Eclipse da madrugada: poucos viram a Lua sangrenta



Pouca gente viu o eclipse da madrugada porque… era madrugada. E a maioria das pessoas estão dormindo rs. Além disso, as condições meteorológicas em parte da Região Sul e Região Sudeste não possibilitaram visualização.

eclipse
Figura 1: Anatomia do Eclipse. Aqui vemos uma ilustração, sem escala, mostrando o alinhamento entre Sol, Terra e Lua. Fonte: NASA

O Sol, a Terra e a Lua ficaram alinhados, como na imagem acima. A sombra da Terra então cobre a Lua.Temos assim um Eclipse Lunar Total. Existem diversos tipos de eclipse, dependendo do arranjo Terra-Lua-Sol. O mais emocionante deles é o Eclipse Solar Total, que é quando a Lua se interpõe entre a Terra e o Sol. E como a Lua e o Sol tem mais ou menos o mesmo tamanho angular em nosso céu, o disco Lunar cobre o Disco Solar, deixando o dia completamente escuro por alguns instantes (e é assustador, como no filme Eclipse Mortal e só o Riddick pode nos salvar rs).  No Eclipse Solar Total, o alinhamento precisa ser perfeito e sua visualização é melhor em apenas certos pontos da Terra onde a sombra da Lua fica perfeitamente encaixada no disco solar. Essas localizações variam muito e nelas o eclipse total é visível. Em outras áreas, é visível apenas o Eclipse Parcial do Sol, em que apenas parte da sombra da Lua cobre o disco solar.

Eclipse Solar Total em 1999, visto na França.
Figura 2: Eclipse Solar Total em 1999, visto na França. Fonte: Wikimedia Commons

Para não misturar os  tipos de eclipse (o Solar e o Lunar, total ou parcial), vou falar apenas do Eclipse Lunar Total, pois foi o fenômeno que ocorreu na última madrugada. Em outra ocasião, escreverei um post mais completo sobre eclipses.

O eclipse da madrugada foi portanto visto apenas pelos moradores do Continente Americano. Quem ficou acordado de madrugada e teve a sorte de não ter uma madrugada encoberta por nuvens, pode ver o fenômeno.

Pouco antes do eclipse, a Lua ganhou uma tonalidade avermelhada. O nome desse fenômeno é Lua Sangrenta.

Eu já vi esse filme e o título original dele em inglês é The Burning Moon, se não me engano rs
Figura 3: Porque todo post tem uma zoeira rs. Eu já vi esse filme e o título original dele em inglês é The Burning Moon, se não me engano rs

Falando sério agora, a NASA (que tem uma página dedicada apenas a eclipses), tem um link dedicado apenas ao último eclipse. Eu não pude ver (eu estava super cansada e dormi e as nuvens não permitiriam mesmo). O ápice do eclipse ocorreu entre 7:07 am e 8:25 am no horário de Greenwich (ou seja, entre 4:07 e 5:25 no horário de Brasília), que foi quando a Lua esteve na umbra da Terra. Pouco antes e pouco depois desse horário, a Lua esteve na penumbra da Terra. Veja abaixo na Figura 4.

eclipse15abril
Figura 4: Umbra e Penumbra e o momento em que o eclipse atingiu seu auge. Fonte: NASA/MrEclipse

É importante distinguir entre os termos umbra e penumbra. As duas palavras vem do Latim. Umbra significa sombra e penumbra (paene umbra) significa quase sombra. Esses termos são muito utilizados para descrever eclipses. Vamos imaginar um arranjo em que eu tenha duas lâmpadas (L1 e L2) e um anteparo. A região A está totalmente sombreada, enquanto as regiões B estão quase sombreadas (uma transição entre escuro e claro). A região A é umbra e as regiões B são penumbra:

Umbra e Penumbra
Figura 5: Essa imagem é da Wikimedia Commons. E preciso compartilhar com vocês dois palavrões que acabo de aprender: kernschattenraum significa umbra em alemão e halbschattenraum significa penumbra. Por que eles não usam os termos em latim como qualquer pessoa normal? Não sabemos.

