Óculos de Realidade Aumentada – pra mim, tem uma vibe muito They Live



Essa semana eu estava lendo a edição mensal da revista FOCUS, da BBC (edição de Setembro/2014). A revista britânica de divulgação científica e tecnológica dá um banho em qualquer revista brasileira que possua o mesmo propósito, fiquei inteiramente apaixonada e vou renovar minha assinatura.

Em uma das matérias da revista, fizeram um excelente review de dois modelos de Óculos de Realidade Aumentada (Epson Moverio BT-200 e Google Glass), que prometem ser o gadget mais desejado dos próximos anos. Confesso que quando começaram a lançar os tablets, apesar do apelo Star Trek da coisa, eu não tinha interesse e não achava que seria o maior sucesso. Eu achava que um e-reader ok, talvez porque sempre fui bem aficionada por leitura e pensava na economia de espaço. Entretanto, um tablet com tantas funções e possibilidades já não seriam tão populares (era o que eu achava gente rs). O que me incomodava no início era a impossibilidade de “digitar” no tablet e eu acreditava que isso era um empecilho.

Picard em seu tablet rs
Picard em seu tablet rs

Bom, estou dizendo tudo isso porque agora não consigo viver sem meu Nexus 7 rsrs. Ou seja, eu não acreditava que os tablets seriam populares e cá estou com um tablet bem legal, que carrego para todos os lugares que vou. O fato é que demorei para sacar o real uso de um tablet: ele serve para consumirmos conteúdo e não para produzi-lo.

Além dos dois modelos de Óculos de Realidade Aumentada citados, ainda hoje vi também o review do Gear VR, modelo da Samsung. Esse modelo em especial parece ser bem desajeitado, muito grande. Os outros dois que mencionei, os reviews da revista FOCUS, parecem ser menorzinhos, mais cômodos. Ou seja, já vi 3 empresas que estão desenvolvendo Óculos de Realidade Aumentada. É possível que haja outras empresas fazendo o mesmo, como não sou  geek, não sei dizer. Foi como no caso do tablet: inicialmente, a Apple apareceu com o iPad. Depois, outras empresas também trouxeram modelos para o mercado.

Como me contradisse totalmente no caso do tablet,  não vou fazer nenhuma previsão sobre os óculos de realidade aumentada. Melhor eu continuar só com previsão do tempo rs.

Daniel Bennet, autor do rewiew da última edição da FOCUS, pontuou algumas coisas importantes. Por exemplo, a questão legal. Vamos supor que você está de boa com seus óculos tomando um café e de repente acontece um crime no restaurante onde você está. A polícia pode pedir as informações captadas pelos seus óculos, por exemplo.

Além dessa questão legal, imagine se o conteúdo filmado por você e armazenado na nuvem (nuvem de dados, rs) seja interceptado por terceiros, como no recente caso da iCloud. Isso poderia ser absurdamente constrangedor. Se as pessoas sacam um iPhone do bolso e filmam tudo o que lhes cerca, ficaria muito mais fácil filmar virtualmente qualquer coisa usando um par de óculos. Filmar momentos íntimos será bem mais fácil e talvez torne-se ainda mais comum.

E minha mente fã de ficção científica não deixa de pensar no filme Eles Vivem (They Live, 1988). No filme, dirigido por John Carpenter, o protagonista descobre que existe um modelo de óculos escuros que permite identificar alienígenas infiltrados na sociedade. Esses alienígenas disfarçam-se de humanos e em geral ocupam os postos de trabalho mais bem remunerados. Além disso, o óculos permite identificar “propaganda subliminar” escondida em outdoors e posteres.

they live

Tá, o filme é uma sátira, é bem engraçado e é famoso por causa dessa cena:

“I have come here to chew bubblegum and kick ass…and I’m all out of bubblegum.”

É que não consigo parar de pensar nesse filme quando penso nesses óculos de realidade aumentada. Só que acho que em nosso caso esses óculos vão funcionar “ao contrário”, pois vão fazer com que deixemos de captar as belezas do dia a dia. Acho que com os óculos as pessoas vão prestar ainda menos atenção nas coisas que as cercam. Talvez vão apreciar ainda menos a natureza. E talvez a quantidade de acidentes (quedas, tropeços, atropelamentos, etc) em decorrência do uso da tecnologia aumente ainda mais. Bom, é exatamente o que vivemos hoje, não? Observe no metrô, no ônibus e até mesmo andando na rua: tem pessoas que vivem com os olhos grudados no celular.

Dessa forma (mudo de ideia), talvez os óculos diminuam acidentes, já que vai ser possível prestar a atenção em dois mundos interconectados. A questão é saber se a atenção que podemos dispor é suficiente.

Bom, e como moça míope eu acho muito estranho usar um óculos sem precisar dele. E se eles prejudicarem a visão? E será que meus óculos serão compatíveis com o uso de Óculos de Realidade Aumentada? Ok, vocês vão dizer que eu poderia usar lentes de contato, mas não tenho interesse. No momento também não tenho interesse em usar esses óculos de realidade aumentada. Mas como no caso do tablet, pode ser que eu mude de ideia.

Uma coisa bacana que foi abordada no review da FOCUS é que esses óculos podem ser modificados e adaptados para serem utilizados no ambiente hospitalar. Dessa forma, um médico pode monitorar o organismo do paciente com mais facilidade enquanto realiza uma cirurgia, por exemplo. Muito bacana =).

E claro, além do filme Eles Vivem, também não posso deixar de pensar no Comandante Geordi La Forge, de Star Trek: TNG. Na série, La Forge é cego, mas ele consegue desempenhar sem nenhuma limitação e com muito profissionalismo seu trabalho como chefe da Engenharia da nave USS Enterprise. Ele usa o V.I.S.O.R (Visual Instrument and Sensory Organ Replacement), que permite que ele enxergue não apenas no espectro visível. Claro que o objetivo superficial do V.I.S.O.R é completamente diferente do de nossos Óculos de Realidade Aumentada, mas observando de maneira mais profunda, acredito que é isso que as pessoas desejam: enxergar ainda mais. A verdade é que a gente não consegue absorver nem aquilo que a gente já enxerga.

La Forge usando o VISOR
La Forge usando o VISOR

Bom, é incrível como nossa imaginação e o desenvolvimento tecnológico caminham lado a lado.

P.S.: E se alguém quiser Eles Vivem, tem completo no Youtube.