Tempest prognosticator (Previsor de Tormenta)



gggg
O “Previsor de tormenta” era um sistema de previsão do tempo que tentava prever tempestades usando sanguessugas (isso mesmo) presas dentro de recipientes de vidro. As sanguessugas ficariam agitadas pouco antes das tempestades e tentariam subir pelo vidro, ativando um sistema de sinos. A foto parece ter sido tirada em algum Museu de Ciências, mas infelizmente não encontrei detalhes sobre qual museu seria. Fonte: Wikimedia Commons

O “Previsor de Tormenta” era um sistema de previsão do tempo que tentava prever tempestades usando sanguessugas (isso mesmo) presas dentro de recipientes de vidro. As sanguessugas ficariam agitadas pouco antes das tempestades e tentariam subir pelo vidro, ativando um sistema de sinos. A probabilidade de tempestades seria maior dependendo do número de vezes e da intensidade que os sinos seriam tocados.

Quem me mostrou o Previsor de Tormenta foi o Gabriel, um amigo meu da época de faculdade. Como eu, ele também adora essas “curiosidades bizarras”. O Previsor de Tormentas é uma invenção do século XIX. Foi inventado por George Merryweather, médico de família e entusiasta da Meteorologia. Há pelo menos dois fatos curiosos sobre Merryweather:

– A tradução de seu sobrenome seria “Tempo Feliz” e o sujeito inventa um dispositivo para prever tempestades, o que é muito curioso;

– Ele morreu em 1870, mas reza a lenda que ele foi visto em 1871 (sim, um fantasma? ou ele enganou todos sobre sua morte?).

No tempo de Merryweather, sanguessugas eram usadas em procedimentos médicos de sangria. Certamente Merryweather, que era médico, notou que as sanguessugas ficavam mais agitadas quando uma tempestade estava se aproximando. O médico inclusive detalhou o que ele considerava como “reação das sanguessugas à variações das condições elétricas da atmosfera”.

Merryweather teria sido inspirado por um poema chamado Signs of Rain (de autoria de Edward Jenner). O poema diz:  “The leech disturbed is newly risen; Quite to the summit of his prison.”

A tradução seria algo mais ou menos como: “A sanguessuga perturbada acaba de surgir; Exatamente no apogeu de sua prisão.”

Fui pesquisar mais sobre o poema e descobri que ele fala dos sinais da natureza antes da chuva acontecer. Fala da mudança no comportamento dos animais, por exemplo. Teria sido escrito por Edward Jenner, também médico, que viveu no século XVIII. Jenner escreveu o poema como uma “desculpa para não aceitar o convite de um amigo para uma excursão no campo”. Ele disse que choveria e falou de todos os sinais que apontariam para isso.

Jenner certamente é mais conhecido como seu trabalho como médico do que por seu hobby como poeta, pois é considerado o “pai da Imunologia” uma vez que descobriu  a primeira vacina (contra varíola).

Ainda sobre o poema, percebi que esse verso sobre a sanguessuga aparece só em edições antigas, como nesse periódico de 1861 (veja página 163). Em edições recentes do poema, a parte sobre as sanguessugas não aparece (como nessa reprodução). Não sei o porquê, mas deixo abaixo um recorte de uma edição de Living Age, de E. Littell (saiba mais sobre o periódico aqui) , periódico de 1861 que apresenta o referido poema com esse verso da sanguessuga:

 books

books (1)

A partir dessas inspirações,  Dr. Merryweather  teria passado boa parte do ano de 1850 desenvolvendo suas ideias para a criação do Previsor de Tormenta. Inicialmente, ele chamou o dispositivo de “Telégrafo Eletromagnético Atmosférico, condizido por Instinto Animal”. Merryweather vislumbrava que os governos e a indústria naval utilizariam seu dispositivo.

Em 1851, Merryweather apresentou o invento na Great Exhibition (Grande Exposição), famoso evento mundial que ocorreu em Londres naquele ano (leia mais aqui). O projeto de Merryweather foi fabricado por artesãos locais e o design foi inspirado em templos indianos (veja imagem que abre a postagem). No mesmo ano, Merryweather deu uma palestra de quase três horas para os membros da Philosophical Society entitulada “Essay explanatory of the Tempest Prognosticator in the building of the Great Exhibition for the Works of Industry of All Nations” (Ensaio explicatório do Previsor de Tormentas no prédio da Grande Exposição de trabalhos da Indústria de todas as Nações”.

Se a gente for pensar nos parâmetros de hoje, é totalmente bizarro que um monte de potes contendo sanguessugas ganharam tanto destaque em um evento mundial. A gente precisa lembrar que naquele tempo, a previsão do tempo era uma arte “misteriosa”, o que é muito diferente de hoje.

O design de Merryweather consistia em 12 recipientes de vidro dispostos em um círculo. Em cada recipiente haveria uma sanguessuga. Segundo o inventor, essa disposição em círculos evitaria que as sanguessugas se sentissem sozinhas (por favor, leitor, não ria rs). Em cada recipiente era colocado um pouquinho de água da chuva e e seguida cada sanguessuga então era colocada dentro de cada vidro. De acodo com Merryweather, as sanguessugas ficam alteradas pois são influenciadas pelo “estado eletromagnético da atmosfera”. Dessa forma elas subiriam pelo recipiente de vidro, atingiriam um tubo de metal no topo do vidro e dessa forma fariam com que um sino grande no topo do arranjo tocasse. Quanto mais intensamente esse sino tocasse, maior a probabilidade de tempestade.

Fico aqui imaginando uma palestra de TRÊS HORAS sobre isso. Merryweather deve ter contado todos os detalhes da fabricação do instrumento. Claro que não há eficácia comprovada sobre o funcionamento do instrumento. Além disso, é um instrumento que não é nada ético com os animais e mesmo se fosse, deve dar um trabalho manter essas sanguessugas todas vivas e saudáveis. Além disso, como quantificar a reação de cada sanguessuga, uma vez que indivíduos de uma mesma espécie de animal podem produzir reações e ter tempos de resposta diferentes. Entretanto, não deixa de ser um fato curioso. Hoje sabe-se que o que provavelmente afeta o comportamento das sanguessugas é mais as variações na pressão atmosférica que ocorrem antes de uma tempestade do que as alterações no campo eletromagnético. Tanto que o Previsor de Tormentas também é chamado de Barômetro de Sanguessugas.

O dispositivo original de Merryweather já não existe mais, mas existem algumas réplicas por aí, como informa esse verbete da Wikipedia (que inspirou o post).  Obrigada, Gabriel =).

Quer continuar impressionado? Existem pessoas que acreditam que sanguessugas podem ser ótimos animaizinhos de estimação e inclusive dão dicas sobre como cuidar delas. Veja aqui. Citando um conterrâneo famoso de Merryweather,  Shakespeare, em Hamlet: “Há mais coisas entre o céu e a terra, Horácio, do que sonha a nossa vã filosofia”