Meu filho está muito magrinho? – Entendendo as curvas de crescimento da Caderneta de Saúde da Criança

Olá pessoal 🙂

Antes de escrever qualquer coisa, preciso relembrar que não sou médica. Esse texto está sendo escrito por uma meteorologista que conhece um pouco de estatística, gosta de ler e divulgar conhecimento científico e é mãe de um menino de 10 meses.

Acho importante deixar meu perfil bem esclarecido, para que vocês não façam perguntas que eu não posso responder com propriedade (sobre nutrição infantil, metabolismo, etc). Nesse post, pretendo discutir o que as curvas dos parâmetros de crescimento da Caderneta de Saúde da Criança querem dizer sob o ponto de vista da Estatística.

Caderneta de Saúde da Criança: o que é?

Nos últimos anos, aqui no Brasil, quando nasce uma criança os pais recebem uma caderneta para que as informações sobre a vacinação e as consultas médicas sejam anotadas. É a chamada Caderneta de Saúde da Criança. Mas essas não são suas únicas finalidades.

caderneta

Ela é um livro com informações riquíssimas e muito importantes sobre a primeira infância. Há informações sobre alimentação, problemas de saúde mais comuns, higiene e limpeza, desenvolvimento infantil e até sobre ordenha de leite materno. É como se fosse um “manual” da criança.

Eu li toda a caderneta já nos primeiros dias de vida do meu filho e confesso que as informações contidas lá me deixaram mais segura. O conhecimento é muito empoderador, pelo menos na minha opinião. Lembro que nos primeiros dias de vida do meu filho eu li muita coisa, conversei bastante com minha mãe e com minhas tias, ouvi a pediatra e me apeguei a minha fé.

Por isso, queridas: não subestimem as informações da Caderneta. Muita gente age de má vontade quando se trata de algo relacionado ao governo. Porém, essa caderneta é um material muito completo, que contém as informações mais atualizadas sobre os tópicos principais relacionados à primeira infância.

Há duas versões da Caderneta: para meninos e para meninas. Quem não tem filhos ou não cuida de crianças pequenas talvez não entenda porque duas versões, mas razão é bem simples e tem a ver com nossas diferenças biológicas. Há cuidados na higiene das áreas íntimas que são bem específicos para meninos ou para meninas, por exemplo. Mas há um tópico na Caderneta da Criança que independe do sexo biológico do bebê e é disso que vamos tratar aqui no post. São as Curvas de Crescimento.

Curvas de Crescimento e Parâmetros de Crescimento

Abaixo, a página 22 da Caderneta de Saúde da Criança, falando da importância de se vigiar o crescimento da criança.

crescimento

Eu fazia o acompanhamento do meu filho em uma médica do convênio (particular) e em uma médica do posto de saúde. Eu conheço muitas mães que fazem o acompanhamento apenas em médicos particulares. E pela minha experiência com a médica particular e observando e conversando com outras mães, percebi que muitos profissionais particulares não solicitam a Caderneta de Saúde da Criança durante as consultas. E na minha opinião, isso é um absurdo, pois na Caderneta há informações sobre a vacinação e há tabelas e gráficos adequados, que seguem as normas da OMS (Organização Mundial da Saúde), para acompanhar o crescimento da criança.

A médica particular que fazia o acompanhamento do meu filho media os parâmetros de crescimento (perímetro cefálico, peso e comprimento/estatura/altura e IMC) mas sempre anotava na folha do receituário. Ela nunca pediu a caderneta e nunca perguntou sobre a vacinação. E com toda essa onda pseudocientífica antivaxer, acho preocupante.

tabela_medidas_antropo

A tabela acima está na página 54 da Caderneta da Saúde da Criança. Observe que ela já está pronta para receber as informações medidas pelo profissional de saúde, não é necessário anotar em ‘papelzinho’ solto. A médica que atende meu filho no posto de saúde anota todas as informações nessa tabela em todas as consultas. Ela também repassa as informações da tabela para gráficos contidos no prontuário de meu filho (que fica no posto de saúde). Esses gráficos são iguais aos contidos na caderneta, os quais vou mostrar a seguir. O primeiro é o gráfico do peso da criança:

grafico_crescimento_peso

Como eu disse nesse post: “Sobre engordar e crescer, precisamos entender uma coisa: não é simplesmente engordar, o bebê precisa acompanhar as curvas de crescimento.”

