Lilapsofobia – que diacho é isso?

Muita gente sofre com fobias, aqueles medos paralisantes que impedem o indivíduo de chegar perto ou até de pensar no objeto do medo.

Recentemente encontrei na Wikipedia uma Lista de Fobias. “Divirta-se” procurando sua fobia na lista. Eu tenho uma muito séria, muito paralisante mesmo: herpetofobia, que é o medo de répteis ou coisas que se arrastam. Bom, meu medo concentra-se em jacarés, cobras, lagartos e lagartixas. E lagartixas são bichinhos bem comuns na maior parte do país. E confesso que enquanto escrevo isso, olho para o chão e paredes preocupada com a provável proximidade de uma delas.

Eu sei que vocês vão dizer: “ah, mas é um bicho tão bonitinho” ou “ah, mas elas comem os insetos”. Eu não quero saber! Elas me assustam. Em uma conversa recente com amigos, tentei traçar a origem desse medo. O fato é que ouvi histórias demais na infância. Por exemplo:

– Uma senhora, mãe de um amigo de meu pai, contou que uma lagartixa caiu em seu cabelo enquanto dormia (só de escrever me dá pavor!).

– Minha professora da segunda série conta que uma vez uma lagartixa caiu no café de uma colega dela. O café ficou envenenado (ok, vocês vão dizer que isso é impossível) e ela foi parar no hospital.

– Eu dormia na parte de cima de um beliche e via as cidadãs passando PERTINHO DE MIM.

Enfim, essas histórias podem explicar esse medo.

Tornado ocorrido em 3 de maio de 1999, em Oklahoma. Foto de Daphne Zaras. Wikimedia Commons

Tornado ocorrido em 3 de maio de 1999, em Oklahoma. Foto de Daphne Zaras. Wikimedia Commons

Mas, vamos ao medo que é título desse post: lilapsofobia. É o medo de tornados e furacões. Aparentemente, as pessoas que sofrem de lilapsofobia sofreram alguma experiência bem negativa envolvendo essas tempestades severas: danos materiais, ferimentos, morte de entes queridos, etc. Em outros casos, a pessoa foi a única sobrevivente de uma tempestade em sua casa ou em sua vizinhança e então sente-se culpada por isso.

Acabo de lembrar de um episódio de Desperate Housewives em que um tornado atinge Wisteria Lane. Lynette e sua família sobrevivem e ela não chega a ter lipso

Acabo de lembrar de um episódio de Desperate Housewives em que um tornado atinge Wisteria Lane. Lynette e sua família sobrevivem e ela não chega a ter lilapsofobia, mas começa a ter vontade de ser religiosa. Ela quer entender porque a família foi poupada.

Pessoas que passaram por esse tipo de experiência devastadora, além da lilapsofobia, podem sofrer de Transtorno do Estresse Pós-Traumático.

A lilapsofobia também pode ser aprendida: se seus familiares ou amigos tem essa fobia, ela pode ser “aprendida” por você. O que me faz voltar na herpetofobia: meus futuros filhos aprenderão isso? Ou vão querer ter uma iguana de estimação só para me atormentar?

Claro que é completamente normal verificar a previsão do tempo e os boletins de tempo severo. Aqui no Brasil não temos tanto essa cultura, mas em cidades norte-americanas onde tornados são comuns, toda a infra-estrutura da cidade é feita para que os moradores tenham acesso aos boletins e aos alertas. Só que a pessoa que sofre de lilapsofobia  fica checando os serviços de previsão do tempo de maneira exagerada. Chegam inclusive a deixar de sair de casa se houver previsão de tempestade. Alguns chegam ao ponto de não querer sair de casa até em dias ensolarados, questionando a previsão do tempo ou acreditando que uma tormenta pode surgir “do nada”. Fobias são incapacitantes.

E sim, minha herpetofobia é um pouco incapacitante. Uma vez fiquei paralisada na cozinha do trabalho depois de ver uma lagartixa dentro da cuba da pia. Deixei um pedaço delicioso de bolo cair no chão e senti um aperto horrível no peito.

Acho que o Nimbus não sofre de nenhuma fobia, ele curte meteorologia mesmo. Fonte: Maurício de Souza Produções

Acho que o Nimbus não sofre de nenhuma fobia, ele curte meteorologia mesmo. Fonte: Maurício de Souza Produções

Além da lilapsfobia, outra fobia relacionada com meteorologia e muito mais comum é a astrofobia, que é o medo irracional de trovões, relâmpagos e raios. Também pode ser incapacitante e também faz o sujeito ter obsessão pela verificação da previsão do tempo.

Fonte: Free Digital Photos

Fonte: Free Digital Photos

Outra fobia relacionada com Meteorologia que encontrei é a ombrofobia, que é o medo da chuva.

Se isso não é ombrofobia.... Fonte: Maurício de Souza Produções.

Se isso não é ombrofobia…. Fonte: Maurício de Souza Produções.

A aerofobia é o medo de ventos, engolir ar ou aspirar substâncias tóxicas. Há um nome mais direcionado ao medo de ventos: anemofobia.

A fengofobia é o medo do nascer do Sol ou medo da luz do dia. A heliofobia é um medo relacionado a este último: como o nome sugere, é o medo do Sol. Opositores dirão que sofro disso, só porque sou preocupada com fotoproteção.

Como eu indiquei antes, há uma lista de fobias. Para tratá-las, acredito o tratamento psicoterápico é a melhor forma. Meu medo de lagartixa está bem melhor. Acho que em alguns casos passa com o tempo.

***

Fontes

Leia mais sobre lilapsofobia e astrofobia.