A “Cientista” Grávida – O ciclo lunar e conversa de médica (episódio 18)



Lembram quando escrevi esse artigo sobre a influência da Lua na gestação? Pois então, eu estava lendo uma série de artigos do Baby Center e encontrei esse. Mais simples impossível:

Ao que tudo indica, a força gravitacional da lua não tem como afetar o corpo humano.
(…)
As pessoas em geral prestam mais atenção quando o nascimento coincide com a mudança da lua, mas não guardam na memória os casos em que o parto não coincide. Talvez seja essa a origem dessa crença..

Os artigos do Baby Center são escritos por profissionais da área (ou eles atuam como consultores). Fiquei muito feliz em ver um site tão famoso divulgando informações corretas e não pseudociência.

Pretendo falar de duas pérolas que ouvi de uma médica. Uma delas tem a ver com a duração da gravidez e a outra tem a ver com o sonar, aquele aparelho usado em todas as consultas de pré-natal para verificar os batimentos cardíacos fetais. Para o post não ficar muito longo, no post de hoje falarei apenas da pérola da duração da gravidez.

Fui no consultório de uma médica, que me disse o seguinte:

– A gravidez tem duração de cerca de 40 semanas. Mas as pessoas pensam assim: “Ah, o mês tem 4 semanas, logo são 10 meses então posso pedir licença maternidade a partir da 32° semana”. Mas não é bem assim, porque são meses lunares.

Olha, tem dias que estou bem cansada e tenho preguiça de argumentar. Em outras situações, sei que a pessoa está errada, porém não quero ser arrogante/deselegante ou não tenho um argumento pronto ali na hora. Há outros momentos que só percebo que a pessoa está muito confusa ou não soube explicar direito, mas o argumento não está de todo ruim.

Vamos entender o que há de errado o que a médica falou. E primeiro, a gente precisa entender como surgiu o calendário que utilizamos atualmente, o Calendário Gregoriano. Esse calendário foi promulgado pelo Papa Gregório XII, em 24 de Fevereiro de 1582, em substituição ao calendário juliano, implantado pelo líder romano Julio Cesar cerca de 600 anos antes.  Esse calendário é atualmente utilizado praticamente em todo o mundo, para facilitar as interações entre as nações e também porque a Europa sempre exportou seus padrões.

Mesmo em países que usam calendários próprios de sua cultura (como o Calendário Chinês), o calendário gregoriano coexiste para facilitar essa interação entre as nações.

Para saber mais sobre o Calendário Gregoriano, clique aqui.  O Calendário Gregoriano se aproveitou dos nomes dos meses utilizados em outros calendários:

Janeiro: Jano, deus romano das portas, passagens, inícios e fins.
Fevereiro: Februus, deus etrusco da morte; Februarius (mensis), “Mês da purificação” em latim, parece ser uma palavra de origem sabina e o último mês do calendário romano anterior a 45 a. C.. Relacionado com a palavra “febre”.
Março: Marte, deus romano da guerra.
Abril: É o quarto mês do calendário gregoriano e tem 30 dias. O seu nome deriva do latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que Abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vénus, deusa do amor e da paixão.
Maio: Maia Maiestas, deusa romana.
Junho: Juno, deusa romana, esposa do deus Júpiter.
Julho: Júlio César, general romano. O mês era anteriormente chamado Quintilis, o quinto mês do calendário de Rômulo.
Agosto: Augusto, primeiro imperador romano. O mês era anteriormente chamado Sextilis, o sexto mês do calendário de Rômulo.
Setembro: septem, “sete” em latim; o sétimo mês do calendário de Rômulo.
Outubro: octo, “oito” em latim; o oitavo mês do calendário de Rômulo.
Novembro: novem, “nove” em latim; o nono mês do calendário de Rômulo.
Dezembro: decem, “dez” em latim; o décimo mês do calendário de Rômulo.

A definição de mês, em muitos dicionários, é o período que a Lua demora para dar uma volta em torno da Terra. A palavra mês vem de mensis (latim), que veio do grego (meme, Lua).

E em inglês, a palavra month (mês) lembra bastante a palavra Moon (Lua). E não é por acaso. A noção de mês surgiu a partir da duração do intervalo entre duas fases da Lua iguais. Como exemplo, vou pegar a Lua Cheia de 02/Junho/2015 e a Lua Cheia de 01/Julho/2015. Há 29 dias entre essas duas ‘luas cheias’, pois nesse período a Lua deu uma volta completa em torno da Terra. A duração de um mês lunar (estou chamando assim para não confundir com o mês normal) é algo entre 29 e 30 dias.

Com as ‘gambiarras’ no calendário, feitas para nos adequarmos ao período da 1 translação (movimento da Terra em torno do Sol) e também por razões políticas os meses “normais” foram se adequando e ficando com 28/29, 30 ou 31 dias, conforme discutirmos anteriormente. Vale lembrar que esse é o calendário que seguimos hoje em dia. Várias civilizações ao longo da história usaram outros calendários, mas muitas delas usavam realmente os ciclos lunares para determinar uma “subdivisão” do ano.

Agora, porque o argumento da médica está confuso (ou pelo menos estranho): sabemos que 1 semana = 7 dias. Logo, 4 semanas = 28 dias.  O mês lunar ou o mês “normal” tem duração de cerca de 30 dias, então daria quase no mesmo. Mas lembre-se, alguns meses tem 31 dias. E a ‘confusão’ acaba aparecendo aí. Entretanto, a maior ‘confusão’ aí é como a gestação é contada. Vou explicar:

Quando você está com seu primeiro atraso menstrual, a primeira coisa que sua médica/médico vai perguntar é quando foi o primeiro dia de sua última menstruação. Se você for como eu, talvez não vai se lembrar rs. Mas vamos supor que você seja uma mulher mais ligada, e vai lembrar que essa data foi, por exemplo, no último dia 27/09/2014.

