Quais as principais características da Primavera?



A primavera está chegando!

Fonte: Free Digital Photos
Fonte: Free Digital Photos

Quem mora na Região Sul (onde as estações do ano são mais ‘marcadas’) ou até mesmo quem mora em São Paulo, já deve ter percebido que várias árvores já estão ficando mais bonitas, com a presença das flores. No entanto, além das flores, outras características são marcantes para a primavera. Vamos falar um pouco sobre elas e vamos também falar quantitativamente, usando dados de São Paulo-SP.

Importante: mencionei que vou usar dados de São Paulo-SP, então enquanto eu estiver usando esses dados (e pretendo deixar isso bem claro) estarei falando exclusivamente de características das estações do ano na cidade mencionada. Os dados são da Estação Meteorológica do IAG-USP.

 🌷 💐 🌸

Principais características da Primavera

É importante sempre observar que a primavera no conceito  “Sandy e Jr” do termo não ocorre em qualquer lugar do planeta. Ne verdade, em regiões próximas ao Equador, não conseguimos perceber grandes mudanças no ciclo anual de temperatura média. Eu falei sobre isso nesse post e vou comentar um pouco mais pra frente. Enquanto isso, ouçam a canção que marcou uma geração 💛

Nas regiões temperadas (latitudes médias, regiões subtropicais), a Primavera é caracterizada normalmente como a estação das flores, do renascimento da vegetação que fica ressecada durante o inverno. Já em regiões tropicais, a Primavera é a estação do início das chuvas.

Observem que São Paulo-SP (por exemplo) está bem na “fronteira” entre Região Tropical e Região Subtropical. Então é natural que a gente tenha aí uma transição. O que quero dizer: nosso regime de chuvas é bem característico de Região Tropical, com a estação chuvosa começando na Primavera. No entanto, observadores da natureza percebem as mudanças em algumas árvores também.

Algo que também vamos reparando com a chegada da primavera é o aumento gradativo das temperaturas médias mensais, uma vez que com o movimento de translação, o hemisfério que estava no Inverno (no nosso caso atual, o Hemisfério Sul) passa gradualmente a receber mais radiação solar. Veja esse post para mais informações.

 

A chegada das chuvas, na Primavera, é algo muito marcante para a Região Tropical.  Usando mais uma vez São Paulo como exemplo, o inverno é bastante seco. No final do inverno, há dias bem secos, que causam problemas na saúde da população. Dias secos também dificultam a deposição dos poluentes, então a qualidade do ar costuma decair. No final do inverno pode ocorrer o que chamamos de veranico.

Espero que não me interpretem como “bairrista” por me referir recorrentemente à São Paulo-SP. Eu me formei e atuo como meteorologista nessa cidade. Lido com dados meteorológicos dessa cidade. Por isso, é normal e compreensível que eu tenha mais conhecimento sobre esse local. Mas vocês também percebem que na medida do possível, falo de outras localidades brasileiras e estrangeiras, quando for o caso.

Após um inverno seco, a chegada da chuva é naturalmente marcante. Inclusive,  se uma manutenção na rede de coleta de águas pluviais não foi feita adequadamente ao longo dos meses de inverno, pode haver a ocorrência de enchentes e alagamentos já nas primeiras chuvas de primavera.

 

Aspectos astronômicos da mudança das estações do ano

A mudança das estações ao longo do ano, é causada devido à inclinação do eixo de rotação da Terra, em relação ao plano da órbita da sua translação.

Figura 3: Inclinação do eixo da Terra. Fonte: adaptado de Wikipedia Commons

A inclinação entre o eixo de rotação da Terra e o plano de sua órbita em torno do sol é de aproximadamente 23° (veja a figura acima). Essa inclinação é que vai determinar as estações do ano! Essa inclinação é constante e é mantida ao longo de todo movimento de translação. Sendo assim, durante metade do período de de translação o Hemisfério Sul estará totalmente voltado para o Sol, enquanto o Hemisfério Norte receberá menos radiação. Durante a outra metade, a situação se inverte. Nesse post, há uma animação que pode ajudar na compreensão.

O Prof. Mario Festa certa vez mencionou um experimento muito simples, bastante didático, que pode ser útil ao apresentar esses conceitos para alunos de ensino fundamental. Basta seguir os passos abaixo:

– Pegue uma lanterna que tenha o bocal da lâmpada redondo.

– Numa sala escura, se a lanterna iluminar uma parede de modo perpendicular, observa-se a figura de um círculo onde o feixe de luz atinge a parede.

– Começe a inclinar a lanterna em qualquer direção

– Observa-se agora que a figura do círculo se deforma, mudando para um formato conhecido como “elipse”.

– Observando a claridade da elipse, nota-se que é um pouco mais fraca do que a observada no círculo.

