Como eu faço meus posteres?



Alguns devem estar pensando: “mas de que poster essa mulher está falando?”. Outros talvez já saibam do que falo:

Eu (mais nova e mais fofinha do que estava antes da gravidez) com o Luiz, um de meus melhores amigos. Estávamos em um Congresso de Meteorologia, em Florianópolis, no ano de 2006. Ao fundo, nossos posteres.
Eu (mais nova e mais fofinha do que estava antes da gravidez) com o Luiz, um de meus melhores amigos. Estávamos em um Congresso de Meteorologia, em Florianópolis, no ano de 2006. Ao fundo, alguns posteres do evento.

Aproveitei para resgatar a imagem acima, de um congresso que participei em 2006. O tempo passa e a gente muda, é incrível. Ao fundo, alguns dos posteres do evento. Nesse evento também apresentei um poster. Na época eu tinha acabado de entrar no programa de Mestrado do IAG-USP, mas fui apresentar os resultados da minha iniciação científica, que foi na área de Jatos de Baixos Níveis.

Desde 2004 eu já fiz vários posteres, para eventos diversos. Confesso que desde o início não gostei muito de fazer poster. A parte de fazer é até lúdica, gostosa, mas a parte de apresentar é muito chata! Normalmente você fica lá de pé por algumas horas, durante o horário da sessão de pôsteres. Normalmente há avaliadores, que passam pelos posteres e fazem perguntas, pois em alguns eventos há premiações para os melhores trabalhos exibidos na forma de posteres.  Em muitos casos, os avaliadores são os únicos que fazem perguntas ao passarem por você. Muitos apenas olham, sorriem e vão embora. E há momentos que você não sabe muito bem se a pessoa está interessada e fica com receio de começar a falar e a o curioso pensar: “poxa, eu só estava olhando, que moça tagarela”.

Além disso, o poster normalmente vale apenas para aquele evento. E você gastou dinheiro (quando não teve verba da instituição) e gastou recursos para imprimir algo que acaba indo pra o lixo. Eu até cheguei a guardar alguns posteres, mas vi que ocupavam espaço e ficavam ali no canto sem serem vistos. Joguei fora, com uma dorzinha no coração. Porque de alguma maneira eles representaram algo para mim, representaram aquele momento em que dei o meu melhor para falar de minha pesquisa.

De qualquer maneira, prefiro sessões orais. Elas tem mais destaque, quem tem interesse no assunto encontra uma sessão oral com mais facilidade do que encontraria em uma sessão de posteres (pelo menos é o que minha experiência mostra). E você faz a apresentação (normalmente usando o Power Point), apresenta uma única vez, responde perguntas e fim. Bem melhor! Sim, eu prefiro ficar diante de uma audiência de várias pessoas ao mesmo tempo do que ficar falando “pingadinho”. Além disso, acredito que a apresentação oral permite que você insira mais gráficos, permite que eles fiquem melhores, exclui a necessidade de textos grandes e o melhor: você não gasta rios de dinheiro com impressão!

Só que nem sempre uma sessão oral é possível para todos os trabalhos. E há eventos que contam apenas com sessão de posteres, como em um evento que fui no começo de Dezembro/2014 (4° Simpósio Aprender com Cultura e Extensão). Ontem eu fui no “Interdisciplinaridade em Mudanças Climáticas: pesquisas atuais e em desenvolvimento”, simpósio organizado pelo INCLINE-USP. Fui representar a Estação Meteorológica do IAG-USP, falando sobre como os dados dessa instituição podem auxiliar trabalhos de pesquisadores do INCLINE e de outros núcleos de pesquisa. Tive que fazer um poster novamente e pelos meus cálculos, deve ser quase o 20° poster que tenho que fazer desde 2004, sempre sobre temas diferentes, dependendo do assunto e da instituição onde estou trabalhando.

Pois bem, atualmente consigo fazer um poster em uma tarde, o que considero rápido. No começo eu demorava dias para fazer um poster. Confesso para vocês que meus métodos pouco mudaram desde 2004. Eu faço posteres usando o Microsoft Power Point, o que choca algumas pessoas que preferem aplicativos mais profissionais e mais específicos, como o Corel Draw.