Acredito que muitas mães já ouviram comentários de vizinhas, avós, sogras e até mães, bem intencionadas, que falam que seu filho está muito magrinho ou muito gordinho. Em primeiro lugar, a gente tem que entender que cada pessoa tem uma estrutura física diferente. Há pessoas mais altas, mais magras, mais baixinhas ou mais gordinhas. E com os bebês é parecido também. Em geral, um bebê que nasce a termo tem peso superior a 2,5kg. Se estiver abaixo disso (e for a termo ou mesmo prematuro), é dito que o bebê nasceu com baixo peso e o acompanhamento médico tem que ser ainda mais frequente criterioso, pois a criança precisa engordar.

Repare que no gráfico acima  há 5 linhas. A linha verde indica a média. Observado o ponto de 0 meses (ou seja, bem no nascimento), é possível notar que a curva verde começa em 3,300kg aproximadamente. Isso quer dizer que o peso médio de um bebê ao nascer é esse. Em outras palavras, ao se fazer um estudo verificando os pesos de diversos bebê recém-nascidos, calculo-se uma média e em média, o peso inicial é de por volta de 3,300kg. Se seu filho nasceu com mais ou com menos de 3,300kg, não precisa é preocupar precipitadamente! Para isso, a gente precisa entender o que é distribuição normal.

Standard_deviation_diagram.svg

Gráfico da Distribuição Normal. Fonte: Wikimedia Commons

De acordo com a definição da Wikipedia:

A distribuição normal é uma das mais importantes distribuições da estatística, conhecida também como Distribuição de Gauss ou Gaussiana. Foi primeiramente introduzida pelo matemático Abraham de Moivre. Além de descrever uma série de fenômenos físicos e financeiros, possui grande uso na estatística inferencial.

Se você medir as alturas de um grupo de pessoas e distribuir em um histograma, provavelmente vai chegar em algo parecido com isso:

image002

O gráfico acima foi obtido nesse site. Nele, há também exemplos de atividades envolvendo histogramas que podem ser abordadas em aulas de matemática.

Em um histograma, eu separo em ‘faixas’ ou intervalos e conto o total dos dados dentro daquela categoria. No caso da altura, como no exemplo acima, o gráfico se assemelha ao da distribuição normal. Muitos fenômenos físicos e financeiros se assemelham a distribuição normal e essa distribuição estatística é provavelmente a mais conhecida. Inclusive histogramas e distribuição normal podem ser temas facilmente aplicados em atividades práticas em salas de aula, usando informações dos próprios alunos (peso, altura, IMC, por exemplo). Aqui, há um exemplo de uma atividade com histograma.

Observando um histograma de altura a gente consegue perceber que as alturas se concentram em maior quantidade em torno de um valor (média). Então a gente consegue notar quem são os mais baixos e os mais altos com relação ao valor médio do grupo analisado.

A distribuição normal tem essa forma de sino de modo que quanto mais perto do “topo”, mais próxima da média o dado está. No gráfico da Wikipedia que coloquei anteriormente, repare que a parte azul mais escura corresponde a 68,2% dos dados (34,1% “para mais” e 34,1% “para menos”). Esses são os dados mais próximos da média, que estão um desvio padrão “para baixo” ou “para cima da média”. O desvio padrão é representado por essa letra σ (sigma) e é uma medida de dispersão com relação a média.

Agora voltando ao gráfico de peso da Caderneta de Saúde da Criança. Repare nas linhas vermelhas e pretas. Elas são os escores, que são outros indicativos de dispersão da média. Os escores são calculados a partir do desvio padrão e há informações sobre eles no canto superior direito do gráfico de peso (e isso se repete para os gráficos de altura, perímetro cefálico e IMC). As páginas 52-53 da Caderneta de Saúde da Criança também apresentam informações sobre os escores e sobre a interpretação dos gráficos.

Seu bebê talvez não tenha um peso que esteja na média (linha verde do gráfico). Talvez esteja um pouco abaixo ou acima da média (entre a linha verde e uma das vermelhas). E não há problema! Mas, se o peso de seu filho estiver entre a linha preta e a vermelha de baixo do gráfico, significa que ele tem baixo peso. E do contrário, se estiver entre a linha preta e vermelha de cima do gráfico, ele poderá estar com sobrepeso. Quanto mais próximo das linhas vermelhas, tanto a de baixo quanto a de cima, mais preocupante.

E esse é o limite da estatística. Porque a partir daí, o profissional de saúde é que deve avaliar porque seu filho está “gordinho” ou “magrinho”. Deverá investigar o histórico familiar, o acesso da criança a alimentos de qualidade, aleitamento, eventuais problemas de saúde, etc.

Meu filho nasceu com 2,900kg aproximadamente. Meu irmão nasceu com 4,500kg. Duas crianças saudáveis. Uma, próxima da linha vermelha de baixo e a outra bem próxima da linha vermelha de cima. Um mais magrinho e o outro mais gordinho, mas considerando as curva de peso, duas crianças normais, apenas diferentes. Por isso, a avaliação da sua vizinha/avó/cunhada/sogra/etc pode estar totalmente equivocada!