– Isto ocorre porque a mesma quantidade de energia luminosa que forma o círculo, vai se espalhar numa área maior que é a elipse.  E é isto que ocorre na superfície terrestre:

No hemisfério em que os raios solares atingem a superfície terrestre de modo mais perpendicular, o aquecimento é maior, provocando temperaturas mais elevadas, e ao contrário, no outro hemisfério, a mesma quantidade de energia, se distribui em áreas maiores, resultando um menor aquecimento, e portanto, temperaturas mais baixas. No primeiro hemisfério teremos o Verão, enquanto que no outro teremos o Inverno. Se o eixo terrestre não fosse inclinado, os dois hemisférios seriam aquecidos sempre de modo igual, e aí não teríamos as estações ao longo do ano.

No Hemisfério Sul, estamos entrando na Primavera. Por outro lado, no Hemisfério Norte, eles estão entrando no Outono.

A partir de cálculos astronômicos, é possível determinar o exato horário de início das Estações do Ano. Essas datas são importantes apenas sob o ponto de vista astronômicos. Em 2016, a Primavera começará (astronomicamente falando!) em 22 de Setembro às 11h21min. Essas informações são do U.S. Naval Observatory (as consultei no site do SIMEPAR) e tem incerteza de 1min. Claro que não haverá uma mudança repentina de um minuto para o outro. Esse horário marca o ponto em que o planeta estará no Equinócio de Primavera. Falei um pouco sobre a definição do termo equinócio nesse post. Algumas características que podemos perceber no Equinócio de Primavera:

– Um observador localizado exatamente na linha do Equador (na cidade de Macapá, por exemplo), vai observar que o Sol vai estar exatamente sobre sua cabeça ao meio-dia. Dizemos que o Sol está no zênite (ponto imaginário do céu localizado exatamente sobre a cabeça do observador).

– O Sol vai nascer exatamente no ponto leste e se por exatamente no ponto oeste durante os equinócios. Nos outros dias do ano, o Sol nasce ligeiramente mais para nordeste ou sudeste e se põe ligeiramente mais para noroeste ou sudoeste.

– A duração do dia claro (período entre o nascer e o pôr-do-Sol) e da noite será aproximadamente igual durante os equinócios. Ou seja: 12h de dia claro  e 12h de noite. Eu disse aproximadamente igual. Entenda aqui porque não é exatamente igual.

Resumo das características da primavera (Meteorologicamente falando) 

  • É o período em que a temperatura média mensal do ar começa a se elevar gradativamente ao longo dos meses, atingindo seu ápice no verão, quanto evidentemente temos temperaturas médias mensais mais elevadas;
  • Marca o início das chuvas,  o ínicio da maior frequência daquelas tempestades de verão de final de tarde (falo aqui do que ocorre em Regiões Tropicais). Mas a gente não tem uma data para isso acontecer. Normalmente ocorre em meados de setembro e nem sempre coincide exatamente com a data de início da Primavera (Equinócio de Primavera). Aliás, se coincidir é apenas uma coincidência (jura? rs), já que a atmosfera não tem hora marcada para as coisas 😂.
  • Aqui no trópicos, a gente até nota que algumas árvores ficam mais esverdeadas e floridas. Mas isso não é tão marcante como nas regiões temperadas!  Nas regiões tropicais, há frutas e flores que brotam durante o inverno, como a Jabuticaba, por exemplo.
  • Lembrando mais uma vez que nos trópicos (a maior parte do nosso país está em Região Tropical), não temos as estações do ano tão “marcadinhas” como nas regiões temperadas. Nos trópicos, é mais adequado falar em Estação Seca e Estação Chuvosa
  • Para mais informações sobre a Primavera, leia esse post.

Quantitativamente falando: São Paulo-SP, usando dados e informações da Estação Meteorológica do IAG-USP

Ao longo do texto, mencionei que na primavera a temperatura média mensal começa a se elevar gradativamente. O gráfico abaixo mostra isso. Observe que entre agosto e setembro a temperatura média mensal do ar começa a subir, atingindo seu ápice nos meses de Janeiro e Fevereiro do ano seguinte:

fig5
Dados de Temperatura Média Mensal para os anos de 2014 (barras azuis) e 2015 (barras vermelhas), alem da Normal Climatológica calculada entre 1933-1960 (linha verde), Normal Climatológica calculada entre 1961-1990 (linha lilás), Média calculada entre 1991-2015 (linha azul clara) e Média Climatológica (média total, calculada entre 1933-2015, linha laranja). Dados da Estação Meteorológica do IAG-USP

O gráfico acima é parte do Boletim Climatológico Anual de 2015, documento publicado pela Estação Meteorológica do IAG-USP e que pode ser consultado aqui.

Em estudos da área de Climatologia, costumamos separar o ano em trimestres. Falei sobre isso nesse post. A gente faz isso para calcular médias e fazer comparações:

– trimestre JJA: inverno no HS/ verão no HN
– trimestre SON: primavera no HS / outono no HN
– trimestre DJF: verão no HS / inverno no HN
– trimestre MAM: outono no HS / primavera no HN
Sendo assim, climatologicamente, quando falamos em primavera, nos referimos ao trimestre SON (Setembro-Outubro-Novembro) aqui para o Hemisfério Sul. Para mais informações sobre a primavera e outras estações do ano em São Paulo-SP, clique nesse link e escolha a estação do ano desejada.