Por que Microsoft Power Point?

Só que menciono pelo menos duas vantagens do uso Power Point:

– É fácil de mexer! É muito fácil de mexer, repetindo.

– Na maioria dos PC’s ou notebooks que compramos, o aplicativo já vem disponível (nem que na versão Student, ou algo assim – me refiro a versão mais simples).

Dicas gerais:

Dessa forma, vou ensinar (ou melhor, dar algumas dicas) vocês a fazerem um poster. Não sou nenhuma expert e nem sou a rainha do design, mas acho que a experiência me ensinou algumas coisas. Vou falar delas ao longo do texto. Antes de “colocar a mão na massa”, vou falar algumas coisas que considero bem importantes:

– Leia atentamente TODAS as instruções do Congresso, Workshop, Simpósio ou qualquer outro evento que você vai participar: gente, isso é muito importante. Alguns eventos deixam bem claro algumas informações sobre o tamanho do poster. Outros eventos dão diretrizes bem específicas sobre o tamanho das fontes e informações que devem constar claramente no cabeçalho. Alguns eventos mais CHATOS exigem que a impressão seja feita em determinados materiais (normalmente mais caros), como glossy paper ou lona. Dessa forma, leia tudo com muito cuidado. É muito desagradável chegar no local do evento e seu poster não estar de acordo com as normas do evento e com o espaço disponível para pendurá-lo.

– Evite fundo colorido: essa é outra dica muito importante. Sei que as vezes a gente quer fazer algo legal e diferente e sei que muita gente tem bom gosto e manja de design. Só que o fundo colorido pode dificultar a leitura do texto e a observação das figuras. Além disso, o fundo pode ficar todo desfocado na impressão. Além disso, posteres com fundo colorido demoram mais para secar e são mais caros para imprimir. O preço pode até dobrar com relação a um poster de fundo branco! Por isso, evite!

– Se não houver exigências sobre o material em que o poster deve ser impresso, utilize sulfite mesmo. Vai sair mais barato, a impressão vai ser mais rápida e vai secar mais rapidamente. Vai ser mais leve para carregar.

– Menos é mais! Evite inventar moda! É melhor fazer um poster mais simples, com as informações importantes de seu trabalho, do que um poster todo Hans Donner que tira o foco de sua mensagem.

– Cuidado com os tamanho das fontes utilizadas. Escreva e aumente o zoom do Power Point para 100%. E veja como fica na tela de seu computador. Fique atento para o tamanho das caixas de texto.

– Não misture fontes com serifa de fontes sem serifa. Você até pode usar fontes diferentes, mas tome cuidado ao combiná-las, pois o resultado pode ser desastroso.

– Muito cuidado também com o tamanho das imagens e fotografias. O mesmo vale: aumente o zoom do Power Point até 100% e veja como fica na tela de seu computador,

– Outro importante cuidado com os logos, imagens e fotografias são as resoluções. Escolha imagens com boa resolução, pois se elas tiverem que ser ampliadas, não ficarão granuladas.

– Converse com veteranos(as) de sua instituição, com professores, com seu orientador(a) e com funcionários(as). Eles poderão te dar dicas sobre lugares bons para imprimir seu trabalho. Poderão também dar outras dicas importantes sobre a confecção de seu poster e detalhes sobre o evento.

– Nunca deixe para imprimir o poster na última hora. Principalmente quando o evento fica em outra cidade. Nem pense em “procurar um lugar para imprimir no local”. É melhor imprimir o poster na sua cidade, em um local indicado por um colega ou que você já conhece e levá-lo em um canudo (vou falar do canudo no final do post). Evite imprevistos, pois podem nos deixar preocupados e podem fazer com que se deixe de focar no que é importante, que é no sucesso da apresentação.

Dicas de Power Point

Agora vamos ao como fazer. Não vou dar nenhuma receita pronta, mas vou falar algumas coisas do Power Point, o aplicativo que uso para fazer posteres.

