Timelapse impressionante do desenvolvimento de uma supercélula no Kansas



The Climax, Kansas Supercells by Stephen Locke from Stephen Locke on Vimeo.

Meu marido me passou esse link que me fez ganhar o dia.

Supercélulas são um tipo específico de tempestade. São caracterizadas por estarem associadas a um mesociclone, que é um ciclone bem menor que os tropicais ou os extratropicais (falei deles aqui). Um mesociclone é uma região onde o vento gira, no interior da nuvem. Esse giro favorece o movimento ascendente de ar (que só faz alimentar ainda mais a nuvem de tempestade) e pode ar origem a um tornado. Na verdade, uma supercélula está associada à granizo, vento intenso proveniente da nuvem (downburst), tornado, chuva muito forte, etc.

O vídeo acima, feito no Kansas por Stephen Locke, mostra a formação de uma supercélula. Percebam que a nuvem vai “girando” e ficando cada vez maior, já que esse giro força que mais ar suba. O ar sobe, o vapor d’água presente nele condensa, e alimenta ainda mais a nuvem. Num certo momento, a nuvem vai ganhando protuberâncias na parte de baixo e um tornado ameaça formar-se.

A dimensão vertical da nuvem é impressionante. Percebam que ela é larga na base e no topo. Ela possui uma espécie de ‘cinturinha’, que é bem onde o giro acontece. É possível observar também uma imensa cortina de chuva, que parece ser bem intensa.

Adorei 🙂

Leia mais aqui.