Time-lapse das quatro estações na Cracóvia, Polônia



O @silviogois, um querido amigo e colaborador aqui do blog, me indicou um vídeo muito lindo. É um time-lapse (efeito que adoro), mostrando a passagem das quatro estações do ano, na Cracóvia, na Polônia:

KRAKOW 4 seasons timelapse from Piotr Wancerz | Timelapse Media on Vimeo.

Já comentei várias vezes no Meteorópole que os habitantes da maior parte do território brasileiro mal conseguem notar a passagem das quatro estações do jeito “didático”, do jeito Sandy e Júnior. Apenas na Região Sul, mais distante do Equador, os moradores conseguem perceber as quatro estações. No inverno, a temperatura realmente cai (e em algumas regiões mais altas, pode nevar). Na primavera, as flores começam a aparecer. No verão, a temperatura aumenta de maneira bem perceptível. No outono, a temperatura começa a cair e as folhas das plantas caem.

Fonte: Free Digital Photos
Fonte: Free Digital Photos

Os moradores do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul conseguem notar essa passagem bem marcada das estações do ano. Moradores de São Paulo, por exemplo, notam algumas coisinhas. Uma ou outra árvore fica florida durante a primavera. E no inverno, as temperaturas caem. No entanto, um morador de Boa Vista, em Roraima, já não vai notar grandes diferenças entre as estações do ano, porque quem está perto da linha do Equador recebe bastante radiação solar o ano todo.

O que determina a estação do ano na maior parte do Brasil é a chuva: temos a estação seca e a estação chuvosa, bem marcadas. Não tão marcadas quanto lá na Índia, mas a gente  consegue notar bem que entre Setembro e Março temos mais chuva do que entre Abril e Outubro.

A Polônia fica localizada numa latitude de mais ou menos 50°N. Significa que ela é bem distante da linha do Equador: na verdade, está mais próxima do Círculo Polar Ártico do que da linha do Equador. Durante o verão do Hemisfério Norte, todo esse hemisfério recebe mais radiação solar do que o Hemisfério Sul (onde é inverno). Em regiões que ficaram congeladas durante o inverno (como é o caso da Polônia, principalmente as regiões de maior altitude), quando chega a primavera e o gelo começa a derreter (e a vida começa a aparecer), o espetáculo é lindo. Nos Estados Unidos e no Canadá, acredita-se que a marmota (um pequeno mamífero) sai da toca quando a primavera está chegando. A marmota sai no início de fevereiro e no dia 02 de fevereiro de todos os anos, comemora-se o Dia da Marmota. Na França, comemora-se o  La Chandeleur também no dia 02 de fevereiro, festividade de origem pagã. Há inclusive um provérbio:

À la Chandeleur, l’hiver se meurt ou prend vigueur.” – Na Chandeleur, o inverno morre ou se torna vigoroso.

É a mesma idéia do Dia da Marmota. Se a marmota sair, significa que o inverno vai ‘morrer’. Se a marmota não sair, significa que o inverno vai continuar. Percebam o quanto a chegada da primavera é comemorada e notada nesses países mais distantes do Equador. Claro, imaginem ficar tantas semanas com pouca luminosidade (já que o dia claro tem menor duração durante o inverno) e com muito frio. Muitas atividades ao ar livre são retomadas somente com a chegada da primavera.

Ano passado fiz um passeio pela Alemanha no inicio do outono. Eu estava na estrada com a Jaqueline  e observei rolos de feno nas propriedades rurais das margens da estrada. A Jaque falou que as pessoas já estavam se preparando para  o inverno rigoroso. Ou seja: o frio é tão intenso que há um planejamento enorme, uma mudança de rotina, para esperá-lo. E quando ele vai embora, a rotina das pessoas também muda.

Nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil, onde o frio é um pouco mais intenso do que no restante do nosso país, não notamos essa mudança na rotina. Ok, carregamos um casaco (bem mais fino do que os poloneses, alemães, norte-americanos ou franceses precisam, por exemplo). Mas as mudanças no planejamento e nas atividades rotineiras não são assim tão dramáticas.

No time-lapse feito Cracóvia, que abre essa postagem, podemos ver essas variações. É muito lindo. É possível observar que o ritmo da cidade muda. As roupas das pessoas e a quantidade de gente nas ruas. As cores também mudam: no outono, as folhas amareladas/avermelhadas. No inverno, tudo meio cinza, porque há menos luminosidade (e mais nebulosidade). No verão e na primavera, há muitas cores e tudo fica realçado.

Lindo demais! Obrigada, Silvio 🙂