Instrumentos meteorológicos no IPEM-SP



O IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas de São Paulo) tem um blog muito bacana (clique aqui).Descobri muito por acaso, quando procurava uma imagem para o blog. Gostei muito da diagramação do site, porque lembra uma newsletter dessas que o sindicato ou a associação de funcionários entrega. Achei bem retrôzinho, hehehe =)

Agora falando no mais importante, o conteúdo. Há 4 posts muito importantes para quem gosta de Meteorologia. Gostei do jogo de palavras: Meteorologia e Metrologia.

O primeiro que li é esse que fala sobre a medição da Umidade Relativa. No breve texto, o autor fala dos higrômetros que usam substâncias higroscópicas (como o fio de cabehigrodigital3lo) e nos modernos que usam sais de lítio. Sobre a figura ao lado, que mostra um higrômetro e termômetro digital,  talvez muitos já tenham visto algo parecido. Já vi desses instrumentos instalados em bibliotecas (talvez para saber quando o desumidificador vai ser ligado), em jardins de inverno e até em mesas de trabalho. Um colega meu tem um porta-lápis com um desses acoplados. E já ví vários para vender no Deal Extreme. Mas minha experiência de quase 5 anos trabalhando com instrumentos meteorológicos mostra que esses sensores digitais duram bem menos que os sensores analógicos, fabricados por grandes empresas alemãs como Lambrecht e Fuess. Os sensores analógicos tem um tempo de duração superior a 50 anos (meninos, eu vi!). Ah sim, e eu falei sobre a medição da umidade relativa nesse post de junho de 2013.

O segundo texto lá do IPEM que li foi sobre a medição da Pressão Atmosférica. O texto fala do experimento de Torricelli, que mencionei rapidamente nesse texto de março/2012 (gente, de 2 anos atrás!!!). O barômetro é o instrumento do qual mais gosto de falar para os alunos, porque ele possibilita uma aplicação rápida: é possível fazer uma previsão do tempo apenas usando como base a variação da pressão atmosférica nas últimas horas. Como destacam muito bem no texto do IPEM:

Utiliza-se o barômetro para estudar o clima, inclusive previsão do tempo climático. Sim, a gente sabe que a previsão do tempo não inspira muita confiança. O barômetro ajuda bastante, pois quando a pressão atmosférica cai, existe uma boa chance de chover, nevar ou cair uma tempestade. Na verdade, prever o tempo é uma coisa muito complicada, não basta conhecer a pressão atmosférica. São necessários muitos outros parâmetros, como temperatura, nebulosidade, velocidade e direção dos ventos etc. A vida dos nossos quase homônimos, os meteorologistas, não é nada fácil.

Ah sim, há um texto bem interessante sobre o experimento de Torricelli aqui. E é possível fazer um barômetro caseiro, um excelente experimento para mostIlustração de Torricelli trabalhando na invenção do barômetro. Fonte: Camille Flamarion (1923)/Wikimedia Commonsrar em uma feira de ciências, por exemplo (veja aqui). Na figura do lado direito, temos uma ilustração de Torricelli trabalhando na invenção do barômetro (Fonte: Camille Flamarion (1923)/Wikimedia Commons).

O pessoal do IPEM também escreveu sobre pluviômetros. Acredito que dos três textos seja o mais importante, porque os olhos de todos estão voltados para a medição da chuva. Os reservatórios de diversas cidades com pouca água, principalmente os do Sistema Cantareira. Todo mundo está esperando a chuva. E a chuva também é esperada em regiões do semi-árido da Região Nordeste, região já castigada pela seca e que de acordo com o AR5 do IPCC pode ficar ainda mais seca no final do século.

Se você estiver estudando sobre pluviômetros, se pretende fazer um trabalho acadêmico sobre o tema e a aplicação dele na área de ensino, recomendo também esse post sobre pluviômetros. Depois de entender bem o instrumento e a maneira como a chuva é medida, recomendo ler esse post em que explico como fazer um pluviômetro caseiro. E fazer um pluviômetro caseiro tem uma vantagem muito interessante, porque se for feito direitinho, o instrumento vai fazer boas medidas e com boa confiabilidade. É possível até fazer um trabalho científico usando dados de uma boa rede de pluviômetros de garrafa PET. Além disso, o esforço tem uma importante aplicação. Já li diversos casos de órgãos de Defesa Civil que usam essas medidas de pluviômetro de PET para determinar se uma área deve ou não ser evacuada.

Pluviômetro de PET são baratos e de fácil operação. Claro que um pluviômetro digital, que manda diretamente os dados para uma central, é muito mais prático (até falei sobre isso nesse post em que falo da importância desse instrumento), mas o preço baixo e o caráter didático do pluviômetro de PET podem ser grandes atrativos.

E o quarto post da série fala sobre anemômetros, desde simples cataventos até anemômetros portáteis. O vento é o melhor exemplo da aplicação dos vetores, na minha opinião. Ok, você pode falar na velocidade de um carro, de um avião ou de um corredor. Mas o vento, a direção e a velocidade, tem implicações mais visíveis no nosso cotidiano (e mais interessantes). Por exemplo, um vento de Noroeste é um vento mais quente. Já um vento de Sudeste é um vento frio e úmido. Claro que falo tudo isso localmente, principalmente para o Brasil. Um morador da Alemanha já vai ter uma opinião diferente: um vento que vem de Norte está vindo lá do Pólo Norte. E claro, é um vento frio. Já um vento de Sul vem do Mediterrâneo e é bem mais agradável =). Acho que o vento é um assunto que dá para juntar Física e Geografia. E além do catavento básico (que a gente pinta e fica bem bonito), há alguns projetos que envolvem marcenaria para fazer um anemômetro caseiro. O que torna o projeto difícil é como instalar uma forma de realizar a medição. Bom, se eu encontrar algum projeto sobre isso, claro que vou postar aqui no blog.  E nesse post, falei sobre o funcionamento do anemógrafo, instrumento que registra o vento. E se você procura maneiras de realizar conversão do vento (de direção em ‘letras’, da rosa dos ventos,  para ° ou de mi/h para km/h), clique aqui.

Bom, espero que gostem desses links que encontrei no blog do IPEM. Confesso que até salvei os links em PDF, imaginando que o blog possa sair do ar ou algo assim (sou dessas rs).