Configurar Página: antes de começar a inserir os gráficos e textos, configure o tamanho da página de acordo com as especificações do evento que você vai participar. Veja onde você pode fazer essas alterações (seta vermelha):

img1

Quando você clicar no local indicado, vai aparecer uma janela onde você poderá controlar o tamanho do slide, em cm:

img2

Divida em colunas: percebi que a maioria dos posteres nos eventos tem tamanho da ordem de 90cm x 90cm, ou 90cm x 100cm ou até um pouco maior do que isso. Dessa forma, se for necessário colocar textos, é legal dividir o poster em colunas, dessa forma:

img3Dividindo o texto em colunas, você consegue organizar melhor o conteúdo e o poster fica mais fácil de ser lido. Basta observar a diagramação de revistas e jornais impressos.  E isso não é por acaso: dessa maneira, o conteúdo fica mais fácil de ser lido.

Verifique o tamanho das imagens: verificar o tamanho das imagens é importante para que ela não fique grande ou pequena demais. Para verificar o tamanho, basta clicar com o botão direito do mouse e ir em “Tamanho e Posição”, como na figura a seguir.

img4

 

Quando clicamos em “Tamanho e Posição”, algumas opções aparecem. Por exemplo, você pode mudar a altura e a largura de suas figuras nos campos indicados pelas setinhas (veja na imagem a seguir). A escala de tamanho também podem ser alteradas em %. Quando altera-se a altura, a largura é alterada automaticamente se a opção “Fixar taxa de proporção” estiver marcada.

img5O controle do tamanho das imagens pode ser feito pelo zoom. Para você ter uma ideia do tamanho que a imagem ficou, você pode aumentar o zoom. Isso é indicado na figura abaixo, onde aumentei o zoom em 100% e dessa forma eu consegui ver o tamanho real da figura em meu monitor. Isso te ajuda a saber se a figura ficou grande ou pequena demais.

img6

 

Não pretendo escrever um tutorial sobre como fazer posteres, pois como disse anteriormente, depende das especificações da organização do evento. Mas acredito que as dicas que dei poderão ajudar os iniciantes nessa “arte”.

Eu sonho com o dia em que haverá telas touch screen aos montes em todos os eventos, então não precisaremos imprimir nada. Bastará carregar o arquivo =)

Bom, se ainda puder ajudar, disponibilizo um poster que fiz para um evento recente. Ele está no formato .pptx. Claro que o objetivo não é usar as mesmas especificações, mas acredito que pode ser uma sugestão para quem está preocupado:

Poster exemplo [.pdf]

Poster exemplo [.pptx]

Salvando o poster no formato .pdf

Para evitar surpresas desagradáveis na hora da impressão e para facilitar a vida da gráfica (e consequentemente a rapidez com que seu poster será impresso), sugiro que salve-o em .pdf para encaminhar para a gráfica.

O programa mais utilizado para transformar arquivos em .pdf no Windows é o CutePDF. Ele funciona como uma “impressora virtual”. Você manda o arquivo ser impresso, mas no lugar de sua impressora, seleciona essa “impressora virtual” chamada CutePDF. Sei que há vários programas parecidos com o CutePDF, mas o que conheço é este. Além disso, ele é gratuito :).

Além de selecionar a impressora CutePDF, é importante que duas opções estejam marcadas na hora de ‘imprimir’ (ou seja, transformar em .pdf). Essas opções são “Ajustar ao Tamanho do Papel” e “Alta Qualidade”.

img7

Com o CutePDF, uma nova janelinha vai aparecer após clicar em “OK”. Você vai definir onde quer salvar o .pdf criado.

img8

Você poderá então salvar em seu pendrive e então levá-lo para gráfica de sua preferência.

Imprimindo o poster

Sugiro que quando for levar a gráfica, já tenha com você um canudo (falarei adiante) para guardar o poster. Isso evita surpresas. Vai que chove? Vai que molha sem querer?

