outro bibelô, que é de origem portuguesa. É o Galinho do Tempo.

Esse está vermelho indicando um dia úmido. O que eu tinha era igualzinho a este, antes do grave acidente (menciono adiante rs).
Esse está vermelho indicando um dia úmido. O que eu tinha era igualzinho a este, antes do grave acidente (menciono adiante rs).

Com certeza você já deve ter visto um galinho do tempo. É um galinho de plástico, coberto por uma camada de um material aveludado, que muda de cor dependendo da umidade. Se está seco, ele fica azulado e se esta úmido, ele fica avermelhado.  E dias chuvosos são dias bem úmidos, portanto a “escala” presente na base desse bibelô normalmente indica:

Vermelho: Tempo chuvoso, úmido

Azul: Tempo bom, seco.

O galinho do tempo não faz a previsão do tempo, como muita gente pensa equivocadamente. Ele apenas indica as condições do tempo presente, ou seja, as condições meteorológicas daquele instante. E como ele faz isso?

Essa camada aveludada que recobre o plástico possui uma solução aquosa de Cloreto de Cobalto II em sua superfície. Essa substância tem uma característica interessante: ela muda de cor quando entra em contato com a água. Em um ambiente completamente seco, essa substância fica com coloração azul. No entanto, quando essa substância entra em contato com a água, fica vermelho-rosada. Essa mudança de cor não é irreversível: se uma porção de Cloreto de Cobalto II estiver úmida e depois for seca (natural ou artificialmente), ela deixa de ficar avermelhada e passa a ficar azul.

Percebam portanto que essa substância é ideal para indicar a presença de umidade. Alguns equipamentos eletrônicos usam Sílica Gel para absorver a umidade presente na caixa do equipamento e evitar danos aos componentes eletrônicos. Vocês já devem ter visto dessa sílica gel em saquinho (até tá escrito “não coma” nesses saquinhos rs). Mas existe sílica gel vendida a granel. E por circunstâncias relacionadas ao meu trabalho, já tive que comprar dessa sílica gel a granel. Essa que vende a granel é embebida com Cloreto de Cobalto II para que quem está manuseando possa saber se a sílica gel está saturada ou não de umidade. Os ‘grãos’ de sílica gel ficam azulados  se ainda estão secos e avermelhados se já estão úmidos. Daí é possível reaproveitar essa sílica gel a granel: basta aquecê-la no forno ou em uma panela (juro!, fazemos isso o tempo todo em meu trabalho). Quando ela é aquecida, a cor modifica-se e fica bem claro para nós que está seca e pronta para ser colocada novamente junto ao equipamento eletrônico que ajuda a conservar.

A cor do Cloreto de Cobalto II varia de acordo com a umidade. Do lado esquerdo, está seco e azul. Do lado direito, está hidratado e avermelhado. Fonte: Wikimedia Commons
A cor do Cloreto de Cobalto II varia de acordo com a umidade. Do lado esquerdo, está seco e azul. Do lado direito, está hidratado e avermelhado. Fonte: Wikimedia Commons

 O Cloreto de Cobalto II é um sal que estabelece o seguinte equilíbrio químico:

[CoC4]2-(aq) + 6 H2O(ℓ)↔ [Co(H2O)6]2+(aq) + 4 C1-(aq)

De acordo com o pessoal do Brasil Escola (e eu tive que procurar uma ajudinha, pois não saco nada de química, já diz a canção) o íon [CoCl4]2-(aq)  apresenta cor azul, sendo que o seu número de coordenação (quantidade de ânions que cercam o cátion no arranjo cristalino) é 4. Já o íon [Co(H2O)6]2+ apresenta cor rosa e seu número de coordenação é igual a 6. Segundo o Princípio de Le Chatelier, esse equilíbrio pode ser deslocado para a direita, deixando o sal rosa ou para a esquerda, ficando com a cor azul.

Além da variação da umidade fazer com que a coloração dessa substância se altere, a variação de temperatura também é um importante fator.  De acordo com a química Jennifer Fogaça, que escreveu para o Brasil Escola:

Em dias quentes (temperatura alta) o equilíbrio da reação se desloca no sentido da reação que absorve calor (endotérmica), que, nesse caso, é a inversa. O galo fica, então, azul. Já em dias frios, a temperatura baixa faz com que o equilíbrio seja deslocado no sentido da reação que libera calor (exotérmica), que, no exemplo considerado aqui é a direta. Nesse caso, o galinho do tempo fica rosa..

Sendo assim, o galinho do tempo não prevê o tempo. Ele apenas registra as condições atuais e para isso utiliza um sal (Cloreto de Cobalto II) cuja coloração modifica-se com as variações de umidade e de temperatura.

Eu preciso de um novo galinho do tempo. O meu, presente de minha sogra, foi atacado por um gato assassino em 2009 e está em coma irreversível rs. No Museu de Meteorologia da EM-IAG-USP tem:

DSC01939

E também tem Casinha do Tempo:

DSC01938

Há muito tempo atrás (faz 2 anos, mas em Tempo de Internet significa 100 anos), eu sorteei uma casinha dessas aqui no blog. Depois descobri que sorteios de blogs não são ações ‘permitidas’ (para um sorteio ser válido ele precisa ser registrado, etc) e eu não realizei mais nenhuma ação do tipo. Tentei realizar um concurso cultural, que não deu muito certo. A verdade é que meu sonho é que esse bloguinho tivesse um patrocínio ou fosse parte de um portal grande. Daí eu teria estrutura e dinheiro para fazer várias coisas legais. Mas enfim, vou continuar fazendo coisas legais (leia, escrevendo rs), mesmo sem patrocínio.