Eu estou comentando bastante do peso porque é o parâmetro de crescimento mais conhecido e mais falado. Muitos medicamentos são prescritos usando como base o peso do bebê, então as mães sabem na ponta da língua. Entretanto, o mesmo raciocínio vale para os outros parâmetros, como o comprimento/altura/estatura e o perímetro cefálico.

grafico_crescimento_comprimento

Ser alto é algo muito valorizado em nossa sociedade, principalmente se você for homem. Isso é uma tremenda bobagem, o que importa é a pessoa ser saudável em todas as esferas de sua vida. A altura de uma pessoa é determinada pela genética, alimentação e exercícios físicos. E de novo vou usar dois exemplos de minha família. Eu nasci com 48cm e meu irmão nasceu com 55cm. Eu estava um pouquinho abaixo da média (a média é 50cm, que é o comecinho da linha verde no gráfico acima) e meu irmão estava acima, já acima do primeiro escore positivo ( linha vermelha de cima). Ambos bebês saudáveis. Se a criança nasce muito miudinha ou muito alta, outros fatores precisam ser verificados, pois pode haver indicativos de problemas de saúde.

Lembrando, claro, que bebês prematuros nascem menores e com valores de parâmetros de crescimento abaixo da média. Por isso o acompanhamento precisa ser mais criterioso e frequente e sempre é feita uma correção entre idade cronológica e idade corrigida.

Agora vamos discutir mais um parâmetro de crescimento, que é o perímetro cefálico.

grafico_crescimento_perimetro_cef

O perímetro cefálico é um parâmetro de crescimento bastante discutido nos últimos meses em decorrência dos casos de microcefalia associados à exposição da mãe ao vírus zika durante a gestação, principalmente no primeiro trimestre. Nas reportagens, fala-se muito do valor de 32cm de perímetro cefálico. E observando a linha vermelha “de baixo” a gente consegue entender de onde vem esse valor. Em média, observando o perímetro cefálico de muitos e muitos bebês nascidos a termo, notou-se que o valor médio (considerado normal) é algo entre 32cm e 37cm. Se estiver abaixo ou acima disso, é necessário fazer um acompanhamento minucioso.

E por último, há também na Caderneta de Saúde da Criança um gráfico para o IMC (Índice de Massa Corporal). Esse não é um valor medido, mas sim calculado. Trata-se do peso dividido pelo quadrado da altura.

grafico_crescimento_imc

Normalmente quando a gente pensa em IMC, pensamos nessa tabela (vi aqui, mas você encontra em diversos outros locais na internet):

Condição

IMC em Mulheres

IMC em

Homens

abaixo do peso

< 19,1

< 20,7

no peso normal

19,1 – 25,8

20,7 – 26,4

marginalmente acima do peso

25,8 – 27,3

26,4 – 27,8

acima do peso ideal

27,3 – 32,3

27,8 – 31,1

obeso

> 32,3

> 31,1

Essa tabela é apenas uma referência para a população adulta média. Os nutricionistas e profissionais da saúde a utilizam, mas observam também outros fatores, como o estilo de vida do indivíduo. Por exemplo, um lutador profissional de categorias mais pesadas de jiu-jitsu, provavelmente terá um IMC superior a 30, mas isso não significa que ele não é saudável. A porcentagem de gordura no corpo também é analisada.

Para bebês e crianças, a tabela acima não deve ser considerada. É necessário olhar no gráfico e analisar se está próximo ou distante da média, conforme feito para os demais parâmetros de crescimento.

Conclusão

Toda criança DEVE ser acompanhada periodicamente por profissionais de saúde, para detectar eventuais problemas no crescimento. Esse profissional (médico, enfermeiros, etc) deverá fazer as observações dos parâmetros de crescimento e colocá-los em suas respectivas curvas para verificar se tudo está normal. O acompanhamento deve ser sistemático, com consultas periódicas para que a evolução dos parâmetros de crescimento seja verificada. É mais adequado avaliar o histórico do crescimento da criança. Apenas um dado isolado de uma única consulta não diz muita coisa.

Espero que esse post tenha sido útil para quem não é da área de exatas ou não tem nenhuma afinidade com Estatística. Além disso, espero que com essas informações vocês possam cobrar um atendimento correto por parte do profissional de saúde que está acompanhando seu bebê.

Também espero que eu tenha contribuído no empoderamento de outras mães. Com esse conhecimento e fazendo o acompanhamento correto dos parâmetros de crescimento seu bebê, quando alguém falar que ele está gordo ou magro, você terá tranquilidade e paz no coração para saber exatamente a realidade.

Um grande abraço a todas.