A cidade de São Paulo está com o ar menos poluído



Quando li Novembro de 1963 (fiz resenha aqui), uma das observações feitas pelo protagonista-narrador Epping/Amberton é de que o passado tem cheiro de poluição.  Trazendo essa constatação da Nova Inglaterra para a realidade de São Paulo-SP, conclui-se que o mesmo acontece por aqui, pelo menos para alguns poluentes específicos.

Em um estudo recente feito por pesquisadores do IAG/USP foi revelado que nos últimos 30 anos, caiu consideravelmente a concentração de um poluente chamado acetaldeído. Parte dos resultados dessa pesquisa foram divulgados na Revista FAPESP, que tem como objetivo divulgar pesquisas científicas financiadas pela agência de fomento de mesmo nome.

O acetaldeído pertence a família dos aldeídos e é liberado principalmente por veículos movidos a etanol. Os aldeídos estão associados com irritações nas mucosas, crises asmáticas, são carcinogênicos e contribuem para o aquecimento global pois na forma de gás, ele absorve radiação infra-vermelha, deixando a atmosfera mais quente.

No primeiro gráfico da figura abaixo é possível observar a queda na concentração de acetaldeídos. Essa queda deve-se principalmente ao aperfeiçoamento da tecnologia dos motores a álcool. E mesmo com o recente aumento de carros com motores flex (que aceitam álcool e gasolina), a concentração de acetaldeídos continuou em declínio. Além do aumento do número de veículos com motores flex, houve também um aumento na frota. O segundo gráfico da figura abaixo mostra que no início da década de 80 tínhamos 1 carro para cada 15 pessoas. Em 2011, era 1 carro para cada 3 pessoas. Mas ainda assim, a concentração de acetaldeído caiu ao longo de quase 30 anos de dados.

068-071_Ar-Limpo_224-1

A pesquisa foi publicada no periódico científico Fuel e o gráfico acima foi adaptado desse periódico pela equipe da Revista FAPESP.

Para frear o aumento da emissão de aldeídos, é fundamental investir em catalisadores. Catalisador é um equipamento instalado no escapamento de um carro e que tem como objetivo tratar os gases emitidos no processo de combustão antes que eles sejam liberados no ambiente. De acordo com a reportagem de divulgação, todos os veículos que saem das fábricas atualmente precisam atender uma resolução do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores) que determina que os veículos devam vir equipados com catalisadores de 3 vias, que recebem esse nome porque ajudam a reduzir as emissões de três tipos de poluentes atmosféricos: monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NO2) e compostos orgânicos voláteis, grupo no qual se inserem os aldeídos.

Além dos catalisadores, a maior popularização de carros com injeção eletrônica e a melhoria da câmera de combustão também contribuíram para essas melhorias na qualidade do nosso ar. Como não entendo nada de carros, além do básico, leiam a reportagem para mais informações.

Uma notícia boa para quem mora nas cidades! Mas é preciso lembrar que o vilão ainda é o material particulado, que quando é bem fino pode entrar em nossas vias respiratórias. As complicações vão desde asma até enfisema pulmonar e problemas circulatórios. Falei sobre esse tipo de poluente nesse post.

Perdoem pela ausência de posts nos últimos dois dias. Teve um feriado e aproveitei a ocasião para passear, ler, ver filmes e arrumar a casa. Fui a um lindo sítio no último sábado e encontrei um fogão a lenha em ruínas, um grande emissor de material particulado. Fiquei pensando na saúde prejudicada de tantas mulheres que no passado ficavam em cozinhas escuras, cozinhando para suas famílias e inalando partículas da queima da lenha.

10707242_1555532031327618_1360431300_nEssa semana acho que vai ter resenha de outro livro do Stephen King. Também estou atuando como first reader de alguns contos, mas ainda é segredo =). Não vou prometer nada, mas fiquem ligadinhos.