Anteriormente, dei algumas dicas sobre a impressão. Veja qual tipo de material é exigido pelo evento. Converse com os funcionários da gráfica e veja se há necessidade de esperar a tinta secar. Encoste seu dedo de levinho, principalmente nas figuras, para ver se já secou. Só enrole seu poster quando a tinta estiver completamente seca.

Antes de mandar imprimir, faça uma total análise de seu poster. Veja se há muitos espaços em branco, veja se há erros de ortografia. Verifique a qualidade das imagens, veja se elas estão corretas. Gastei R$20,00 para imprimir meu último poster (em papel sulfite, fundo branco). Em algumas gráficas e em outros materiais, a impressão ficaria bem mais cara do que isso. Já pensou se eu tivesse errado algo e tivesse que imprimir novamente? Acho que eu ficaria bem chateada rs.

E se cometeu um “errinho” bobo, não se desespere e gaste dinheiro novamente. Tente imprimir, em impressora comum mesmo, uma correção para aplicar por cima do poster já impresso. Use cola bastão, porque ela não empelota sob o papel.

 

Como guardar o poster?

Existem uns “canudos” ou “tubos telescópicos” muito utilizados por estudantes de Engenharia Civil e Arquitetura. Eles custam cerca de R$25,00-R$40,00 (dependendo do tamanho e da qualidade) e são adquiridos em grandes papelarias. Aqui em São Paulo, são facilmente encontrados no Kalunga, por exemplo. Muitos são reguláveis, o que significa que atendem ao tamanho de diversos posteres:

tubo-telescopico-canudo-10cm-arquitetura-projeto-desenho-13768-MLB202020338_2170-O

 

Confesso que não acho esses canudos muito resistentes, mas eles ajudam muito. Há uma opção para quem curte um “faça você mesmo”. Eu já fiz dessa forma e é realmente muito simples. Você pode comprar 1m de cano de PVC de esgoto no depósito de sua preferência com a bitola de sua preferência (depende do tamanho do poster, do número de voltas que você pretende enrolá-lo e do número de posteres que você vai carregar). Também aproveite e compre dois terminais de PVC para a mesma bitola do cano que você comprou. Esses terminais serão as extremidades de seu canudo:

download

Você também vai precisar de uma cola para PVC. Daí é bem fácil: em um lado, você vai colar o terminal. Do outro lado, o terminal vai funcionar como uma tampa. Agora você pode pintar seu canudo, revestir com adesivos ou contact de sua preferência, etc. Se você for habilidoso, pode inclusive acoplar uma alça. Muita gente tem pedaço de cano sobrando em casa, que sobrou de uma reforma ou algo assim. Então em muitos casos seu DIY vai sair praticamente de graça. Além disso, esse “canudo caseiro” é mais resistente que o que você adquire. Se você vai usar muitas vezes ou se pretende despachar numa viagem aérea (quando o evento fica em outra localidade), é uma excelente dica.

Eu sugiro que cada um tenha o seu canudo. Isso de levar o trabalho do amigo pode dar muita confusão. O amigo pode acidentalmente perder o canudo e dessa forma perder o trabalho de todos pelos quais ele era responsável. E se o evento for de vários dias, sua sessão de poster pode ser em dia diferente da de seu amigo e vocês podem acabar não se encontrando. Por isso, para evitar desgastes e preocupações desnecessárias, sugiro que cada um tenha seu canudo. Ou de repente seu orientador pode ter um canudo e ser o responsável pelo transporte do trabalho de todos do grupo. Bom, acho que nem todos os orientadores topariam isso rs. Até porque nem sempre seu orientador participa do evento em que você irá fazer a apresentação.

*****

Alguém tem outras dicas? Sugestões? Perguntas? Deixe nos comentários =)

*****

 P.S: Depois que acabei de escrever, lembrei de algo bem importante. Levem fita adesiva, fita dupla face e ganchos (caso seu poster seja de lona e possua aquela ‘corda’ para pendurar). Esses ganchos podem ser improvisados com clips simples de metal (momento MacGyver). Muitas vezes a organização do evento dispõe desse material, mas em eventos muito grandes pode ser difícil achar alguém para te ajudar. Então é bom sempre estar prevenida.