Vídeo faz refletir sobre a exposição nas redes sociais



Eu estava assistindo um episódio do programa Tabu, do NatGeo. Esse episódio era sobre pessoas que fazem cirurgias plásticas. O programa focava em 3 casos brasileiros: uma modelo que queria colocar 3l de silicone em casa seio; um empresário que queria ficar sempre jovem e era viciado em cirurgias plásticas e outros procedimentos estéticos; uma jovem senhora que engordou muito, fez cirurgia bariátrica e iria fazer plástica para remover o excesso de pele.

O episódio é muito interessante (aqui dá pra vê-lo o Youtube), mas o que chamou minha atenção foi a excelente contribuição d Prof. Joana Novaes, coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza, da PUC-RIO . Ela diz que “numa cultura de Marketing Pessoal, de grande visibilidade, (…) o parâmetro de sucesso não se coaduna” com  não estar “dentro dos padrões”. Assistam o episódio todo, vale a pena :).

Bom, fiquei com aquilo na cabeça. Quando então vi o vídeo abaixo (é bem curtinho) e as coisas se completaram:

As redes sociais viraram grandes vitrines pessoais. Quando falavam em Marketing Pessoal na época que eu cursava o Ensino Técnico, falavam que tínhamos que escrever um bom currículo e que tínhamos que nos vestir e nos portar bem em uma entrevista e no ambiente de trabalho. Lembro de uma professora que falava muito sobre mercado de trabalho, e ela nos dizia que precisávamos mostrar confiança, que precisávamos prestar atenção no ambiente de trabalho (para não cometer gafes) e que n]ao deveríamos ter vergonha de dizer que não sabíamos algo e demonstrar interesse em aprender.

Hoje parece que o termo Marketing Pessoal agregou outro significado. O importante é mostrar-se no Facebook (Instagram, Twitter, etc). O importante é mostrarmos o quanto estamos bem, o quanto somos viajados, o quanto somos cultos, o quanto somos bonitos e bem resolvidos.  Mas a vida nem sempre é assim. Uma vez comprei um quadrinho de madeira bem pequeno e o pendurei em minha cozinha. Comprei porque o vendedor era muito simpático e gentil. E o que está escrito no quadrinho é uma grande lição:

“Viva com alegria os pequenos momentos da vida, porque os grandes momentos são poucos”

Pendurei o quadrinho na minha cozinha, onde passo todos os dias, para nunca me esquecer disso. Não é sempre que você come comida japonesa ou come uma sobremesa feita por um chef. Há dias que você come aquela marmita que revirou na bolsa, enquanto você estava no ônibus lotado. Não é todo dia que você faz uma viagem maravilhosa. Há dias em que você fica em casa, comendo pipoca e calçando Havaianas desgastadas.

As pessoas editam suas biografias nas redes sociais. Lembrem-se sempre disso. E valorizem os momentos pequenos :). E você pode viver sem precisar postar tudo o tempo todo. Guarde momentos só para você. Outro dia vi o link de um vídeo de uma garota mostrando o que ganhou no dia dos namorados. Por que não guardar a maravilha desse momento apenas para o casal? É necessário expor aquilo que ganhou? Vejo pessoas postando todas as fotos de viagem, sem restringir o acesso para amigos próximos e familiares. Será que isso é saudável? Eu acredito que não.  Vejo videologs em que mostram comprinhas, viagens, momentos particulares, etc. Muitos deles não são informativos, são apenas para mostrar itens. O que isso diz sobre nossa sociedade?

O pior: vejo pessoas que ficam frustradas ao observarem a tal grama do vizinho (ou a grama que o vizinho mostra). Pessoas que acham que suas vidas são infelizes e não enxergam o próprio brilho. Não conseguem enxergar que podem vencer obstáculos e podem brilhar mais, esforçando-se para serem pessoas melhores. Isso é tão triste :(.

the-truth-about-instagram

Por isso faço um pedido: se você acompanha alguém que te deixa assim, deixe de acompanhar. Acesse a internet apenas com objetivos claros: pagar uma conta, mandar uma mensagem para um amigo, escrever um texto bacana, baixar um filme/música/livro, ler textos interessantes, etc. E procure atividades que te preencha: hobbies, leitura, passeios, cursos, etc. Faça de cada pequeno momento de sua vida, um momento especial.