Vamos supor que lá pelo dia 30/10/2014, você está desconfiada que está grávida, porque sua menstruação, sempre regular, está atrasada. Um ciclo menstrual regular tem em média 28 dias, mas pode ter mais ou menos, dependendo da mulher.

Então nesse mesmo dia 30/10/2014,  você vai lá, faz o exame para verificar a gravidez e ele dá positivo. Dessa forma, em 30/10/2014, você estaria grávida de 4 semanas e 5 dias. Como a gente costuma dizer que 1 mês tem 4 semanas, você vai sair contando para os seus familiares que está grávida de 1 mês e 5 dias mais ou menos. Como uma gravidez normal pode variar entre 38 e 42 semanas mais ou menos, a 38° semana ocorreria em 21 de junho de 2015 e a 42° semana ocorreria em 19 de julho de 2015.

Para os obstetras, não se conta a gravidez em meses justamente porque a quantidade de dias em um mês varia. E somando toda essa variação de alguns dias por mês ao final de vários meses, dá uma diferença considerável. Dessa forma, contar em semanas (1 semana sempre tem 7 dias!), fica mais fácil. Então toda anotação feita em sua carteirinha de pré-natal será em semanas.

Só que vai explicar isso para sua tia ou para a amiga que não tem filhos e insiste em perguntar de QUANTOS MESES você está grávida… é bem chato e complicado, considerando que durante a gravidez as pessoas adoram dar pitacos sem sentido.

A pergunta que fica é: por que então falam 9 meses? Eu tenho duas teorias.

A primeira: se a pessoa contar a duração da gravidez de outra forma que não usando a data da última menstruação, vai dar mais ou menos os tais 9 meses. E como seria essa forma?

O período fértil do ciclo menstrual é mais ou menos no meio do ciclo menstrual, que são aqueles dias do mês em que você tem mais probabilidade de engravidar. Ou seja, considerando o exemplo acima: a sua última menstruação foi 27/09/2014, mas você se lembra muito bem que foi lá pelo dia 10/10/2014 que você e seu companheiro tiveram um jantar romântico. Pois então, se fizesse esse raciocínio, você poderia considerar que em 30/10/2014 estaria grávida de menos de 1 mês!

Mas é complicado considerar esse raciocínio na maioria dos casos, porque as pessoas costumam ter várias relações sexuais ao longo de vários dias no mesmo ciclo menstrual. Então fica difícil saber exatamente quando se ficou grávida, pelo menos acho assim.

Minha segunda teoria é um cálculo bem simples, uma outra forma de ver o calendário. De acordo com o exemplo que usei:

27/09/2014 a 27/10/2014: 1° mês

27/10/2014 a 27/11/2014: 2° mês

27/11/2014 a 27/12/2014: 3° mês

27/12/2014 a 27/01/2015: 4° mês

27/01/2015 a 27/02/2015: 5° mês

27/02/2015 a 27/03/2015: 6° mês

27/03/2015 a 27/04/2015: 7° mês

27/04/2015 a 27/05/2015: 8° mês

27/05/2015 a 27/06/2015: 9° mês

Ou seja, no exemplo acima, a pessoa estaria completando 9 meses em 27 de junho de 2015, que é quase  na metade do período que compreende entre 38 e 42 semanas, conforme explicamos acima:  entre 21 de junho de 2015 e  19 de julho de 2015.

E se a gente fosse levar em conta que são meses lunares e contando como início da gravidez a última menstruação, considerando um mês lunar médio de 29 dias,  seriam na verdade 9 luas e meia (que daria 38 semanas). Ou seja, 9 lunações e meia lunação, como lembra bem o excelente álbum do Paralamas do Sucesso que tem o mesmo nome =)

Nove luas - Paralamas do sucesso

Só que mesmo raciocinando dessa forma, devemos lembrar que a gestação pode chegar até 40 semanas. Ou até 42 semanas, em alguns casos. E mesmo raciocinando desta forma, ainda não faz sentido considerar que o bebê vai nascer na virada da Lua (escrevi esse post a respeito disso).

Então entraríamos em outro mito: o primeiro dia da menstruação coincide com a fase da Lua? Bom, a palavra menstruação também vem de mensis (latim). Há uma polêmica em torno disso. Alguns especialistas acreditam que a menstruação na espécie humana tem sim relação com o ciclo da Lua. Quando éramos nômades e dependíamos da caça, os homens saiam para caçar na Lua Cheia e deixavam as mulheres sozinhas em suas moradias. Elas ficavam menstruadas na Lua Cheia, quando estavam longe dos maridos. Na Lua Nova, quando estava muito escuro para caçar, os homens ficavam em casa com as mulheres e era nesse período em que as mulheres ficavam férteis. Essa teoria é bastante defendida por muitos acadêmicos, mas há pesquisas mais recentes, analisando os hábitos de populações que mesmo atualmente não vivem em áreas com energia elétrica, mostram no entanto que não há correlação suficiente que denote influência da Lua no ciclo menstrual (leia mais aqui). Talvez porque elas não cacem mais, não se sabe. Ou seja, pode haver sim uma influência da lua no ciclo menstrual, mas não por causa da “força de atração gravitacional da Lua” ou “por alguma razão mística”. É uma questão de evolução da espécie humana.

****

Os mais atentos notaram que mencionei duas pérolas ditas pela médica. A primeira é com relação a duração da gravidez. A segunda é com relação ao sonar. Como esse post ficou muito grande, deixei para amanhã o texto sobre a pérola seguinte.

Acompanhem toda série A “Cientista” Grávida – A Série [minha saga pessoal rs]  aqui.