Comparando a Figura 5 acima com as Figuras 3 e 4, acredito que as definições ficam bem claras. O que talvez ainda não ficou muito claro é o porque do nome Lua Sangrenta. Esse nome, que mais parece nome de filme de terror B ou de série de vampiros adolescentes, tem uma explicação nada sobrenatural.

Na Figura 3, vemos que a Terra deve estar entre o Sol e entre a Lua para ocorra o Eclipse Lunar Total. A luz solar passa pela atmosfera da Terra. A luz solar é então espalhada pelas moléculas e pelas partículas em suspensão na nossa atmosfera (os aerossóis). A luz é composta por diversos comprimentos de ondas, que formam o espetro eletromagnético. A parte da luz que possui comprimento de onda mais curto (azul, roxo…) é espalhada pelas moléculas que compõe o ar atmosférico e por partículas muito pequenas. Quando a luz passa por uma camada mais longa da atmosfera (como no pôr-do-sol), os comprimentos de onda maiores (laranja, vermelho…) acabam dominando e dessa forma a luz que nossos olhos percebem é correspondente à esses comprimentos de onda, portanto, vermelha. Quando essa luz vermelha atinge a Lua, a luz é refletida e consequentemente a vemos avermelhada.

Como eu disse, o efeito responsável por essa coloração avermelhada é o mesmo que causa o por-do-sol avermelhado. O nome desse processo de espalhamento da luz chama-se Espalhamento Mie. Também falei desses processos de espalhamento da luz quando discuti um episódio de Sliders em que o céu era roxo.

Ou seja, a Lua vermelha é um fenômeno interessante e tem relação com algo que vemos todos os dias no nosso planeta. Fiquei surpresa essa manhã quando assistia Globo News, numa reportagem que falava sobre o eclipse (veja aqui). Em um determinado momento da reportagem, o âncora disse:

“a explicação para isso (lua avermelhada) é que a Lua ficou posicionada entre a estrela Espiga (a mais brilhante da constelação de Virgem) e o planeta Marte”

o.O

Vocês podem me imaginar de cabelo em pé.

E o G.C. ainda diz: “Lua fica avermelhada e depois é totalmente encoberta pelo Sol”. Mas gente, nada a ver com o fenômeno do Eclipse! Da onde as pessoas tiram essas coisas?

Azideia, GloboNews
Figura 6:  GloboNews viajando na maionese

Então ele continua dizendo que o ecplise faz parte de uma série de quatro que ocorrerão até 2011 (o.O) e depois diz as datas desses fenômenos. Para saber quando ocorrerão eclipses e para saber se eles serão visíveis onde você mora, ignore o jornlista e consute o site da NASA.

É muito vergonhoso um canal como o Globo News dar essas informações erradas. O que aconteceu na verdade é que foi possível também ver a brilhante estrela Spica (ou espiga) e o planeta Marte ao mesmo tempo em que ocorria o eclipse. Com os movimentos de rotação e translação da Terra, a configuração do nosso céu se altera ao longo de 24h e ao longo do ano. Ou seja, ontem, além do eclipse, os observadores também puderam ver esses outros dois astros. Só que a cor avermelhada da Lua nada tem a ver com a presença deles. Não sei da onde o cara da Globo News tirou isso.

Quero dizer, acho que sei. Chamo isso de jornalismo da correria.  Em um desespero para dar notícia antes de todo mundo, não checam direito as informações. O que custava procurar um astrônomo para dar uma informação valiosa e importante para a população? O que custava usar o momento para divulgar ciência? Tenho a impressão que jogam a informação de qualquer jeito também porque acham que as pessoas não vão entender mesmo. Em geral, os meios de comunicação não respeitam o povo.

Figura 7: Lua Sangrenta. A coloração fica avermelhada/alaranjada devido ao Espalhamento Mie. Fonte: NASA
Figura 7: Lua Sangrenta. A coloração fica avermelhada/alaranjada devido ao Espalhamento Mie. Fonte: NASA

Como bem disse o Rodrigo, a picaretagem acontece no momento da divulgação, da popularização da ciência. Leiam mais aqui.

Ah, e além da Lua Sangrenta a Lua também pode ser Azul (que na verdade não é azul rs). Relembre no post sobre a Blue Moon.