Tem dias em que tudo dá errado!



double_facepalm22

Estou escrevendo esse texto como um desabafo. E também para que outras pessoas que já se confundiram com datas ou horários sintam-se menos “irresponsáveis” ou “idiotas”. Eu não sei porquê, mas quando uma situação desagradável já aconteceu com outra pessoa também, sinto que não estou sozinha. E entendo que todos nós estamos sujeitos a erros.

A situação foi a seguinte: eu tinha me programado para ter um dia de trabalho completamente diferente hoje. Ao invés de ficar no escritório que costumo sempre ficar, eu iria dar uma palestra para a terceira idade, intitulada “Como Funciona uma Estação Meteorológica?”. A palestra seria lá na Cidade Universitária. Saí cedo de casa, cheguei no local 11h45min. Mandei um e-mail para a coordenadora, avisei que tinha chegado e que iria almoçar.

Eu estava CRENTE de que a palestra seria as 14h. Porque as palestras costumam ser nesse horário. Ainda encontrei uma das organizadoras por volta das 12h, disse que iria almoçar e depois falaria com ela. Almocei em cerca de 40min, voltei para o prédio onde a palestra seria. Fui tomar café, ver meus e-mails, acreditando que tinha tempo de sobra. Quando eram 13h40 min mais ou menos, vejo uma das organizadoras preocupada. A palestra era 13h! As pessoas foram embora chateadas e claro, ninguém esperou 40min.

Quando eu soube do meu erro, meu rosto “pegou fogo”. Comecei a suar frio, me deu um mal estar muito esquisito. Fiquei chateada, frustrada e acho até que tive alguma alteração na pressão.  Em outras palavras, eu não sabia onde enfiar a minha cara!

Não sei se já aconteceu com você, leitor, mas já sentiu isso? Essa sensação de “eu sou muito incompetente, não deveria estar aqui”. Eu estou até agora assim. Aproveitei a viagem para resolver uma outra coisa referente ao trabalho e depois fui embora, porque eu me sentia CONSTRANGIDA olhando para meus colegas que esperavam que eu desse uma palestra. Na volta, já no Metrô Butantã, fui tomar uma paleta (milho verde, muito boa). Fiz isso na esperança de me sentir um pouco melhor. A vendedora falava comigo e eu não entendia! Como se eu estivesse em outro universo, deslocada e de repente não sabia mais falar e entender português.

Não me acho o pior ser humano da face da Terra por conta desse erro, não sou mais exagerada assim. Mas eu me sinto PÉSSIMA quando não consigo fazer algo simples. E esse negócio de horários e compromissos sempre mexem comigo porque sou exigente comigo e com os outros nesse ponto.

Pois então, hoje foi o dia em que fiz algo errado no trabalho. Acho que muita gente já passou por isso e a cobrança interna é bem pior que a externa. Entretanto, tentando extrair uma limonada suiça deliciosa de um limão esturricado esquecido numa gaveta de geladeira, vou postar aqui algumas coisas que concluí com isso tudo:

– Não somos perfeitos! Acho que situações assim acontecem para lembrarmos de nossa vulnerabilidade.

– Não podemos julgar! Lembro que certa vez rolou uma fofoca na blogosfera de moda que era mais ou menos assim: uma blogueira maquiadora marcou um horário com uma moça, para fazer a maquiagem do casamento, e a blogueira simplesmente não apareceu. A moça que iria casar ficou mal, desesperada, etc. Não sei o que aconteceu com a blogueira, não sei o que ela alegou porque não acompanhei a fofoca toda. Mas lembro de na ocasião ter julgado a blogueira. E quem sou eu? Todos estão sujeitos a cometerem erros. E isso foi esfregado na minha cara hoje.

– Devemos encarar nossos erros de frente! Já mandei um e-mail para a organizadora, já pedi desculpas. Como ela tem os e-mails de quem iria assistir a palestra, ela vai encaminhar minhas desculpas para eles. Espero que todos entendam.

– Mas se não entenderem…paciência! Não podemos controlar as atitudes dos outros! O que posso fazer? Pedi desculpas sinceras, o que cabia a mim. Sugeri uma reparação, dando a palestra em outra data. Fiz o que podia. Não posso ficar remoendo isso, não posso deixar que isso faça com que eu me deprecie. Eu já estou me sentindo mal por tudo isso, não posso exagerar e transformar isso em algo maior do que é, pois fará mal para mim.

E para tentar reparar mais alguma coisa, deixo abaixo a palestra que eu tinha feito com muito carinho:

Atualizei os dados, pretendia falar do Sr. Richard Hendrickson, o observador meteorológico que está há mais tempo em atividade. Ele trabalha no interior do Estado de Nova York e foi homenageado pela NOAA. Nossa, eu realmente fiquei chateada demais por não ter dado a apresentação. Eu gosto de acreditar que há um Universo Paralelo onde consegui apresentar tudo bem bonitinho, como eu sonhava. Sim, Stephen Hawking não está apenas consolando as fãs de One Direction…