Jesus expulsando os vendilhões – El Greco



El_Greco_059Apesar de ter no blog uma de Artes Plásticas, fazia algum tempo que não publicava nada.

Sempre que tenho a oportunidade de viajar, procuro conhecer os Museus da cidade. Simplesmente adoro andar por horas em museus. Não gosto tanto de arte moderna e contemporânea, mas visito e tento apreciar mesmo assim. Gosto também de Museus de Ciência, Museus de Arqueologia, etc. Adoro viajar no tempo dessas formas, já que nos iludiram com essa história de DeLorean 😉

A pintura que ilustra esse post é uma de minhas favoritas, pois ilustra uma interessante passagem do Novo Testamento, segunda parte da Bíblia cristã. É o único relato de Jesus usando a força física nos evangelhos, o que contrasta com a natureza pacífica descrita ao longo dos evangelhos.

Na narração do episódio, Jesus e seus discípulos viajam a Jerusalém para o Pessach (a Páscoa judaica). Lá chegando, ele expulsa os cambistas do Templo de Jerusalém, também conhecido como Templo de Herodes. Jesus os acusa de tornar um local sagrado em uma “cova de ladrões” através de suas atividades comerciais.  O relato aparece nos 4 livros dos evangelho que estão na Bíblia ( Mateus 21:12-17; Mateus 21:23-27; Marcos 11:15-19 e Marcos 11:27-33; Lucas 19:45-48 e Lucas 20:1-8; João 2:13-16)

Encaro essa passagem como um importante alerta para os cristãos. A Igreja Católica, que no passado cobrou indulgências, sendo um dos combustíveis para a Reforma Protestante. E as diversas igrejas pentecostais atuais, que cobram dízimos e ofertas de maneira exagerada, criando um ambiente que altera o estado emocional das pessoas e aproveitando-se do desespero das pessoas. Liguem a TV no horário nobre e vocês vão perceber que vários canais de pouca audiência  vendem horários para igrejas pentecostais diversas. Nas pregações, o sucesso e a prosperidade financeira são colocados em primeiro lugar. Nem vou mencionar a alusão ao ódio, com direito a exército e tudo.

Vários artistas fizeram retratações do episódio dos “Vendilhões no Templo” ou “Limpeza no Templo”. A obra acima é do pintor, arquiteto e escultor Doménikos Theotokópoulos (1541 – 1614). Por ser grego cretense (o que fica bem claro em seu nome rs), era conhecido por El Greco. Trabalhou muitos anos na Espanha, onde tornou-se conhecido (principalmente na região de Toledo). Foi um dos expoentes do Renascimento Espanhol. Para ler mais sobre o artista, clique aqui.

El Greco pintou muitas cenas bíblicas. Suas pinturas, para mim, são emocionantes, transmitem movimento e sentimento. Eu não tenho conhecimento técnico de artes plásticas, falo tudo isso como simples admiradora.

A obra em destaque chama-se “Vendilhões no Templo”. Pode ser impressão minha, mas o artista quis transmitir um senso de moralidade física. Explico: para o artista, os vendilhões não eram apenas pessoas sem escrúpulos que vendiam coisas no templo. Eram pessoas lascivas, com sexualidade. Veja a quantidade de peitinhos no quadro rs. Não gosto muito dessa associação, mas por muito tempo ( e ainda hoje) a sexualidade não é bem vista pela igreja. Quem gosta de sexo e não esconde isso é considerado imoral por completo, conclusão absurda que é claro, discordo. Até entendo que devemos ser discretos com relação a nossa vida particular (apenas opinião!), mas a gente não deve julgar quem pensa de maneira contrária.

Uma curiosidade sobre a obra: existem pelo menos 3 cópias da obra, todas feitas por El Greco. A versão que coloquei acima é de 1568 e está exposta na National Gallery of Art, em Washington D.C. Há entretanto uma cópia na igreja de San Ginés (Madrid) e outra na National Gallery (Londres). Pelo que li nesse livro, era comum que os artistas fizessem várias versões de seu trabalho, para aperfeiçoá-lo.

Um detalhe que gosto muito nesse quadro são as nuvens do lado de fora. Repare que o céu está azulzinho, com nuvens Cu (Cumulus) pequenas, talvez Cumulus humilis ou Cumulus mediocris. São aquelas nuvens fofinhas onde a gente adora ver cachorrinhos, ovelhas, pipocas, etc. Essas nuvens indicam um tempo bom, podendo eventualmente crescer no final do dia (dependendo do calor e da disponibilidade de umidade) e dar origem a nuvens de tempestade, os Cumulonimbus (Cb). Mas enquanto isso não acontece, os Cu indicam tempo bom. Parece um conto:

Num belo dia, Jesus estava dando um rolê com seus discípulos quando ele olhou para dentro do templo e se revoltou com aquela zona toda na casa de Deus. Ele resolveu entrar e tocar o terror”.

Por razões bem óbvias, esses ‘detalhes meteorológicos’ nos quadros chamam muito minha atenção. E como gosto muito desse pintor e desse quadro especificamente, resolvi dividir com vocês. Espero que tenham gostado.