Vídeo da NOAA apresenta um tutorial ensinando os tipos de nuvens



Aqui no Meteorópole, já escrevi diversos posts com o objetivo de ajudar quem pretende iniciar no hobby de observação das nuvens. Isso mesmo: observar as nuvens pode ser um hobby. No Reino Unido, existe a Cloud Appreciation Society, que une apaixonados por observação das nuvens. Mesmo brasileiros podem se afiliar a esse grupo de pessoas, para visualizar conteúdos exclusivos do site e receber um belo kit de afiliação 🙂

Uma das coisas que se recebe no kit é esse broche super fofo. Eu vou me afiliar um dia desses =)
Uma das coisas que se recebe no kit é esse broche super fofo. Eu vou me afiliar um dia desses =)

Já falei da Cloud Appreciation Society nesse post, em que falo sobre os “sobrenomes ” das nuvens e menciono alguns selos do US Postal Service que homenagearam as nuvens, apresentando lindas imagens de diversos tipos de nuvens.

cldscpe

Se você está chegando no meu blog agora e não sabia: as nuvens possuem nomes! Sim, existe uma classificação criada no comecinho do século XIX por Luke Howard e que lembra bastante a classificação das espécies desenvolvida por Carolus Linnaeus no século XVIII. Essa classificação leva em conta a altura e o formato das nuvens. Falei um pouco do assunto nesse post.

Alturas dos diferentes tipos de nuvens. Adaptado de AHRENS, C.D.: Meteorology Today 9th Edition

Estou retomando esse assunto porque recentemente descobri um vídeo muito bom da NOAA. Trata-se de um tutorial que explica cada um dos tipos de nuvens, com imagens de excelente qualidade.  É um vídeo curto, de apenas cinco minutos, mas que consegue abordar os principais tipos de nuvens. Apesar de estar em inglês, o vídeo é legendado (em inglês), o que facilita a compreensão daqueles que conseguem ler bem no idioma, mas tem dificuldades em ouvir. Ou seja, o material também ajuda a treinar o idioma =)

Confiram o vídeo abaixo:

Os nomes das nuvens não são “traduzidos”. Eu falei disso nesse post. É importante ressaltar isso porque já vi diversas vezes, em materiais didáticos produzidos por diversas pessoas ou grupos, traduções como “Cumulonimbo” ou “Estrato”. E isso está completamente equivocado! Assim como em Biologia, não “traduzimos” os nomes em latim das espécies dos seres vivos (por exemplo, falamos Aedes Aegypti aqui no Brasil e em qualquer outro lugar do mundo), também não traduzimos os nomes das nuvens. Dessa maneira, vocês vão reparar no vídeo da NOAA que os nomes estão escritos da mesma maneira que apresento aqui no Meteorópole.

A imagem acima foi apresentada nesse post e ela é bem bacaninha, pois ajuda a “decorar” os nomes das nuvens 🙂

Espero que vocês gostem do vídeo e desejo a todos um excelente fim de semana.