Judite e Holoferne (Caravaggio) x Judite I (Klimt)



Depois que escrevi esse post , fui dormir pensando em outra obra de Caravaggio: Judite e Holoferne. É outra pintura com tema bíblico, que envolve decapitação, do qual não tenho muita familiaridade. Explico: o livro de Judite não está presente nas Bíblias usadas nas igrejas protestantes, então não estudei essa história na Igreja ou na Escola Dominical. Tive contato com ela apenas há pouco tempo. E pelo que li, parece que Judite seduziu o general assírio Holoferne. Ela deu bebida pra ele isso e tal. Depois ela pegou uma espada e cortou sua cabeça.

Esse tema é recorrente em trabalhos de diversos artistas, como Goya e Klimt (provavelmente o mais famoso quadro com o tema). Vou falar do de Caravaggio, que é lindo a sua maneira e vou falar do poder feminino que emana do quadro de Klimt.

Na obra de Caravaggio, o fundo escuro é contrastante com a luz colocada sobre os personagens, principalmente sobre o protagonista da cena. No quadro de Davi com a cabeça de Golias, a luz está sobre Davi. No quadro abaixo, a luz está sobre Judite. A moça, retratada como uma mulher extremamente jovem e bela. Reparem que as roupas e os traços físicos europeus da Judite de Caravaggio em nada têm a ver com  a de uma mulher  hebreia que teria vivido vários anos antes da era cristã. Mas era extremamente comum que os artistas usassem como modelo pessoas conhecidas e tentassem trazer a realidade ‘bíblica’ para o cotidiano, aproximando ainda mais os fieis da Igreja.

Gosto da feição de Judite: ela mostra uma certa repulsa, mas ela sabe que é a coisa certa a se fazer. Essa é a quest dela.  A propósito, o antigo testamento é todo RPG. Todo rpgista deveria ler para buscar inspirações rs.

1024px-Caravaggio_Judith_Beheading_Holofernes

Judite tem uma comparsa, uma mulher mais velha que não sei quem é, pois não estou familiarizada com a história. Ela já tem um pano para cobrir os restos mortais de Holoferne, mostrando uma ação totalmente premeditada. Como no quadro com Davi, Caravaggio mostrou o sangue jorrando. A feição de Holoferne indica que por alguns segundos ele despertou da ressaca e “sacou” o que iria acontecer com ele.

Eu lembrei desse quadro pouco antes de dormir porque fiquei me perguntando: será que Holoferne também é a fuça de Caravaggio e eu não tinha reparado? Bom, minha conclusão é que não parece ser não. Caravaggio tinha essas “bolsas” debaixo dos olhos, bem características. Usava também um cavanhaque. O rosto de Holoferne é diferente, embora para mim pareça ter sido inspirado no rosto de um homem mediterrâneo, provavelmente um homem conhecido de Caravaggio que o ajudou como modelo.

Aproveitando o tema de Judite, lembrei de outro quadro, muito mais novo. Enquanto o de Caravaggio foi concluído por volta de 1599, o de Gustav Klimt foi concluido em 1901.

O trabalho de Klimt é intitulado como Judite I e retrata uma Judite bem mais poderosa:

293px-Gustav_Klimt_039Vou contar uma história bem engraçada sobre esse quadro. Quando eu tinha uns 13-14 anos, eu cortava o cabelo num local bem perto de casa. Era um “salão feminino”. Antes eu contava meu cabelo com o cara roqueiro (muito gente boa) que atendia perto de casa, que cortava o cabelo do meu pai e do meu irmão. E o cara ainda corta o cabelo do meu pai.  Com 13 anos, vaidade aflorando, percebi que ele não manjava muito de cabelo feminino rs. Daí fui nesse salão feminino e havia uma reprodução desse trabalho de Klimt. Claro que na época eu nem sabia quem era Klimt, nem sabia nada de nada. Mas lembro que achei essa pintura sensual. Achei o rosto tão bem pintado que parecia uma fotografia. Parecia algo saído de uma Vogue da década de 1970. Achei que a personagem retratada ali queria seduzir quem estivesse olhando. Não achei o quadro particularmente bonito, mas essa ideia de sensualidade ficou na minha mente. Para vocês terem uma ideia, nem reparei direito na cabeça do lado esquerdo da mulher. E nem conhecia a história de Judite.

Agora voltando para quase 20 anos depois, hoje no caso, ainda vejo a mesma sensualidade nesse quadro. Ela não demonstra repulsa, ela demonstra satisfação. Caravaggio retratou Judite como uma “moça virgem”. Ou seja, ela nem teria tido relações com Holoferne. Deu bebida pra ele, ele capotou e perdeu a cabeça. A Judite de Klimt se aproveitou, fez sexo, seduziu o cara de verdade. E depois o matou. Klimt retratava mulheres no estilo femme fatale e acredito que ele exaltava o poder de sedução feminino. Enquanto o ato do assassinato é o protagonista no quadro de Caravaggio, aqui no quadro de Klimt é a sedução que é a protagonista. Os dois quadros são lindos de suas maneiras.