2014: o ano mais quente desde 1880



A animação acima  mostra a temperatura da superfície da Terra em 2014, em comparação com a média calculada entre 1981-2010 , seguido de mapas mensais de diferença de temperaturas médias para cada mês de janeiro a dezembro de 2014. Os mapas são baseados em dados do National Climatic Data Center do NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) .

Em 2014, a temperatura do solo e da superfície dos oceanos combinadas ficaram 0,69°C acima da média do século XX, tornando-se o ano o mais quente desde que os registros começaram em 1880. Considerando apenas a temperatura dos oceanos, 2014 foi recorde. Considerando apenas a área continental, 2014 foi o quarto mais quente. Cinco meses estabeleceram novos recordes para o calor : maio, junho, agosto, setembro e dezembro. Outubro empatou com o recorde anterior.

Dezenove dos vinte anos mais quentes registrados ocorreram nos últimos 20 anos. Com exceção foi 1998, os 10 anos mais quentes registrados ocorreram desde 2002.

annualtempanom_1880-2014_610A NOAA possui um site chamado Climate.gov, que tem por objetivo compartilhar informações sobre mudanças climáticas e sobre o clima de um modo geral para a população e para a imprensa. A imagem acima foi compartilhada nesse texto, e ela mostra todos os anos, desde 1880 e a comparação com a média do século XX. Quanto mais perto do zero, mais próximo da média do século XX aquele ano está. E as barras azuis indicam anos com temperatura abaixo da média, enquanto as barras vermelhas indicam os anos que ficaram acima da média do século XX. Repare que nos últimos 20 anos, estão marcados os 10 anos mais quentes (em vermelho mais forte), que mencionei anteriormente.

O gráfico foi feito usando os dados da NOAA, anteriormente mencionados. São dados globais, de diversas estações meteorológicas espalhadas pelo mundo. É possível notar como o aquecimento acelerou seu ritmo nos últimos 20-30 anos.

A temperatura média da superfície da Terra aumentou significativamente ao longo do século XX. Entretanto, em algumas estatísticas da NOAA compara-se com dados de 1981-2010, que é uma normal climatológica. Isso é feito porque se levarmos em consideração apenas a média mais longa (do século XX), constataríamos apenas anomalias positivas de temperatura, ou seja, aquecimento.

A NOAA publicou um relatório completo para o ano de 2014. Consulte-o aqui.

Na Estação Meteorológica do IAG-USP (ou seja, agora estou falando apenas de um ponto de dados, apenas de uma estação e não do globo todo), há um problema parecido. A Estação Meteorológica do IAG-USP (EM-IAG-USP)  está em funcionamento desde 1933. Quando consultamos um Boletim Climatológico, é comum aparecer duas normais climatológicas (de 1933-1960 e de 1961-1990) e a média climatológica total (de 1933-2014). Para exemplificar, vou colocar abaixo o gráfico de temperatura média mensal do ar:

Temperatura Média Mensal do Ar na Estação Meteorológica do IAG-USP. As barras azuis representam os valores referentes ao ano de 2012, as barras vermelhas
Temperatura Média Mensal do Ar na Estação Meteorológica do IAG-USP. As barras azuis representam os valores referentes ao ano de 2012, as barras vermelhas apresentam os valores referentes ao ano de 2013. A linha verde é a normal climatológica de 1933-1960. A linha roxa é a normal climatológica de 1961-1990. E a linha laranja é a Média Climatológica de 1933-2013. Esse gráfico foi obtido no Boletim Climatológico Anual de 2013, que pode ser consultado aqui.

Observe que quando a gente compara os meses com a média climatológica (1933-2013), a linha laranja, quase todos os meses (com exceção de janeiro/2012 e janeiro/2013) ficam acima da média climatológica, ou seja, mais quentes que a média climatológica. O século XX foi muito quente, como dito anteriormente, e esses 80 anos de dados pegam esse sinal de temperatura acima da média.

Mas, quando a gente compara com as normais climatológicas de 1933-1960 (linha verde) e de 1961-1990 (linha laranja), verifica-se que é possível notar que alguns meses ficaram acima ou abaixo dessas normais. Em breve, em 2020, a Estação Meteorológica do IAG-USP terá a Normal 1991-2020. E comparando as três normais é possível notar como a média de temperatura aumentou ao longo dos anos.

E já que estamos falando do ano de 2014 e da Estação Meteorológica do IAG-USP, em uma notícia recente foi informado que 2014 foi o ano com maior temperatura média na EM-IAG-USP (veja aqui).

A Estação Meteorológica do IAG-USP registrou em 2014 média de temperatura de 20,1ºC, a mais alta desde o início dos registros, em 1933. Essa média considera todos os registros de temperatura obtidos durante o ano passado. A Estação faz medições de temperatura de hora em hora, durante todos os dias do ano. O recorde anterior era de 19,9ºC, atingido em 2002 e em 2012. O ano de 2014 também foi marcado pela maior média de temperatura máxima: 26,9ºC. Anteriormente, o recorde era o de 2012, quando a média de temperatura máxima atingiu 26,1ºC.

Ou seja, os dados globais da NOAA indicaram que 2014 foi um ano recorde de temperatura. E o dado pontual da EM-IAG-USP mostrou o calor recorde que tivemos em São Paulo-SP em 2014. Usando dados da EM-IAG-USP, é possível verificar quantos foram os dias com temperatura acima de 30°C desde 1933:

Dias com temperatura acima de 30°C. Fonte: EM-IAG-USP
Dias com temperatura acima de 30°C. Fonte: EM-IAG-USP

Observe que 2014 foi o ano com mais dias com essa característica: 109 dias. A média é de apenas 47 dias.